.
.

9.9.21

O Gatoca que vocês não veem!

Em tempos de pandemia e desgoverno, os ativistas brasileiros precisam repetir para si mesmos, do momento em que acordam até a hora de dormir, que suas ações provocam um impacto positivo — e olha que o noticiário sempre foi desempoderador! Às vezes, a gente só morre antes de ver. rs

Depois das férias forçadas do início do ano, eu voltei pronta para a briga. Intelectual, claro, porque meu peso não permite sequer doar sangue — e com a sabedoria da Lidice-Bá, ex-chefe que dizia para a gente não trazer problemas e, sim, soluções. Minha primeira reação ao ler a matéria da "Folhinha" sobre testes em animais, confesso, foi confrontar a cientista nas redes sociais.

Mas ela não mudaria de opinião por causa de uma jornalista que não financia suas pesquisas e focar nas crianças costuma render melhores resultados. Escrevi, então, para o José Henrique Mariante, ombudsman da Folha de S.Paulo, apontando os equívocos do texto, destinado a esse público, e a parcialidade da biomédica Laís Berro, além de sugerir fontes acadêmicas para contar o outro lado, porque ninguém precisa acreditar em mim.

Que laboratório tupiniquim exibe "O Rei Leão" para cobaia, gente?


Para ampliar, cliquem nas imagens

Para a minha surpresa, a editora da "Folhinha" Marcella Franco concordou. E prometeu uma segunda reportagem, ouvindo não só cientistas como defensores da causa animal — ainda avisou da antecipação da publicação em outra mensagem.


No sábado, fiz questão de virar Araçoiaba do avesso para comprar o jornal — e quem acabou encontrando a única banca da cidade foi o Leo.


Texto à altura da polêmica, com fontes bacanas que eu desconhecia e alguns colegas, adolescentes apertáveis botando a mão na massa e o selo "Todo Mundo Lê Junto", indicando o compartilhamento por responsáveis e educadores com a molecada. ❤️


Esse também amplia ;)

Dá trabalho — mais do que cancelar o povo no Twitter. Mas é um caminho sem volta. E começa no pequenininho.

*

O conteúdo do Gatoca é financiado por gente que acredita que o mundo pode ser melhor — aqui tem um resumo das principais ações do projeto. Quer fazer parte dos despioradores? Assine nosso clube no Catarse ou doe um cafezinho em forma de PIX: doacoes@gatoca.com.br

2 comentários:

Anônimo disse...

Concordo. Só se muda alguma coisa investindo nas crianças.
Parabéns por seu empenho!

Barbara Toledo disse...

É por essas e outras histórias incríveis que apoio o Gatoca há anos! ❤