.
.

25.5.18

Animal doente pode receber nutrientes e calorias pelo soro

A batalha do Simba contra a insuficiência renal rendeu muitos posts (não deixem de ler os links no final deste aqui!). Mas eu nunca escrevi sobre a dieta parenteral. Introduzida pela veterinária Maria Eugênia Carretero no estágio final da doença, ela tinha o objetivo de melhorar a qualidade de vida do leãozinho, enquanto ele demonstrasse disposição para continuar.

Trata-se de uma fluidoterapia turbinada com lipídeos, proteínas, carboidratos e vitaminas essenciais, administrada diretamente na veia, para evitar inanição e aumentar o bem-estar de animais em estado grave. A ONG Canto da Terra, localizada em Santana (SP), oferece o tratamento a preços solidários para que nenhum bicho sofra além do inevitável.

Câncer, lipidose hepática, caquexia (magreza) e doenças inflamatórias intestinais também estão na lista de atendimento, que rola de terça a domingo, das 10h às 19h, na Avenida Voluntários da Pátria, 3331. O telefone para contato é: (11) 2973-7988.

Simba morreu há um ano e meio. Mas teve uma vida plena e o final no meu colo, apertado bem apertadinho, privilégio que todo peludo merecia.

23.5.18

Mais aniversariantes do mês - maio de 2018

Onze anos de vida em família é um desafio. Ainda mais para os felinos, que na natureza preferem a solidão a ter de dividir comida ― com exceção dos leões, que aceitam a coletividade para dominar os pontos da savana com melhores emboscadas à caça (e também porque suas presas alimentam vários indivíduos).

Mas Gudinhas* seguem grudinhas. Ontem, antes de lembrar da data comemorativa, tirei esta foto da soneca da tarde, com Guda, a mãe-tibetana, ao centro. Sim, faltam Pufosa e Pimenta. É que elas estavam, respectivamente, fazendo a vigília e caçando Godofredo, o rato de pelúcia.


*Novelinha: conheça a história das Gudinhas

Outros aniversários: 2017 | 2016 | 2015 | 2014 | 2013 | 2012 | 2011 | 2010 | 2009

18.5.18

Bicho gorducho é fofo, mas nem sempre saudável

Eu costumava brincar que Jacob tinha a síndrome do pote vazio: comia a ração até enxergar o fundo azul da tigela, não importava quantas vezes a gente tornasse a encher. E bateu os 8 kg, gordura corporal generosa para um gato de estrutura pequena. Quando deixou de caprichar na higiene pessoal e de subir nos lugares mais altos, nós apelamos à dieta.

Quase metade dos animais de estimação no Brasil são obesos, ou seja, estão 15% acima do peso ideal, por causa do excesso de comida, dos hábitos sedentários e de distúrbios comportamentais como a ansiedade. E esse quadro pode provocar diabetes, problemas nas articulações, doenças cardiovasculares e até alterações neurológicas.

Para prevenir, vale seguir a recomendação de consumo indicada na embalagem de ração, não oferecer restos de refeições humanas (alimentação natural pode!), evitar que os petiscos superem 10% da quantidade calórica diária e estimular atividades físicas por meio de brincadeiras, para os bichanos, e passeios, para os cachorros.

Quem tem vovôs caninos, jovens felinos, fêmeas de ambas as espécies e animais com distúrbios hormonais ou predisposição genética à obesidade, como labrador, beagle, basset hound, dachshund e cocker, deve redobrar a atenção, segundo a veterinária Keila Regina de Godoy. Fofinho, sim. Doente, não!


Foto da Glaucia Regina Xavier, que adotou o pequeno tigre

* Texto escrito para o Yahoo!

16.5.18

Aniversariante do mês - maio de 2018

Quando Guda* saiu na Folha Online, este blog teve mais acessos do que nos seis meses anteriores. Isso já faz um década! Mas o bigodão continua espanando os móveis, sem sinal de calvície aparente. Completar 11 anos de adoção em uma caixa de papelão interiorana é um privilégio. Espero que não faltem grilos e passarinhos (vivos!) nos próximos 11.


*Novelinha: conheça a história da Guda

Outros aniversários: 2017 | 2016 | 2015 | 2014 | 2013 | 2012 | 2011 | 2010 | 2009 | 2008

11.5.18

Desabafo

Há (quase) 11 anos, eu reinvento o Gatoca. De blog de crônicas para espaço de informação e sensibilização. De vitrine de adoção para ferramenta de mobilização. De financiamento coletivo para mutirão de castração. De redes sociais (1, 2 e 3) para e-book. E agora vídeos. Só que a gente perdeu o costume de entrar nos sites que gosta, delegando ao Facebook o serviço de lembrete eletrônico. E de curador ele passou a mercenário, divulgando só conteúdo patrocinado e meia dúzia de posts virais.

