.
.

10.6.22

Cuidado com alimentação forçada para gatos!

98% dos serial killers de plantas as exterminam por falta de água. Eu consigo matar frutífera afogada. E, até abril deste ano, preferindo pecar pelo excesso, entrava com a alimentação forçada sempre que um gato começava a rejeitar a ração. Marquei abril porque foi quando Mercv e Guda ficaram doentes junto.

O frajola até aceitava bem as seringadas de patê processado — embora elas não tenham conseguido reverter o combo de fígado, baço e pâncreas comprometidos. Mas a barriguda puxava das entranhas para cuspir, o que me obrigava a enfiar a seringa cada vez mais fundo na garganta. Primeiro a coitada parou de ronronar, depois passou a fugir da gente, a barriga se pôs a inchar e não tardei a encontrar sangue nas pedrinhas do banheiro.

O ultrassom indicou gases e cistite. E, na mesma semana, dois produtores de conteúdo que acompanho no Youtube explicaram que estresse pode causar ambos os problemas — gases porque altera as bactérias do intestino e cistite ao desencadear uma ansiopatia chamada Síndrome de Pandora, batizada assim pois afeta vários órgãos e sistemas.

Resumo da tragédia: um quadro que tinha se iniciado com sintomas respiratórios (secreção nos olhos, nariz fungante, espirros aleatórios e engasgos com catarro) desandou completamente com a intenção justamente oposta. E não estou militando contra a alimentação forçada! — em casos de lipidose hepática, por exemplo, ela é essencial.


Mas, antes, aconselho testar outros sabores e marcas de ração — custei a arriscar por medo de um piriri generalizado (Simba desenvolveu intolerância em uma das poucas trocas que precisei fazer, milênios atrás). Dependendo da situação, os veterinários liberam até comidas contraindicadas para ajudar a recuperar o apetite — claro que não as tóxicas.

Se forçar goela abaixo for a única solução...

- Comece devagar e com pequenas quantidades, já que o animal não poderá recusar o excesso.
- Bata a ração (seca ou úmida) que ele estiver acostumado a comer para evitar diarreia — lembrando que a seca precisa amolecer primeiro.
- Dilua bastante.
- Use dosador oral.

IMPORTANTE!

Tentar tirar o atraso da alimentação de uma vez tende a provocar vômito e é muito frustrante perder um dia inteiro de esforço por causa daquela seringada a mais — isso quando o bicho não entra em looping de vômitos, mais difícil ainda de contornar.

7 comentários:

Anônimo disse...

Bia, é consenso hoje que quando a alimentação forçada for a única opção, a opção deve ser a sonda esofágica. Um procedimento ambulatorial muito simples e que evita por completo problemas ainda maiores e mais comuns, como a pneumonia aspirativa por exemplo (a comida vai pra traquéia e pulmão, em vez do esôfago). Além de tudo, eles pegam asco da comida, traumatizam com quem está forçando, é algo que hoje sabemos que os malefícios superam muito os benefícios. Não devemos nunca forçar alimento na boca de um gato, mesmo que seja com as melhores intenções... Obrigada por compartilhar tudo isso 😽 Tatis (@cmiadoselatidos).

Anônimo disse...

Já passei por situação semelhante e sei como é desesperador...

Mel disse...

Meu Bartô, de 16 anos morreu mês passado de câncer e aprendi a dar a alimentação líquida aqui com você. Minha experiência pessoal como tutora de vários bigodes, em especial os que tem necessidades especiais, é a de que fazemos o melhor que podemos e sim, às vezes, tentando muito acertar, erramos. Me vi no seu texto. Fique bem querida!

Anônimo disse...

Informação preciosa, Bia! Muito obrigada!

Viviane Silva disse...

É muito valioso seu relato, agradeço cada letrinha. Muito obrigada mesmo.

Anônimo disse...

Existe chances da sonda provocar infecção no local?

Anônimo disse...

Aqui temos que forçar alimentação de muitos. Inviavel manter internado com sonda e em casa eles arrancam a sonda. Indo com seringas menores várias vezes ao dia e quantidades menores é menos chance de dar problema. Além de variar uns toleram melhor a ração batida, outros o Ad, outros o recovery
Chris da Quatropatinhas