28.1.11

Dois é melhor do que um

Essa máxima vale para todas as coisas boas da vida, certo? Então por que seria diferente com os animais? Ao contrário do que o senso comum acredita, dois peludos dão menos trabalho, porque fazem companhia um para o outro, divertindo-se sem depender dos humanos. Acaba a agitação, a destruição da casa (não se você tiver uma gangue, que fique claro!), a falta de vontade de comer, os miados e latidos de madrugada.

De parzinho, bigodes e focinhos se sentem mais seguros e felizes, raramente entrando em depressão quando os donos saem para trabalhar ou resolvem emendar o feriadão na praia. E a despesa não aumenta tanto assim. Existem coisas, ainda, que um bicho só aprende com o outro. Clara Luz, a segunda adoção de Gatoca, por exemplo, ensinou Mercvrivs a brincar sem tirar pedaço, retribuindo as mordidas e unhadas ignorantes, coisa que a gente jamais faria, né?

Nos comentários deste post você certamente descobrirá outros benefícios. Gateiros e cachorreiros leitores, ajudem quem continua em dúvida a abrir o coração para uma duplinha. ;)

97 comentários:

Carol De Nardi disse...

Eu tinha só uma gatinha e assim fiquei por longos 3 anos. Achava que seria irresponsabilidade ter mais um gato em casa. Porém, como nem tudo na vida acontece como planejamos, um outro gato acabou me adotando (longa história que vale um outro post). Diferentemente do quanto anunciado pelos especialistas e veterinários sobre a dificil adaptação dos gatos, a minha gatinha mais velha adorou a idéia de ter um companheiro em casa. Afinal de contas, até então eu não tinha "percebido" que ela passava o dia inteiro sozinha. A decisão de adotar o segundo bigode foi uma das melhores decisoes da minha vida. Nem preciso dizer que pouco tempo depois adotei o terceiro filho... e agora o trio passa o dia fazendo peripécias lá em casa !!

Gloria disse...

Ahhh Bia, sou suspeita para falar a respeito já que tenho uma quadrilha em casa, lembra? 17 bigodes e 7 focinhos = 24 filhos!
Mas é bem isso,um faz companhia ao outro e nós não corremos o risco de mimar demais o "filho" único e ele se tornar insuportável.Agora, não deixe para ter o 2º quando o outro estiver muito velho, pois pode não haver o entrosamento necessario.Animais idosos tendem a ficar rabugentos e ciumentos com a idade. Beijos a toda Gatoca.Gloria

A Paraíso disse...

É alegria a duplicar!!! Podemos ir trabalhar bem mais descansadas que o gatinho não fica sozinho, triste e aborrecido.
Sempre quis ter um gato, mas os meus pais eram anti-animal-em-casa. Há quatro anos consegui ter a minha casa, ainda as paredes estavam a ser pintadas já havia uma linda "quatro patinhas" a correr: a minha terrível Scaramouche! Passado pouco menos de um ano adoptei o Sirius (um gatinho tem de conviver com a mesma espécie!). Virei FAT (familia de acolhimento temporário) de vários gatinhos...e acabei virando FAD (Familia de acolhimento definitivo) de mais uma gatinha: a pastuca Tricot!
E tivesse eu uma casa (e uma conta bancária) maior...

Anônimo disse...

Eu tinha uma gata no apto. que morava, ela me adotou qdo tinha uns 6 meses. Depois de algum tempo voltei a morar com meu pai, qdo minha mãe faleceu. Meu pai já tinha um gato, hoje com 9 anos. Minha gata odiou, brigaram muito, o Tigrão tentando se aproximar e ela batendo. Qdo minha mãe faleceu, o Tigrão deprimiu muito, ficou triste. Só o fato de ter a Agatha em casa ajudou na recuperação dele.
Mas o que mudou realmente, foi a adoção do Edward, em dezembro/2009. O filhote se apaixonou a primeira vista pelo Tigrão. Eles se amam de verdade, o Tigrão cuida do Edward, tomam banho reciproco, fazem a maior folia pela casa.
Adotar o Edward foi a melhor coisa que fiz para o Tigrão, que voltou a ser criança novamente. Sem contar a alegria de ver a casa sempre agitada por eles. Ahhh, a Agatha odiou profundamente o novo membro da família... mas não desisti, entre tapas e fuuusss eles convivem, se toleram (tirando os dois piás, que se amam)
Realmente, dois é sempre melhor que um.

Rose Borella

Kell disse...

Meu Leo foi filho unico por 7 anos até eu adotar a irmãzinha dele mas ele não amou a ideia de paixão não... Ele a tolera, sabe como? Tipo "tá, fica aí, mas nao sou seu melhor amigo, desencosta ¬¬"
Ai, ai *suspiro*... meu sonho essas coisas de dormir agarradinhos e banhos coletivos mas né. Leozinho diz q não se pode ter tudo...

Anônimo disse...

Eu tenho duas duplinhas. Primeiro chegaram, quase ao mesmo tempo, o Miguel e a Sara. Os dois se amam muito. Depois chegou a Yasmin, que é louca pela Sara e vice-versa. Dois anos depois chegou a Malu. Miguel e Sara são super receptivos e com a pequena não foi diferente. A Yasmin demorou uns 4 meses para tolerar a presença da caçula, mas isso não mudou em nada a energia amoroso da minha casa. Foi tudo tranquilo e eu faria tudo de novo. Por que ter 2? Como disse a Bia, os gatinhos merecem a companhia de outro felino. Imagine um humano só cercado por vacas? Ou uma girafa que só convive com macacos? Por mais que todos se amassem tem coisas que a gente só faz com o da mesma especie. E não pensem besteira! Meus gatos são todos castrados, ora pois. rsrs Além disso, se você adotar 2, será um a menos nas ruas ou nos abrigos! (espero que aqui ninguém ajude a financiar fábrica de filhotes e adote um dos milhares de cachorros ou gatos que necessitam tanto de casa e amor.)

Cristina disse...

Oi Beatriz!!!Cheguei até aqui através do blog da Amanda.
Os seus bebês são lindos demais...sou apaixonada por bicho,eu diria doente...não posso ver um sofrendo ou abandonado que sofro junto.Tenho os meus que amo...todos tem sua história de resgate,me sinto mãe mesmo.Também concordo que dois é melhor mesmo...ainda mais para quem fica o dia fora,pelo menos um faz companhia para o outro!!!Parabéns pelos seus filhotes amados!!!
Beijos!!!

