.
.

19.5.11

Táxi cat

Tremelique foi resgatado pela Susan, do Adote um Gatinho, e precisava de carona para ir ao neurologista durante a semana, em horário comercial. Como os jornalistas freelancers sempre podem trabalhar de madrugada, eu me ofereci para fazer a travessia São Bernardo-Vila Mariana-Campo Belo. Agora, o pretolino passará por exames para diagnosticarem a causa da tremedeira.

O objetivo deste post é mostrar aos corações de pudim novatos que existem muitas formas de ajudar (um prato de comida, uma caixa de remédio doada ou um banheirinho emprestado mudam vidas). Escolham a sua – e compartilhem nos comentários. ;)

10 comentários:

Jon Levischi disse...

E mais uma vez a Bia larga todo o trabalho aberto sobre a mesa para prestar socorro a mais uma bolinha peluda...
=^.^=

Amor e Miados disse...

bia eu costumo dizer que a unica coisa que não vale é ser inutil :)

tomara que o gatinho possa ese recuperar logo!

Mi GM disse...

Acho q nunca vou esquecer da primeira bolota q tirei da rua e arrumei um lar.. Poder ajudar com o pouco que se tem.. pra eles é muita coisa.

Marina disse...

Bia, tenho remédios (como Meticorten) e vitamina B que minha gatinha não usa mais, foram todos comprados em fevereiro desse ano. Onde/como posso doar pra vocês? :)

bellaeosdiasdecao disse...

É isso mesmo, de cada gesto se constrói coisas boas: uma carona aqui, um remédio acolá, um pacotinho de ração, uma participação nas rifas, uma manhã de sábado no mutirão do banho, sempre podemos colaborar de alguma forma! Boa sorte pro Tremelique!

Celene disse...

Pena que eu moro no Rio. Talvez tenha alguns remédio para doar... Já participei de algumas rifas e doei remédios para o Projeto 4 patinhas..

Beatriz Levischi disse...

Você é de São Paulo, Marina?

Celene, continue ajudando as ONGs do Rio. Os gatinhos cariocas também precisam. ;)

Andreza Zanre disse...

Bia, já descobriram o que o pretolino Tremelique tem?
Ele está precisando de algum medicamento, ajuda ou algo do tipo? Só não ofereço um lar temporário pq minha casa ainda não tem telas nas janelas.

Bjos!

Marina disse...

Sou sim, Bia! Inclusive já adotei um gatinho com a AUG..

Beatriz Levischi disse...

Só agora eu vi que colei a resposta no post errado. Aí vai de novo (rs):

Nenhuma das suspeitas de doença do Tremelique é fácil de diagnosticar, Andreza. Mas o veterinário continua pesquisando.

Marina, a Susan disse que você pode deixar os remédios na Drª. Angélica: R. Estado de Israel, 46, Vila Mariana, de segunda à sábado, das 9h às 17h - se você preferir enviar pelo correio, o CEP é 5081-2751.