Enquanto escrevo este texto no parque, tentando disfarçar desânimo com pôr de sol, me pergunto: qual a chance de um projeto sem memes nem polêmicas se tornar viral? (Dinheiro eu prefiro gastar com bicho, Zucka.) Mesmo o Youtube, considerado a alternativa da vez, mudou sua política de remuneração e esmagou os canais pequenos.

Eu podia diminuir a pilha de livros acumulados na cabeceira da cama, visitar amigos espalhados pelo Brasil sem gastar um centavo além da passagem de ônibus, dobrar as aulas de ioga, voltar para o flamenco. Mas tenho uma necessidade absurda de melhorar o mundo. Pelo Mercv, que melhorou meu mundo. E por todos os Mercvrivs, que ainda podem melhorar o mundo de alguém.

A humanidade há de se harmonizar com os animais. Mas estou sem ideias de como continuar fazendo isso...

4.5.18

Itália, França e bichos (ou uma causa)

Foram 13 lugares em dez dias (Impruneta, Florença, Pisa, Viareggio, Lucca, Siena, San Gimignano, Arezzo, Cortona, Assis, Roma, Vaticano e Paris), um massacre. Mas, com a coluna descansada e o atraso do sono tirado, hei de admitir: um massacre incrível. Do salto de fé para conseguir embarcar eu falei neste post.

Hoje, compartilho 47 fotos e vídeos da aventura. Tem cenários maravilhosos (depois da musiquinha de encerramento!), comidas veganas sensacionais (endereços no pé do texto), dicas de improviso, entrevista-amor com sotaque italiano, gatos ― menos do que o blog merecia, mas é porque eles não passam fome e frio nas ruas como aqui.

E tem agradecimentos também! À Mariana Levischi, que ajudou no planejamento da viagem (inclusive avisando que visitar três vilarejos no mesmo dia era insano, mas eu não ouvi) e cuidou dos bigodes, à Tatiana Pagamisse, que emprestou guias e fez as legendas da Cinzia, à mãe do Leo, que levou e buscou a gente no aeroporto, e à Yone Sassa, que colaborou para o figurino faz-de-conta-que-sou-meiga com o colar felino. :)

Na próxima década, se nada der certo de novo, a gente arrisca outra maluquice.


ITÁLIA

B&B Locanda Degli Aromi
Via di Colline, 9 - 50023
Impruneta
+39 3338359787

Brac Libreria di Arte Contemporanea
Via de' Vagellai, 18 r
Florença
+39 0550944877

Gelateria Dondoli
Piazza della Cisterna, 4 - 53037
San Gimignano
+39 0577942244

Eden Caffè Pasticceria
Via Ignazio Persico, 78
Roma
+39 0651607623

So What?
Via Ettore Giovenale, 56 - 00176
Roma
+39 3298265250

Romeow Cat Bistrot
Via Francesco Negri, 15 - 00154
Roma
+39 0657289203

Soup in Town
Piazza San Giusto, 6
Lucca
+39 0583495739

Faltou no vídeo! A buddha bowl juntava arroz com legumes grelhados e um pesto delicioso!


FRANÇA

Hot Vog
10 Bis Rue Vavin
Paris
+33 142493669

Cloud Cakes
6 Rue Mandar 75002
Paris
+33 142339545

La Palanche d'Aulac
13 Rue Rodier
Paris
+33 980638369

Jay & Joy
5 Rue Paul Bert, 75011
Paris
+33 954647928

Apesar da cola, ficou de fora também! (Seis mil fotos para organizar, gente.) Os queijos veganos deles são espetaculares e, mesmo com nossa moedinha surrada, saem mais barato do que os daqui.

2.5.18

Coleção: plantações fracassadas

Depois da bad do catnip e dos piruás de milho de pipoca, chegou a vez do chá de xixi de hortelã! Um a um, os pezinhos foram sendo destruídos pelo excesso de ureia dos bigodes (notem que o lado esquerdo da foto já está careca), que também acabou com o gramado, até outrora carente de poda.

Me disseram que regar após as carimbadas resolve o problema, mas eu precisaria receber um salário para assumir a função de descarga do jardim em período integral. Outras ideias são bem-vindas. Contem nos comentários casos de sucesso envolvendo plantas e animais para reanimar a batalha de Gatoca!



25.4.18

5 motivos para ganhar uma lambida de gato

Acreditem, elas possuem significados diferentes. Batatinha, por exemplo, me lambia antes de se aninhar no colo, retribuindo o afeto que Penélope, a mãe felina, tinha com a ninhada de frajolas apertáveis. Abaixo, seguem as principais hipóteses para um ataque lingual:

1) Ser família
Como no caso do Batata, há bigodes que lambem seus tutores para construir e fortalecer vínculos sociais, demonstrando o carinho e a proteção aprendidos na infância.