Anônimo disse...

Nós adotamos 3 ao mesmo tempo... sao os gatinhos mais felizes, lindos e fofos!!!!! Depois fomos adotadas por mais 3!!!!! Como diria minha vovó... aumenta a água do feijão e abre o coracão!!!!!!!!!!!!!!!!!

Juliana-SJC disse...

A vida do meu persa velhinho era só comer e dormir....não tinha pique pra brincar e estava até gordinho. Até um dia em que eu encontrei e resgatei a Halle Berry, uma pretinha fofa, no bueiro. Depois que eles ficaram juntos, era festa o dia todo...Brincavam, corriam, dormiam juntos, onde um estava, o outro tb. Até pra comer era na mesma hora. O Tom emagreceu e ganhou uma amiga pentelha hheheheheh

Alessandra disse...

Como diria Jung isso é sincronicidade. Explico. Essa semana tentei adotar uma irmãzinha para Mafalda. Mas, quem disse q tive estomago e coragem para ver a pequenina acoada,com medo e cara de choro sem nenhuma reação os fuzz e patadas e Mafalda. Em menos de 24h devolvi a pequenina.
O nome dela? Flor Simba...era i-d-e-n-t-i-c-a ao Simba de Gatoca. #chorandomto
Penso nela todos os dias,mas, ja disseram aqui em casa que não querem outro bicho. A Mafalda esta de bom tamanho! =(

Anônimo disse...

Bia, vc tem toda razão...Atualmente tenho 4 gatos em casa...Tica, Fubá, Preta e Manchinha...Eles se gostam, brincam juntos, dormen juntos e a adaptação deles foi super tranquila...Acho que um animal sozinho, e que os donos não fiquem muito em casa (como é o meu caso) é judiação...
Bjs

Lúu Novaski disse...

Minha casa é pequena, a qualidade de vida de um gato não é lá essas coisas, de 2 então, nem se fale! O Vitinho apareceu aqui em casa, qnd eu estava desempregada, fiquei quase um ano num projeto particular onde eu trabalhava em casa, então pra ele era só alegria, e pra mim tb, é claro rsrs Até q decidi trabalhar e o bichano ficava sozinha em casa. Dava pena ouvir os miados dele qnd saiamos de manhã! Dava pra ouvir da esquina, e só esperamos nossa situação financeira ajeitar pra adotar uma compania pra ele. Foi a melhor coisa q fizemos! Como eu disse no começo, a casa é pequena e esse é o único motivo q não me permite ter mais gatos por aqui hiehiehie o Vitinho mudou mto depois q a Kiki chegou, e é apaixonado por ela desde o primeiro segundo q a viu! É mto gostoso duas bolas de pelos correndo pela casa, brincando junto, tomando banho coletivo rsrs sempre aconselho a todos q tenham pelo menos dois gatos ^^

Marina disse...

Eu acabei de pegar uma gatinha de 3 meses (estou relatando no meu blog, rsrs) e ela fica o dia todo sozinha em casa...Morro de dó, mas o apartamento é pequeno e quem mora comigo acha que o espaço não seria suficiente para 2 gatos! É uma pena, pq eu acho que a minha gatinha seria muito mais feliz com uma companhia, especialmente agora que ela é novinha e gosta de brincar...

Dona de primeira viagem disse...

Eu fiquei durante uns 9/10 meses só com a Meg.. quando eu chegava em casa ela queria tanta tanta atenção que eu não conseguia fazer mais nada além de brincar e mimar ela... fora que várias vezes deixava de fazer as coisas pra ficar com ela. Aí um dia resolvi adotar outro gatinho.. vi o bobby lá dando sopa para adoção e foi amor ao primeiro fuuuzz dele pra mim!
A adaptação foi meio complicadinha mas foi rápida, 5 dias somente agora os dois são um apego só... banhinhos juntos, carinhos, brincadeiras.. corre corre de peludos pela casa, uma alegria só!
Melhor decisão que tomei na vida foi dar um irmãozinho bigodudo pra Meg! Ela ainda é a princesa da casa e morre de ciúmes de mim.. mas tbm sabe partilhar a humana dela com o irmãozinho!

carol disse...

Ahh, eu não tenho a menor dúvida. A Raquely era muito carente quando era sozinha.. vivia chorando pela casa, tinha um probleminha no olho (herpes felina) que aparecia quando a imunidade baixava (por questões psicológicas como a chegada de visitas em casa). Depois que adotamos a Naomi tudo melhorou! As duas brincam muito, uma lambe a outra, quando uma "some" pela casa a outra chama e assim vai. Eu acho que não deveria poder ter apenas um gato! rss

Beatriz Levischi disse...

Obrigada pelos relatos, meninas! :)

Kell, mesmo se fazendo de difícil, o Leo gosta de ter uma companhia felina, senão você não conseguiria deixá-los juntos.

Adorei o exemplo do humano cercado por vacas, Natali (é você, né? rs). Mas fiquei em dúvida se não seria mais feliz entre as vacas.

Alessandra, toda a adaptação leva um tempo. Se você tivesse escrito antes, eu te aconselharia a seguir as dicas deste post: http://blog.gatoca.com.br/2009/11/dicas-de-adaptacao.html.

Bem-vinda ao Gatoca, Cristina!

Marina, por que você não mostra os comentários do blog para a pessoa que mora com você? Filhotes cheios de energia sofrem mais ainda sozinhos.

Tata disse...

Esse post foi feito pra mim!!!Tenho 1gatinho e estou louca para adotar outro, mas tenho medo das brigas e do ciume, tenho medo de não se adaptarem...Mas lendo tudo isso, estou bem mais confiante que essa é a decisão certa. Obrigada!

patidiamante disse...

nossa, esse posto foi um sinal dos céus! rsrs... até te mandei um e-mail (desculpa a audácia!) bjos!

Natali disse...

Oi, Bia. Sou eu sim! rs Na hora de postar dei "enter" antes de colocar o nome, aí saiu como anônimo. Eu certamente seria muito feliz cercada apenas por vacas, ovelhas, gatos, cachorros ou galinhas! rs No entanto, pelo menos em um dia, acho que eu ia gostar de trocar uma ideia com alguem!!!

Bruna disse...

