.
.

11.9.19

280 km por dois sialatinhas

Se tem uma coisa que eu não faço com convicção é planilha de gastos. Temo que, ao constatar que a conta de jornalista-freelancer-ativista não fecha, as coisas parem de fluir — e, sabe-se lá Chicão como, até agora elas deram certo. Tendo isso em mente, terminei a conversa com a Gabriela Miyake decidida a buscar os filhotes desejados no DER, a favela do mutirão de castração do Gatoca.


Aqui, vale um parêntese duplamente explicativo: Gabi é filha de uma amiga de tantos anos que já virou um mulherão — estou tropeçando nos quarenta, minha gente! E o DER tem a protetora mais guerreira que conheci nestes 12 anos de jornada entre bichos.

Cida cresceu na rua e ainda menina levava os cachorros que se machucavam para o hospital de gente, convencendo as enfermeiras a tratá-los. Com o dinheiro do trabalho como diarista, castrou boa parte dos animais que perambulam pela comunidade e segue incansável na batalha contra o abandono. Fecha parêntese.

Valia cada quilômetro da viagem de Sorocaba a São Bernardo! Gabi e Filipe nos encontraram na rua do meu antigo apartamento, levando latinhas para a Cida, ratinhos para os bebês e guloseimas veganas para este ser sem luz, que não dividiu com ninguém.


E, de lá, a gente subiu as vielas de barro a pé — eu compartilhei a aventura nos stories do Instagram, que estão arquivados nos destaques (a ideia é fazer isso mais vezes, se vocês acharem bacana e a gente bater a meta da campanha no Catarse). Morfeu e Catita agora moram na Vila Mariana, onde já acumulam brinquedinhos e deram início ao processo de transformação de dois humanos.


A adoção deles liberou espaço para que Cida pudesse acolher esta bigoduda prenhe, que logo mais também precisará de uma família — vezes cinco ou seis ou sete. O ciclo do amor é infinito e não se abate com o noticiário.


O conteúdo do Gatoca é financiado por gente que acredita que o planeta pode ser melhor. Quer fazer parte do despioramento? www.catarse.me/apoiegatoca

3 comentários:

Unknown disse...

É isso aí Bia,sempre em frente que atrás vem gente.

Patrícia Sloi Urbano disse...

Essa Cida é uma grande protetora mesmo. Lindos esses bebês, tbem tenho uma Catita na minha vida.

Anônimo disse...

Por mais Cidas e Bias nesse mundão quase perdido...