.
.

21.2.18

Nunca duvidem do instinto felino

A madrugada de domingo foi tensa por aqui. Um grilo, aparentemente inofensivo, resolveu fazer serenatas de megafone e não deixou ninguém dormir. Sim, um grilo. A gente acendia a luz e o bicho emudecia. Era voltar para a cama que a cantoria enlouquecedora recomeçava. À noite, ouvi o infeliz esquentando os motores e decidi encontrá-lo nem que fosse no inferno.

Atravessei Chocolate olhando vidrada para o trilho da porta de vidro, me perguntei como ela podia errar tão feio a origem do cricrilar e dei início à caçada no jardim: vaso por vaso, embaixo de cada folha da horta, entre os galhos do pinheiro e da primavera. Nada. Na segunda investida, mais tarde, a lanterna do celular iluminou sem querer a porta e os olhinhos reluziram junto com o insight.

O grilo estava dentro de casa! Escondido no pedaço do trilho que adentrava a parede, como Choco havia descoberto horas antes. E foi preciso uma força-tarefa de três pessoas para conseguir levá-lo vivo até o matinho da calçada, onde o cortejo cumpriria seu objetivo e nós poderíamos descansar com música ambiente, não hardcore.

Nunca duvidem do instinto felino. Mesmo que eles lembrem bichinhos de pelúcia.

4 comentários:

Nathifa disse...

O cricrilar realmente incomoda! Mas os gatinhos sabem mesmo onde estão os "intrusos"... Aqui no interior os cães avisam sobre outros cães que não são da matilha e pessoas estranhas e aos gatos sobra o anúncio das cobras... Se tem mais de três gatos reunidos, pode contar que uma rastejante está por ali! Meeedooo! hehehe

Anônimo disse...

Disto sei bem. Inclusive dos fantasmas que eles enxergam no quarto...
Regina H

Mara disse...

Por aqui já oconteceu coisa parecida. Eles percebem coisas que nós nunca conseguiríamos descobrir.

Marina Kater-Calabró disse...

HAHAHAHAHAHAHA!

só você mesmo para, com uma dezena de experiências felinas, duvidar do olhar certeiro dos gatos!
eu não penso nem meia vez: se uma delas estiver encarando uma parede, canto ou trilho de porta, sei que tem bicho ali!