Eu já estou formando uma gangue, com 3 monstrinhos, uma mocinha linda e dois pestinhas. E são muitos mais felizes vivendo juntos!! POsso garantir! Todos resgatados da rua graças ao coração de pudim do meu marido, que não pode ver um bixano perdido pela rua que carrega para casa... rs, o último, chamado Simba, em homenagem ao seu, mas que na verdade parece o Jacob, todo tigrado, foi encontrado filhotinho morrendo de fome no estacionamento ao lado da empresa do meu marido, sabe o que ele fez? colocou o gatinho trancado dentro do banheiro da firma das 8 as 17, para poder levá-lo para casa, tentando esconder do chefe e pedindo cobertura de outros funcionários! E ai de mim negar a adotá-lo!! Já me deu 3 "filhos peludos" com um ano de casados, imagine o futuro!! Nem quero pensar! rs

Karina disse...

Minha Jade deve ganhar uma irmã em breve. Já tem um tempo que estamos pensando nisso para que ela não fique sozinha quando a gente viaja no final de semana.
Adorei alguns argumentos aqui. Minha gatinha é bem mimada e tb está ficando gordinha, rs. Precisa de alguém pra correr com ela pelo apê ;)

Beatriz Levischi disse...

Boa sorte com as adoções, meninas! :)

Natali, eu te reconheci pelo nome dos bigodes, acredita? Um dia de conversa entre humanos parece uma boa ideia.

Agarra esse homem porque a oferta no mercado está triste, Bruna. rs

Vanessa disse...

eu tenho um sialata macho de uns 2 anos castrado q me achou na rua... eu queria mtooo outro gatinho mas estou receosa...
esse meu gatinho, o Teco, ficou uns 15 dias na casa da minha mãe (onde tem uma siamesa) e teve q sair - ela só fazia fuzz pra ele e cada um ficava num canto da casa... como a Mel é meio doentinha ela quase não estava comendo...
aí o Teco foi pra minha irmã, pra mais uns 15 dias (enquanto minha reforma acabava)...
lá tem 4 gatos, todos amigos (nenhum é siames) - mas o Teco não se adaptou com nenhum... ficava num canto o dia todo e só miava pros outros...
será q ele se adapta com algum gatinho? ou será q ele quer ser filho único?

Beatriz Levischi disse...

Não dá para ter certeza, Vanessa. Mas é muito mais fácil o Teco aceitar um amigo, em vez de quatro de uma vez, e no território dele, não em uma casa estranha. Na dúvida, por que você não adota um filhote?

Veri Gravina disse...

Romeu e Julieta. Sol e Lua. Beijo e abraco. Branco e preto. O mundo foi desenhado pra duplinhas ;) alegria dividida eh alegria multiplicada. Bjos!

Vanessa disse...

Bia,
vc acha que tem diferença entre fêmea e macho? algum deles seria mais fácil a adaptação com o Teco ou tanto faz?
bjs

Beatriz Levischi disse...

Aqui em Gatoca, os machos se dão melhor com as fêmeas, Vanessa. Entre bigodes do mesmo sexo a disputa tende a ser maior. Por esse mundo afora, no entanto, a gente vê parzinhos bem sucedidos nas duas combinações.

Juliana-MG disse...

Olá. Primeiro parabéns pelo blog. Eu adorei.
Segundo, realmente, um gato quando é criado com outro, é a melhor coisa que existe. Eu sei disso, pois a minha mãe tem 4 gatos, que foram adotados num curto espaço de tempo, que se dão super bem. E eu tenho uma gata, que foi criada com um poodle, e ela aceita cachorros bem, mas não suporta OLHAR para outro gato. Ela até passou um tempo com a minha mãe, quando eu tive que mudar de cidade, mas a minha gatinha sempre ficava mal humorada, brigando até com a sombra. Mas agora aqui, com a casa dela, só para ela, ela mostra como é carinhosa e como ADORA ser a rainha da casa.
Se eu gostaria de ter outro gato ? Sim, é claro, pois eu me sinto culpada quando eu fico muito tempo fora de casa, mas ainda acho o stress DELA em ter outro gato por perto, muito pior do que do dela ficar sozinha, e ela já tem uma idade avançada, acho que seria maldade forçar ela a algo que ela já mostra que não gosta a vários anos.

Beatriz Levischi disse...

Bem-vinda ao Gatoca, Juliana! Tem bicho que prefere reinar sozinho mesmo. Seria ótimo se eles conversassem com a gente, né? rs

Nikki S. disse...

eu tenho um cachorro que foi filho único por muito tempo, até que resolvi dar um irmão gato para ele, peguei o mimo na rua e levei pra casa. ele não deu muita bola e no final das contas os dois se acertaram. mas o gato provocava muito o cachorro, e o pobre cachorrinho, velhinho, não tinha paciencia para dar atenção à um gatinho mimado e cheio de energia. até que um dia o 'nhu-nhu' apareceu aqui na garagem do meu predio, peguei-o, claro. no inicio foi complicado, quando eu saia, tinha que levar o filhotinho comigo, porque o mimo estressou mesmo. ele cercava o gatinho recém-chegado e armava emboscadas para ele, e além disso, ficou de cara virada para nós, eu e meus pais. mas isso não durou muito tempo não, uma semana e meia depois os dois já eram vistos dormindo juntos no sofá. e é assim até hoje, de vez em quando eles se estranham, mas 5 minutos depois já estão tomando banho juntos. hoje em dia eles se adoram, fazem tudo juntos e se distraem quando não tem ninguém em casa. fora que a quantidade de bagunça diminuiu também, porque agora que eles podem brincar entre si, não pensam mais em ficar rasgando papel ou derrubando coisas, quer dizer, não pensam mais TANTO nisso, hehe. é como eu sempre digo, antigos hábitos não se mudam facilmente, hehe. no final, todos agradecemos, principalmente meu cachorro, que pode ficar mais socegado no cantinho dele. mas eu ainda pretendo adotar mais um cachorro, assim que eu mudar de casa, e pelo menos mais um gato.

Beatriz Levischi disse...

Seu cachorro é um santo, hein, Nikki? rs

Cinthya Di Paula disse...

Obrigada, Beatriz. Graças a este post o Chaplin ganhou uma irmãzinha: a Amélie .
A adaptação está sendo feita conforme suas dicas. E os dois são tão doces que está mais fácil do que eu imaginava.

Beatriz Levischi disse...

Com esses nomes, a adaptação tinha que ser um sucesso mesmo. Parabéns pela segunda adoção! :)

Rachel disse...

