.
.

7.5.08

Golpe da Barriga

Na manhã do dia 7 de maio de 2007, dona Jane tocou a campainha aqui de casa para dizer que minha gata grávida estava dormindo na soleira de sua porta e quase foi atropelada por um carro ao tentar segui-la rumo à feira. Eu não tenho bigodes que mendigam no jardim dos vizinhos, muito menos grávidos, mas achei melhor checar e dei de cara com a Chocolate tamanho família: mesmo nariz sujo de cacau, mesmo corpo branco com as extremidades escuras, mesmos olhos azuis. E uma barriga invejável!

Deixei-a ficar na garagem, esperando convencer algum amigo a adotá-la. Pelo bairro, os bombonzinhos se multiplicariam como gremlins, engordando as estatísticas de animais famélicos e maltratados. Sem demonstrar vontade alguma de partir, a futura mamãe logo transformou o capacho da entrada em cama e ainda compôs uma sinfonia de miados engraçados para louvar o primeiro pote de ração.

Numa das vezes em que saí para conferir se estava tudo bem, encontrei Clara Luz sentada ao seu lado. Na visita seguinte, Mercvrivs e Simba haviam se juntado à rodinha de fofoca. Soltei, então, a pequena Chocolate para ver se a natureza as fazia reconhecer-se, mas, ironicamente, esse foi o único contato que rendeu ruídos de calabouço.

*continua*

11 comentários:

Lina Gatolina disse...

que graça, é uma família inteira em quatro patas...
Denise

Anônimo disse...

Oba! Outra novelinha!

Cachorreira militante, louca por gatos disse...

Eba! Mais histórias.

Gata Lili disse...

eita que família grande...

Silvana disse...

Judiação! Será que ela pode ser irmã da Chocolate?

yone disse...

ou parente da Guda!!!

Anônimo disse...

Que bom que estas histórias deliciosas estão de volta! Inês, PT

Maria Amália Camargo disse...

Ai, que graça... A Chocolate tem uma cara bem "rebelde" mesmo!
Tomara que dê tudo certo!
Bjs,

Anônimo disse...

Parece novela mexicana, a irmã gemea boa aparece anos depois, precisando de abrigo, abandonada, traída, e vai desputar o amor da dona...

Anônimo disse...

Hehehe. Pelo menos eu não fui a única a levar gata por lebre... 4 anos atrás, eu acordei em pleno domingo as 6 da manha com uns miados dos mais fortes do lado da minha janela. Meu instinto maternal felino me acordou e eu corri pra janela e dei e me deparei com minha gata-bebe (adotada a menos de 1 semana) do outro lado da rua, aos berros, sozinha, desesperada. Como isso havia acontecido?? Como ela escapou de casa no meio da noite?!?! Ai, meu Deus, ela até atravessou a rua - olha o perigo!! Sai escada a baixo e fui pra rua de pijama. hehehe. Peraí - essa NAO é minha gatinha!!! É clone! Bom, eu tb entrei nessa ladainha de 'vou achar alguém pra adota-la'. Até achei mas quem disse que deixei ela ir embora? Afinal, onde cabe 1 gata-fofa, cabem 2 gatas-fofas-cara-de-uma-focinho-da-outra, né? Bjs. Kalu

Anônimo disse...

OBA !!! Novelinha da Guda !!! Queremos tambem do Simba e da Chocolate ...

Mimi