.
.

2.2.22

Gato faz cocô fora da caixa e você já tentou de tudo?

Em 2015, eu pedi dicas a gateiras mais experientes para ajudar cocôs felinos a encontrarem o caminho de volta ao banheiro. De lá para cá, foram muitos vômitos nos almofadões, catarro nas paredes e alguns xixis (de infecção urinária) pelos cantos, mas do drama do cocô continuei livre. Acontece que muita gente escreve dizendo que testou as dicas do post e o perrengue persiste.

Espero, então, que este vídeo do Jackson Galaxy, especialista em comportamento, funcione. E deixo um resumo, já que está em inglês: ele explica que, em duas décadas e meia de experiência com bichanos, sempre que fazem cocô perto do banheiro, mas não dentro, existe um desconforto impedindo a aproximação.

Pode ser, por exemplo, o tapetinho que você colocou para não espalhar areia pela casa. Ou algum problema bobo de saúde não detectado pelo veterinário, como fezes duras demais por causa da ração seca, provocando dor ao evacuar, ou diarreia, igualmente desagradável, com a substituição rápida pela alimentação úmida.

Já se o "trauma" vier pela máquina de lavar nova, como o post antigo sugeria, resolve trocar a caixa de lugar. Mas, como gatos não gostam de mudança, é importante colocar primeiro uma caixa extra (provisória) em outro cômodo e, só depois de constatado o sucesso, levar a velha. Tudo beeem devagar.

Vale um comentário/compartilhamento pela elegância com que consegui ilustrar um post sobre cocô, vai?

4 comentários:

Pi disse...

Meu gato faz cocô do lado da caixa há sete anos. Ou seja, desde que ele era um bebezinho e começou a usar a caixa. Não tem nenhum problema de saúde, não tem problema com os locais que as caixas estão. Ele simplesmente prefere assim. Quando usa a caixa, dentro, ele não cobre nunca. Então, o jeito é catar, limpar, xingar e continuar a vida...

Giovanna disse...

Sem querer discordar dos especialistas, acho que tem o caso de pura safadeza :D. Uma das gatas de casa, desde filhota e hoje com 9 anos, só faz o nº2 fora das caixas (se ela esta na lavanderia, faz ao lado; se está no quarto, ela vai no box -onde tem mais 3 cxs - e faz no degrauzinho do box; se está no quintal, faz no cimento. E também nem tenta cobrir pq sabe que a besta aqui vai ter que limpar. Só que para o xixi, ela utiliza qualquer caixa proxima.

Anônimo disse...

O post está impecável!
Tenho uma que faz xixi na caixinha, sai e faz cocô ao lado.
Desde sempre

Unknown disse...

Com Nana Flor percebi alguns pontos (e faltam os outros 72, pq ela ainda caga fora na maior parte das vezes rs). Um é que ela gosta de pisar na borda da caixa pra fazer cocô, então se a caixa não tiver com areia o suficiente pra sustentar os 6kg dela, ela vira. Nana tenta, vê que tá instável, desiste e vai no chão. Outra é que ela não gosta de caixa coberta (provavelmente pelo mesmo motivo e tb pelo medo se ser encurralada pela Catarina ter ficado tão aprendido que ela continua sem ter por quê). O lance do patê é real, tb percebi isso ano passado. E tb tem o lance da "teoria do vidro quebrado" ser a "teoria do chão cagado" em nanaflorzês: se tiver um primeiro cocô ou o carimbo dele no chão, os outros cocôs seguintes tb vão se sentir convidados rsrs. Tô me dando conta aqui que eu virei analista de cocô nos últimos anos rsrs