Olá Beatriz,
Queria um animalzinho, mas como moro sozinha optei pelo gato (bem eu, q nunca fui com a cara deles). Adotei o Tunico. Queriam que eu ficasse com a irmãzinha dele tbm, mas eu só o levei pra casa na condição de poder devolvê-lo em até 15 dias se eu não me adaptasse. E... faz 3 anos que ele tá aqui, é um lindo e muito carinhoso.
Achei que ele tava muito carente e quando mudei de casa ouvi dizer que era o momento ideal de adaptá-lo com outro gatinho.
Resultado: adotei a Trica do Cats of Necrópolis. Ela é novinha, muuuito ativa e esperta, mas eles se amam. Agora tenho 2 corações batendo fora de mim, como vc disse em algum lugar por aí.
Amo muito tudo isso!

Beatriz Levischi disse...

Qual trica? A das meninas coloridas? :)

Diário Esmaltístico disse...

Qdo conheci meu marido, ele não gostava mto de gatos, aquele velho preconceito... Mas eu já tinha a Janis,minha bigode preta e branca, que se apaixonou loucamente por ele e vice versa... Ano passado, ganhamos o Bill, um laranjão tigrado, e até hj ele e a Janis não são melhores amigos! Esta semana chegou aqui em casa a Sophie, e já vi que ela e Bill serão grandes amigos, e até a Janis ranzinza está começando a gostar dela! Acho q os gatos amam a companhia da mesma espécie e isso faz mto bem a eles! E a casa fica mto mais feliz!! Adoro seu blog e me emociono um monte com as histórias... Um beijo!

Diário Esmaltístico disse...

Ah, e uma amiga minha que tem casa de passagem me falou a seguinte frase: quem tem 2 gatinhos cuida de 3! E é verdade!
Beijos, Nathalia

Beatriz Levischi disse...

Bem-vinda ao Gatoca, Nathalia! E obrigada pelo carinho. :)

Feito por Li disse...

Oi Beatriz!!! Seguindo seus conselhos, adotamos mais um bigodinho para alegrar nosso amoroso lar!!! Já tinhamos o Fidel, castrado e RUEIRO!!! Entretanto, quando chegamos com o Betinho aqui em casa, o Fidel não caiu de amores por ele não!!! Por algum tempo, Betinho foi ostilizado... mas nada como amor, carinho e muuuito mimo aliado a alguns dias não resolvesse esse impasse! Hoje a paz reina absoluta no lar da família Amâncio, um faz companhia para o outro, brincam, rolam, e o Fidel...pasme!!! Adotou o Betinho e cuida dele com muito carinho!!! O amor é Lindo!!!
Muito obrigada pela dica e gosto muito do seu blog!!!
Bjs...
Ligia

Feito por Li disse...

Ah?! quero acrescentar que: Ficou mais fácil manter o querido Fidel em casa já que agora ele conta com um amiguinho lindo para brincar!!!

Beatriz Levischi disse...

Parabéns pela adoção dupla e por praticar a posse responsável, Ligia. Lugar de bigode é dentro de casa. :)

Anônimo disse...

Olá meu nome é Luana .. então ..Tô chegando em casa , cansada e tals quando vi algo preto correndo e assutadoe bem pequenino .. logo pensei um rato .. não..não, veio então um vizinho e disse largaram ele aqui na rua .. não preciso dizer mais nada né...resumindo fui dormir a 1:00 da manhã ...e agora eu tenho a bola de pelo mais carinhosa do mundo , ele tãooo lindo ..rs.. mas tô preocupada ..
Ele está com diarreia e tem sangue junto como peguei na rua nem imagino o que pode ser , nunca tive gato .. que eu faço ?

Beatriz Levischi disse...

Corre para o veterinário, Luana. Filhotes são frágeis e podem morrer com diarreia.

Bia Vegan disse...

Olá,adorei seu blog parabéns por tantos filhos.Eu tenho um gato de 3 anos e quero outro gato más da última vez que tentei colocar outro gatinho em casa meu gato quase morreu de pânico não sei o que fazer ele odeia outros animais e ainda ficou a semana inteira sem comer direito,agradeço algumas dicas muito obrigado.bjs

Beatriz Levischi disse...

Gatos são territorialistas mesmo, xará. E dificilmente aceitam um "intruso" de primeira. Mas a adaptação é perfeitamente possível se você seguir essas dicas: http://blog.gatoca.com.br/2009/11/dicas-de-adaptacao.html.

Dani Pontes disse...

Realmente dois sao mto melhor que um!!! Alem de companheiros, amigos, irmaos... eles ensinam mto uns aos outros!!!
Alem de que a gente percebe ainda mais a diferença de personalidade deles!!!
Eu comecei com uma gatinha... casei e alguns meses depois ela morreu (peritonite infecciosa, comum em bigodes de rua...) Meu marido, que antes dizia nao suportar gatos!, me convenceu a adotarmos outra... a Sushi!!
Logo depois vieram a Teka e o Spock (que, alias, é um leaozinho igual ao Simba!!). Os 3 se curtem, brincam e brigam bastante tb!! Coisa de irmaos ne?!?!
Beijos, Dani

Anônimo disse...

Olá bom dia me ajuda por favor

Tenho uma gata fêmea de 3 anos ele ñ aceitas visitas, não e sociável, se chega alguém ela foge e volta apenas quando a visita for embora. Ela e castrada deste os 6 meses:
Bem o problema e que peguei uma gata filhote fêmea a cerca de 2 semanas, ela não bate na gata nem nada disso, mas não aceita o filhote, ela não entra mas dentro de casa, não come se a gata ta perto, só fica fora na lavanderia, roisna o tempo todo para outra se ela chega perto ou sente sei cheiro, não sei mais o que fazer para ela se adaptar, comprei uma caminha para ela pois ela não saia da maquina de lavar o que faço me ajuda por favor. meu email para resposta lidialili10@hotmail.com.

Beatriz Levischi disse...

É incrível o poder de transformação dos bigodes, né, Dani? Você acredita que eu também não gostava de bicho?

Lidia, dá uma lida neste post: http://blog.gatoca.com.br/2009/11/dicas-de-adaptacao.html. E vá mandando notícias. :)

Anônimo disse...

