.
.

17.4.14

Delivery canino

Eu podia ter faltado ao almoço de nove décadas do meu avô, ao encontro das meninas que estudaram no Sapiens, ao chá de bebê de uma amiga querida, ao jantar de aniversário do Jubão ― que ainda me pediu de presente o bolo com pedaços de chocolate de quando tinha 16 anos. Mas jamais deixaria de ajudar um animal a ganhar sua segunda chance.

Tudo começou com um cafuné tarde da noite, na Vila Mariana. Tina seguiu Gabi animada até o apartamento e cruzou a porta de entrada como se fosse de casa. Gabi é filha da Lilian, a chefe que me suportou com 18 anos e, mesmo morando em Santos, continuou presente. Eu a vi crescer, comemorei a aprovação na USP e fiquei surpresa quando ela me escreveu contando da cadelinha.


Sem pensar meia vez, ofereci uma carona até a praia, onde a peluda teria mais chance de adoção, porque os imóveis ainda escondem quintais. Entre o almoço comemorativo do seu Domênico e o encontro das amigas de escola, busquei as duas (e o Thomas, colega de quarto da Gabi) em São Paulo, ganhei um vômito no vestido, blusa e carro, e entreguei todo mundo no Gonzaga.


Tina sorria para a gente o tempo inteiro, como se agradecesse, sem saber que, a cada vida salva, nós levamos muito mais do que damos.


E o final já foi de comercial de margarina, porque Capitu, a labradora bebezona da Lilian, adorou ter uma parceira de brincadeira e a pequena acabou ficando por lá mesmo. :)

7 comentários:

Elaine PB disse...

Mas que lindinha essa cã!! que sorte ela teve!! Felizes os dias em que todos o farão pelo bem da humanidade, por que sim..: eu acredito que eles só existem para nos darem a chance de sermos melhores pessoas!! Beijos pra todos!!

Fernanda Dias disse...

O que você acha que aconteceu? Lágrimas.

Gabriela Miyake disse...

AAAAAAAH! Que lindooooooo, Bia! Amei! Fiquei muito feliz :) Além do dom da escrita, vc tem o dom de ajudar animais e pessoas. Nem acredito que vc conseguiu, no meio de tantos compromissos, nos ajudar (e ainda ganhar um vômito de presente). Quando vc e o Leo estiverem livres, estaremos esperando os dois para um almoço, ok?
Muito obrigada, Bia!

Vânia disse...

Ai, Bia, não acredito q vc esteve tão pertinho e eu não te conheci pessoalmente...mas acho q não daria muito certo...eu já ficaria vermelha, com a cara inchada querendo chorar, só de te dar um abraço...rsrs Parabéns por mais uma vitória!

Beatriz Levischi disse...

Almoço com nhoque, Gabi!

Em vez de chorar, as pessoas costumam comentar que eu sou magrela, Vânia. rs

Anônimo disse...

santa Bia de Calcutá...sempre fazendo o bem...mesmo sem querer...e eu acharia muito bom se as pessoas comentassem q eu sou magrela...mas infelizmente não e o meu caso...mas vc e a magrela mais fotogênica q eu conheço...e também a q tem o maior coração de pudim...DA GATEIRA DE CURITIBA><JAMILE

Beatriz Levischi disse...

:*