2) Ter bicho possessivo
Marcar território com xixi não é a única forma de afastar a concorrência, já que a saliva dos bigodes também possui partículas que funcionam como assinatura. Só tomem cuidado com a lambeção compulsiva, que pode sinalizar problema de saúde.

3) Nascer com gosto bom
Quanto mais salgadinho, melhor ― suor, então, é banquete! Mas também há os doidões que curtem sabonetes e hidrantes.

4) Funcionar como calmante
Em situações de estresse e extrema ansiedade, os peludos podem se confortar nos lambiscando, sim. Isso ocorre bastante com filhotes separados da mãe muito cedo. E, às vezes, continua na vida adulta.

5) Ser amado
Não existe maior demonstração de amor para um bichano do que manter a higiene em dia. Banho de língua caprichado, portanto, equivale à declaração de amor.


* Texto escrito para o Yahoo!

20.4.18

Aniversariante do mês - abril de 2018

Os 12 anos da Clara* caíram entre a viagem ítalo-parisiense e o vídeo de hoje, que eu cheguei a gravar, mas não consegui editar a tempo (sorry!). Isso quer dizer que a gata de patchwork não foi apertada com a delonga merecida. E que aqui jaz uma tutora exausta e culpada, publicando post num horário em que ninguém mais vai ler. Estagiário de vida, cadê você?


*Novelinha: Conheça a história da Clara

Outros aniversários: 2017 | 2016 | 2015 |2014 | 2013 | 2012 | 2011 | 2010 | 2009 | 2008

18.4.18

As grandes questões da humanidade

― Simba foi seu primeiro gato, Bia?
― Não, o primeiro foi o Mercv, seu favorito.
― Mas por que o Simba morreu antes?
― Porque nem sempre morre o mais velho. Minha mãe, por exemplo, morreu com 56 anos e sua avó tem 75. Você sabe que 75 é maior do que 56, né?
― Sim. Só estou curiosa para descobrir por que isso acontece.

13.4.18

Enfim, casa!

Quando você fica duas semanas fora e vai a um bistrô italiano com gatos para ter a comida pisada e matar a saudade.






Na semana que vem, nós voltamos à programação normal!

27.3.18

Enfim, férias!

Se a gente é freelancer e tem dinheiro, não pode abrir mão dos projetos. Quando sobra tempo, a grana já se foi. Junte dez gatos no pacote e, em quase quatro décadas de vida, eu mal saí de São Paulo ― a viagem para o Canadá foi a trabalho e Argentina é uma São Paulo melhorada, né? O combo Itália + Paris estava na fila há anos.

Financiamento coletivo passou na frente, reestruturação do blog passou na frente, mutirão de castração passou na frente, e-book passou na frente, canal do Youtube passou na frente. Aí, veio a crise e, no pior de todos os cenários, a pessoa que compra roupa no supermercado sucumbiu à promoção da passagem aérea.

Se não houver psicopatas nas famílias que nos hospedarão, vocês terão imagens exclusivas de Assis, terra de São Francisco! Me despeço provisoriamente com esta foto do Simba, para lembrar aos leitores que também adiam sonhos que a vida é curta.

23.3.18

8 mitos felinos exterminados

Segundo o Houaiss, "exterminar" significa "destruir de maneira cruenta". Mas, como mamãe ensinou a não derramar sangue, resolvi fazer com argumentos mesmo (é só clicar na imagem abaixo). Tem bom humor, revolta, preguiça, foto antiga do Mercv e um dos últimos vídeos do Simba neste planeta. 💚

21.3.18

Mercv Caracolino, sem Rainha Perna-Fina

O temporal de ontem alagou o armário da cozinha, tombou o hibisco da horta e deixou Gatoca sem luz. Quando acendi as velas emergenciais, lembrei de um episódio da infância do Mercvrivs, envolvendo bigodes encaracolados, e resolvi fazer um vídeo sobre mitos felinos.

Contribuições nos comentários são bem-vindas. :)

16.3.18

Nosso primeiro vídeo!

Eu cansei de ouvir que deveria levar a palavra do Gatoca a outras mídias. Mas bastava me apontarem uma câmera que a voz ficava fina, o rosto assimétrico e os ombros desnivelados. Foram anos para vencer esse bloqueio ― na verdade, descobri que tenho a voz fina, o rosto assimétrico e os ombros desnivelados mesmo.

E o conteúdo deste blog não ficará mais restrito aos amantes de texto! Obrigada, Carol Costa e Cibele Kriedt, pelo incentivo para arriscar. Tati Pagamisse e Jon Levischi, pelas dicas de vídeo e áudio. Roberto Spinelli, pelas aulas de edição. Mari Levischi, pelas ideias todas. Leo Eichinger pela parceria de projetos e de vida.

E Clara Luz, pela direção de arte.


Para assistir ao vídeo, clique na imagem