Estou nesse processo de adotar uma segunda filha, sou mãe da Valentina que fará três anos em ontubro, sempre achei que era muito cruel ela só conviver comigo e com outros, em alguns momentos, da minha espécie. Relutei muito em tomar essa decisão de adotar outro gatinho por pensar que não tenho espaço suficiente, por pensar que seria muito trabalho, por pensar que a Valentina não iria gostar, enfim, por pensar um monte de besteiras. Hoje vejo que é essencial para a saúde emocional dela que decidi que ela de fato terá uma irmã. Já encontrei uma gatinha, na realidade ela me encontrou, rs... Ela está sendo cuidada até ficar pronta para a adoção e enfim estaremos as três juntas, eu, Valentina e a Nega Fulô, esse será o nome dela. E vamos adotar muito!!! Beijos

Beatriz Levischi disse...

Parabéns pela adoção! Para facilitar a adaptação das meninas, siga as dicas deste post: http://blog.gatoca.com.br/2009/11/dicas-de-adaptacao.html. ;)

Renata disse...

Bom dia, Eu tenho uma gata de 4 anos que foi diagnosticada com stress por passar muito tempo sozinha. Então eu adotei outra gatinha de 2 meses há 4 dias. Mas a minha fica o tempo toda dura no chão olhando a menor e se a pequena se aproxima ela rosna ou da uns petelecos nela sem unha. Toda vez que ela bate na pequena eu brigo com ela mas não sei se estou fazendo algo errado. A veterinária disse que se em 2 semanas as duas não se acostumarem ela vai levar a pequena embora e eu não quero isso porque o problema de solidão da minha gatinha vai voltar e eu já me apeguei a pequena. Por favor, tem algo que eu possa fazer para ajudá-las ou como já fazem 4 dias realmente ela não vai se acostumar com a pequena? Obrigada

Beatriz Levischi disse...

Vão, sim, Renata. Quatro dias é pouco tempo para animais territorialistas como os gatos. E as meninas nem estão se matando. Dá uma lida neste post: http://blog.gatoca.com.br/2009/11/dicas-de-adaptacao.html. Como você já juntou as duas, concentre-se nos últimos parágrafos. E mande sinal de fumaça.

Renata disse...

Oi Beatriz,
Estou entrando para passar como estão as coisas aqui em casa kkk
Eu percebi que a minha gata maior faz um escadanlo enorme quando eu estou e bem menor quando esta o meu marido. A pequenina me adotou e corre atrás de mim na casa e quer dormir comigo.
Como a minha só esta mostrando os dentes e rosnando mas não esta machucando a pequena eu resolvi hoje deixar as duas soltas pela casa e a minha mãe vai de vez em quando olhar se esta tudo bem. Até agora ta tudo ótimo, inclusive quando a minha mãe entrou as duas vieram até a porta, uma doidinha correndo e a outra gordinha reclamando.
Demorando um pouco mais para elas se gostarem, mas pelo menos estão já ficando no mesmo ambiente.
Só espero não estar fazendo a minha Pipoca sofrer por causa da Luna.

Beatriz Levischi disse...

Ela pode estar sofrendo agora, Renata, mas vai se divertir muito mais depois.

Daniela Oliveira disse...

Eu tenho uma cadela York shire,e ela é muito mimada,mas sempre que vê um gato nao o quer atacar,quer apenas cheira-lo.E eu estou a pensar em ter um gatinho e tenho medo que ela fique má e ciumenta...como é que adapto a chegada de um gatinho??

Josy disse...

Pessoal, gostaria de saber na experiência de você qual é o tempo de adaptação para um novo filhote? Temos a Lili um gatinha (castrada) de 1 ano e 4 meses bem sociável com pessoas e recentemente adotamos o Tobby um gatinho de 2 meses. Estamos no segundo dia de adaptação e ela ainda está bastante agressiva com ele (barulhos, cara feia e tapas) por enquanto estou fazendo o contato progressivo entre eles, separando por um porta de vidro com dois dedinhos aberta. Será que devo fazer o contato físico entre eles desde de já?

Beatriz Levischi disse...

Não existe um tempo certo, Josy. Mas, se você seguir as dicas de adaptação, logo, logo Lili e Tobby estarão barbarizando juntos pela casa: http://blog.gatoca.com.br/2009/11/dicas-de-adaptacao.html.

Com cachorro eu não tenho experiência, Daniela. Mas imagino que o processo seja o mesmo, exceto no caso dos cavalões.

Renata disse...

Eu adotei o Thobias pq ficava em casa sozinha, logo recebi proposta de trabalho e na hora pensei: Thobias vai precisar de cia enquanto ficamos fora (eu e meu esposo), e adotei o Bruce, e Bruce um gato preto que ficou pra trás na adoção entre outros gatinhos, e ele foi fundamental para a felicidade dos dois. Pouco mais de 1 ano eu saí do trabalho fora de casa, e gostei da casa movimentada com eles dois, e arrumei o Snow, e mais uns meses depois peguei o Gary, e agora tenho o quateto fantástico em casa, amo demais a alegria, a correria, as brincadeiras...tudo... Moro em casa com quintal e muro bem auto, são castrados e não saem pra rua.

Beatriz Levischi disse...

Viva a posse responsável! \o/

Ana Paula disse...

Oi, tudo bem?? Sou gateira de primeira viagem... Tenho muuuita vontade de adotar um(a) companheiro(a) para minha gata... Adotei-a este ano, já adulta. Porém, moro em um quitinete, às vezes acho que é pequeno até mesmo pra nós duas, hehehe. Mas fico com pena dela se sentir sozinha... OBS: me preocupo tbm com a adaptação, pois o único espaço separado que tem no apto é o banheiro... penso em adotar um filhote, será que posso deixá-lo no banheiro enquanto eu estiver trabalhando, para a mais velha não atacar? Penso que isso seria tão cruel... por isso preciso de opiniões. Obrigada!

Beatriz Levischi disse...

Para um bicho que está passando fome, frio e medo na rua, sua kit pode ser um castelo, Ana Paula. Quanto à adaptação, dê uma lida nestas dicas: http://blog.gatoca.com.br/2009/11/dicas-de-adaptacao.html. Filhotes se acostumam rápido e não tem problema deixá-lo no banheiro durante o processo.

Anônimo disse...

