.
.

10.5.16

Convivência em harmonia

Eu coloquei Margarida, ainda filhote, para fora do apartamento três vezes. Ela sempre voltava ao banheiro, onde vivia a coleção de insetinhos que a gente não tinha coragem de matar. Um a um, eles foram desaparecendo. E Margarida aparecia à noite, quando os gatos dormiam inofensivos no outro extremo da residência. Até que sumiu também.

Semanas depois, a encontrei gigante, de dia, no teto da sala, para a completa indiferença dos bichanos. Margarida poderia morar em uma casa com jardim, mas prefere ficar aqui. Eu poderia usar inseticida, mas prefiro a Margarida. Os bigodes... ah, os bigodes são os bigodes, né?

(Sim, lagartixas engolidas causam platinosomose se portarem o parasita da espécie Platynosomum sp. Besouros também. Aranhas e abelhas são ainda mais perigosas, por causa do veneno ― aqui tem um texto bem explicadinho. Prefiro, então, caprichar na ração e dar um troco para a neurose comprar jujubas.)

3 comentários:

Mel disse...

Mudei para um ap térreo e fiquei muito neurótica nas primeiras semanas!!! Depois de uma lagartixa ter ficado com o rabo cotó e eu ter vigiado o autor da amputação por dias, relaxei. Ao que parece elas e eles também! Os peludos estão nem-aí para elas agora. :)

Madame X disse...

Tenho pavor de insetinhos e afins. Manolo cisma de comer aquelas borboletas estranhas, as escuras...Qdo aparecem,Argh!ele abocanha e depois ainda mia desesperado querendo mais.
Será que é caso grave? rs
Bj
Paty, Lola e Manolo.

Anônimo disse...

Já encontrei várias vezes lagartixas pela metade...