Dois é melhor do que um, por isso adotei duas de uma vez. Um dia no caminho da praia surgiu a terceira, pobrezinha, atropelada no meio de uma pista movimentada. Aí numa certa madrugada meu pai me acorda pra ver uma coisa na cozinha. A coisa era um gato minúsculo que dava salto insanos tentando achar a saída. Ficou morando na garagem até que eu me mudei e consegui capturá-lo pra levar comigo. O bonito era gata e estava com gatinhos no bucho. Eu inexperiente em doação de gato não consegui dor os filhotes. Aí então tornaram-se 7. Até que uma gata abandonada no estacinamento do prédio seguiu o saco de ração que marido trazia do carro. 8 gatos agora. Claro que ela estava grávida e pariu 5. Consegui doar 2 apenas. Resultado, tenho 11 gatos. Todos castrados evidentemente. Mas claro que nada é tão simples. Fui transferida para uma cidade do interior e preciso viajar 460 km com esta multidão. Socorro!!!!!

Beatriz Levischi disse...

Você vai precisar de sorte. rs

Deliperi Makeup disse...

Oi... Eu estou querendo adotar uma gatinha... Eu ja tive um gato mas foi tao pouco tempo.. Ele fugiu... Ele fazia mtaaaaaa sujeira e miava demais, tadinho era muito carente... Dai agora eu tava pensando em ter uma femea, mas eu moro em apartamento, e o meu medo eh ela ficar miando quando ficar sozinha, foi onde surgiu a ideia de adotar duas femeas... Acho q isso resolveria o problema dos miados e choros neh? A femea faz menos sujeira que o macho ou isso naum tem nada a ver?
Se puderem responder eu agradeco desde ja...

Deliperi Makeup disse...

Oi... Eu estou querendo adotar uma gatinha... Eu ja tive um gato mas foi tao pouco tempo.. Ele fugiu... Ele fazia mtaaaaaa sujeira e miava demais, tadinho era muito carente... Dai agora eu tava pensando em ter uma femea, mas eu moro em apartamento, e o meu medo eh ela ficar miando quando ficar sozinha, foi onde surgiu a ideia de adotar duas femeas... Acho q isso resolveria o problema dos miados e choros neh? A femea faz menos sujeira que o macho ou isso naum tem nada a ver? Eh mais limpinha?
Se puderem responder eu agradeco desde ja...

Beatriz Levischi disse...

Gatos são os bichos mais limpos (para não dizer frescos) do reino animal. Bigode que não mia e não faz xixi e coco só de pelúcia. Dê uma lida nestes três posts antes de decidir sobre a adoção:

http://blog.gatoca.com.br/2008/04/dicas-para-cuidar-do-seu-gato.html

http://blog.gatoca.com.br/2011/09/voce-castra-de-graca-e-ele-vive-mais.html

http://blog.gatoca.com.br/2012/03/telas-2-motivos-e-11-empresas.html

Samantha?André disse...

Olá,
Eu e meu namorado adotamos um gatinha no fim de semana, ela tem mais ou menos 5 meses e nesses dois dias em casa ela mia o dia inteiro, acho q sente falta dos outros gatinhos com quem convivia no lar provisório...estamos pensando em adotar outro gatinho pois ela ficará sozinha o dia todo...pelo que li aqui será uma ótima idéia. Será melhor esperar ela se adaptar a casa ou adotarmos logo? Tanto faz um macho ou femea? (Ela é castrada). Origada!

Beatriz Levischi disse...

Tanto faz, Samantha. O importante é seguir as dicas de adaptação direitinho: http://blog.gatoca.com.br/2009/11/dicas-de-adaptacao.html. Por que vocês não adotam um bigode que já convivia com a pequena no lar temporário?

Ramiro Arce disse...

Minha esposa e eu estamos quase desesperados...
Adotamos um gatinho de rua há dois meses, ele tem agora 4 meses, é macho (Pepe). E há uns dias adotamos mais um gatinho que tem dois meses (Bob)... e menorzinho.
Mas, nesses dois dias, o Pepe va log a briga, mordendo com forza e tal. Por enquando o Bob fica no quarto de visitas, enquando Pepe fica doidinho querendo entrar nesse quarto para brigar. Ja vimos que , quando abrimos o quarto, Pepe logo come a comidinha e bebe a agua de Bob, até utiliza a caxina de areia...
SERÁ QUE ELES VÃO SE ENTENDER ALGUM DIA ?
--
Ramiro.

Beatriz Levischi disse...

Vão sim, Ramiro. Basta colocar em prática estas dicas: http://blog.gatoca.com.br/2009/11/dicas-de-adaptacao.html. ;)

Virginia disse...

Oi, quero adotar um gato, porém passo o dia fora de casa, fiquei preocupada como ele ficaria o resto do dia em casa sozinho. Minha casa é pequena, não sei se posso ficar com dois. Me ajudem meninas!

rafaela disse...

Olá pessoal! Qdo ainda namorava meu marido, adotamos dois lindos, Romeu e Mel com mais ou menos 4 meses de idade e esse ano farão 4 aninhos. Eles se amam mas Romeu é quem manda na casa..brincam, comem juntos, enfim, é o maior amor e as nossas alegrias. Moramos num apartamento pequeno e estamos de mudança para uma nova casa, bem maior por sinal e exatamente no dia de hoje 15/06 daqui a pouco vou buscar minha nova filha gata..rsrs..tem apenas 2 meses e a moça q está com ela não tem condições de ficar. Estou ansiosa e muito feliz, porém, com um pouco de medo da adaptação dos gatos q eu ja tenho..será q duas fêmeas se dão bem?? Embora esteja insegura das reações dos meus gatos, estou hiper feliz e já pensando no nome.

rafaela disse...

Oi Virginia! olha falo pela minha experiência, moro num lugar pequeno tbm e adotei dois bebês há quase 4 anos. Desde o início eles fizeram as necessidades só na caixinha de areia e eu e meu marido trabalhamos o dia todo. Normalmente gatos são calmos, carinhosos, companheiros e mega inteligentes, simplesmente me apaixonei por gatos! Acredito q tudo tem a ver com a forma que se trata o animal..os meus são extremamente carinhosos e apaixonantes.. adote sim q vc vai AMAR e se der adote dois pois ficam mais calmos e felizes, não esquece de castrá-los! Boa sorte!

rafaela disse...

Olá! Ambos faz necessidades de acordo com a alimentação, independente do sexo. Tenho um macho e uma fêmea e como adotei os dois juntos, nunca tive problemas com miados e sujeiras..sempre usam caixa de areia e dormem o dia todo enquanto trabalho fora..é bacana pois um faz conpanhia para o outro..é sóvc ensinar direitinho a fazer as necessidades na areia q eles se acostumam muito rápido! Boa sorte!

Beatriz Levischi disse...

Gatos que passam o dia sozinhos em casa sofrem menos do que os cachorros, Virginia. Mas a Rafaela tem razão: em dupla a vida fica muito mais divertida. Se você não quiser bagunça, é melhor adotar um adulto, porque filhotes esbanjam energia. E não se preocupe com o espaço. Os animais se adaptam às "adversidades" mais fácil do que a gente.

Para facilitar o entrosamento dos bigodes, siga as dicas deste post, Rafaela: http://blog.gatoca.com.br/2009/11/dicas-de-adaptacao.html.

Elaine disse...

Resgatei a Jade de um Pet Shop há uns três meses (ela deve estar completando 5 por agora). É uma gatinha SRD muito levada e agitada. A adaptação com o Leo não está fácil pois ela o provoca muito. Ele é um gato da raça British, muito calmo e dócil. Devido ao seu temperamento, o Lei acaba cedendo sempre, fora as tocaias que a Jade apronta pra ele. Durante a noite escuto rosnados, cuspidas e resmungos do Leo por causa das brincadeiras “truculentas“ da Jade.
O temperamento do Leo mudou...ele anda mal humorado e resmungão. Chegou a adoecer logo que trouxemos a Jade...coinscidência ou não ele teve infecção urinária uns dez dias após a chagada da Jade.
Às vezes penso em doá-la mas não tenho coragem....será que após a castração dela a relação entre eles melhora?

Beatriz Levischi disse...

Filhotes são ligados no 220 mesmo, Elaine. Se quiser dar paz ao Leo, adote outro gatinho para brincar com a Jade. ;)

Anônimo disse...

Ola,minha gata teve dois filhotes e depois de 3 dias morreu um,e depois de 2 dias que ele morreu o outro gatinho morreu,eu nao sei o motivo,nao sei se foi por ma formacao ou alguma coisa desse tipo,e a gata nao para de miar procurando eles...o que causou a morte e o que faco com a gata

Beatriz Levischi disse...

Só a necropsia poderia esclarecer. Quanto à gatinha, encha-a de mimos e, quando ela estiver melhor, castre para evitar mais sofrimento. Neste post tem os benefícios da cirurgia e uma lista de lugares que operam de graça: http://blog.gatoca.com.br/2011/09/voce-castra-de-graca-e-ele-vive-mais.html.

Anônimo disse...

Olá!
Eu tenho uma gatinha há um ano que encontrei na rua, debaixo de um carro. A gatinha é muito meiguinha, quer muitas festinhas e é linda. No entanto, é muito medrosa e como foi encontrada muito bébé e veio logo cá para casa, nunca deve ter tido contacto com outros gatitos. Por esse motivo, eu e meu companheiro resolvemos trazer-lhe um amiguinho e desde ontem que temos mais um bigodes, apenas com alguns meses. Mas, a adaptação não está a ser nada fácil e parte-me o coração. Eu sei que só passou um dia e meio mas, como descobri este blog, resolvi perguntar a vossa opinião.
O gatinho recém chegado é completamente diferente da gatinha residente. Ele veio de uma ninhada, conheceu pai e mãe e é muito brincalhão pois era o que devia fazer com os irmãos. Mas as brincadeiras dele, a loucura dele, assusta a minha gatinha residente que tem passado o tempo a bufar e a fugir. Ele com meses, faz coisas que ela nunca fez por medo e ela fica sentida com a sua presença. Será que é normal? Será que apesar deste começo atribulado eles vão ser amigos. O objetivo era trazer alegria à minha gatinha residente e parece que aconteceu precisamente o contrário.
Obrigada,
Magda

Beatriz Levischi disse...

É normal, sim, Magda. Gatos são territorialistas e resistem a aceitar "intrusos". Mas o processo de adaptação com filhotes não costuma demorar. Dê uma forcinha associando o pequeno a coisas boas: quando os peludos estiverem juntos, ofereça petiscos, faça carinho ou estimule brincadeiras. O que não mudará tão cedo é a animação do novato. Todo bebê saudável parece ligado no 220. rs

Anônimo disse...

A gata da minha vizinha deu cria na minha casa, quando vi os filhotes enlouqueci, todos eram muito lindos, mas, me apaixonei por um, olhei pra ele e pensei, esse é meu e vou chama-lo de Hugo, quando ele completou 1 mês + ou - apareceu outro gato aqui em casa, aparentava ter uns 5 meses, o alimentei e ele ficou, ele cuidava de Hugo como se fosse filho dele,carregava na boca, esquentava durante o sono... hoje eles estão enormes, mas ainda dormem juntos, quando estão na rua, e algum outro gato vem brigar com Hugo, Nino o defende de ferro a fogo e se mete no meio da briga, é engraçado, são fofos! E você tem toda razão dois são melhores que um, tenho um yorkshire e vou comprar uma fêmea logo logo. bjs.

Beatriz Levischi disse...

Nino pode ser um bom guarda-costas, mas na rua os gatos correm vários riscos: http://blog.gatoca.com.br/2012/03/telas-2-motivos-e-11-empresas.html. :\

Antes de comprar a yorkshire, aliás, por que você não visita uma ONG? Cerca de 30% dos animais abandonados é de raça, sabia? E adotando você não incentiva este comércio cruel: http://bichosemimospetshop.wordpress.com/2010/01/14/voce-faz-questao-de-um-cao-de-raca-pense-duas-vezes. :)

Sara Zinara disse...

Adotei o Chico a uns 20 dias. Muito sapeca e brincalhão. Então decidi adotar a Magali pra fazer companhia pq eu não tenho tanto pique assim rsrs. Acontece que ela é extremamente calma e dorminhoca, nem quer saber de brincar com ele. E quando ele tenta, ela fica nervosinha, sai correndo e se esconde. Será que deveria ter adotado um machinho? Estou com ela a 3 dias, é muito carinhosa, mas é preguiçosa demais enquanto o Chico vive ligado no 220...minha esperança é que ela entre no pique dele, com o tempo e que sejam amigos. Ambos tem 3 meses.

Beatriz Levischi disse...

Filhotes saudáveis são brincalhões, Sara (independente do sexo). Magali deve estar receosa com a casa e o amigo novos. Dê um tempo para ela se acostumar: http://blog.gatoca.com.br/2009/11/dicas-de-adaptacao.html.

Ândria Sacomory Floôr disse...

Eu e meu marido adotamos a Peach quando ela tinha pouco mais de um mês. Hoje ela está com 9 meses e meio e estamos percebendo que ela se sente sozinha... Passa os dias miando, parece que sentindo falta de alguma coisa, que infelizmente, eu não consigo identificar o que é. Acredito que esteja chegando a hora de adotar uma irmãzinha pra ela, mas tenho muito medo de como a Peach irá reagir, já que ela é MUITO tinhosa...
O que vocês sugerem?
Obrigada pela ajuda, gente :)

Beatriz Levischi disse...

A primeira coisa a fazer é descartar possíveis problemas de saúde, Ândria. Quanto a adotar outra gatinha, não dá para prever a reação da Peach (nem de qualquer outro animal). Mas a adaptação ficará mais fácil se você seguir estas dicas: http://blog.gatoca.com.br/2009/11/dicas-de-adaptacao.html. :)

Anônimo disse...

Olá a todos! Obrigada pelas histórias lindas que só dá vontade de adoptar mais membros da família.
Neste momento, tenho dois gatos. Machos!! Quando adoptei o segundo, ambos já eram adultos. Li imensa coisa na Internet, o que ajudou muito, mas tinha muito receio que não corresse bem. Demorou uns largos meses (cerca de 7/8 meses mais ou menos)... o nosso gato mais velho deixou de dormir connosco e onde estávamos, ele fica no lado oposto da casa. Toleravam-se mas não era a mesma coisa. Hoje o mais velho dá banho ao mais novo, brincam, brigam, voltam a brincar e estão onde estamos. Conclusão: às vezes precisam de mais tempo que nós, mas no final, tudo pode acabar bem :) Esta semana vamos adoptar o terceiro gato... gata desta vez!

Beatriz Levischi disse...

Paciência é o segredo. Boa sorte na segunda adaptação!

Canal do Gato disse...

Quando resolvemos ter gatos em casa, nunca pensamos em um só. Chegaram duas e 1 ano e meio depois a terceira. Ter três gatos em casa é muito bom e o gasto não aumenta muito o que aumenta é o amor.
Elas se dão bem e quando saímos para trabalhar o coração não fica apertado, porque sabemos que uma faz companhia para a outra.

Anônimo disse...

Que bom encontrar esse blog. Como a maioria absoluta de moças não fez fuzzz para o único moço aí em cima, acho que vão me aceitar também. (Brincadeira com o tema!)

Tenho um gato de 9 anos, castrado, já sozinho há 4 anos, pois a siamesa que eu tinha (não era a mãe dele mas o criou) faleceu aos 12 anos. A siamesa foi resgatada da rua quando tinha 3 anos e o gato foi doado por uma ex-professora minha cuja gata teve filhotes. Finalmente abri meu coração e tive coragem de procurar companhia para ele. Insisti que tem que ser filhote para a adaptação ser melhor.
Há alguns dias, fiquei por 24 horas com um gatinho filhote que, junto a outros pequenos e adultos, era de uma senhora que faleceu em junho. Mesmo estando todos para adoção, tive que devolvê-lo porque o filho dessa senhora não conseguiu se separar do seu preferido.
Meu gato rosnou, sibilou, mas não atacou de forma alguma. Na verdade, um estava curioso em relação ao outro, mas o mais velho tinha que mostrar quem manda! Acho que a adaptação não seria trabalhosa.
Uma das protetoras temporárias que contactei nos últimos dias a partir de um site de doação de animais me aprovou. Ainda não conheço a gatinha que escolhi, uma SRD de pelo semilongo, mas quero conhecê-la para que ela também possa me escolher antes de trazê-la.
No entanto, tive hoje a notícia de que ela entrou no cio. Portanto, não tem como ser uma filhotinha de apenas três meses, como divulgado. Não gostaria de ter que desistir dela por isso, mas estou com dúvida.
Abraços a vocês,
Romero.

Beatriz Levischi disse...

Os veterinários estimam a idade dos animais resgatados pela arcada dentária, Romero. Não dá para dizer com precisão, entende? Mas, aos 5 meses, a gatinha continua sendo filhote. Pode adotar sem receio. E, para facilitar o processo de adaptação, siga as dicas deste post: http://blog.gatoca.com.br/2009/11/dicas-de-adaptacao.html. :)

Anônimo disse...

Beatriz, obrigado pelo comentário e pelo incentivo. A gatinha já está comigo há uma semana e meia. Segundo a veterinária, tem cerca de 5 meses.
O meu gato de 9 anos fez o que tinha de fazer por instinto, mas com muita "gentileza" ao mesmo tempo, como ele é com os humanos. Apenas na primeira noite, deixei ela fechada em um banheiro (moro em apartamento). A partir daí, não tive mais que me preocupar com eles, porque meu gato é tranquilo mesmo. Em poucos dias, os dois já estavam brincando, ele sempre está bem curioso em relação a ela e fica o todo tempo vendo onde ela está e o que está fazendo.
Em suma, tudo na santa paz por aqui.
Romero.

Gláu disse...

Tenho a Emma, uma gatinha de 6 meses e a Charlotte, uma cachorrinha de uns 3 anos e meio... As duas se dão bem, a Charlotte é mt brincalhona e a Emma as vezes brinca, as vezes fica brava mas vive lá embaixo com a dog hehehe Acho que no fundo se amam mt. Agora estou querendo adotar mais uma gatinha e morrendoooooo de medo da Emma ficar enciumada pois ela é o baby da casa né hehehe

Beatriz Levischi disse...

Que bom, Romero! :)

No começo, Emma vai ficar bicuda, sim, Gláu. Mas logo passa, principalmente nessa idade.

Camilla Campos disse...

Oi Beatriz, adorei seu blog! Aqui em casa nós temos uma gatinha resgatada de quase dois a.nos e estamos querendo adotar um bigodinho novo ( só que seria uma bigodinho deficiente, porque como eu tenho toxoplasmose ocular estou buscando um bichano especial para crescer sendo criado como eu fui - com muito amor e com a ideia de que ele é perfeito mesmo sendo especial). O único problema é que minha mãe acha que só podemos adotar outra fêmea - porque segundo ela se adotarmos um macho eles vão querer cruzar. Nossa gata já é castrada desde pequena e o gato que quero adotar também será castrando - dai eu pergunto, o "medo" da minha mãe será verdade? Me conte sobre esse lado da vida dos seus bigodes, porque você tem muitos e deve entender disso!

Beatriz Levischi disse...

Alguns machos (adultos) podem apresentar esse comportamento após a cirurgia, porque os hormônios demoram um tico para sair do organismo, Camilla. Mas por aqui só passaram monges.