.
.

22.7.16

Paranapiacaba calling

Gente bacana vai a Paranapiacaba para curtir o fog londrino, sem pagar o chocolate quente em libras. Canalhas vão a Paranapiacaba para abandonar animais em meio à neblina, sem serem reconhecidos. Os meninos que tomam conta do estacionamento na beira da estrada falaram que é comum carro parar, abrir a porta, desovar bicho e ser perseguido pelo coitado até a força acabar.

Desorientados, eles vão se acumulando na vila, dependendo da compaixão de estranhos para não passar mais um dia de barriga vazia.


Na parte alta, uma avó benzedeira se divide entre os cuidados com os moradores do orfanato desativado e as dezenas de cachorros com doenças variadas. Na parte baixa, os donos das lanchonetes dividem os restos da comida dos turistas com mais um monte de animais famintos.


Nossa ideia era levar casinhas para amenizar o frio, mas nem essa ajuda pudemos dar porque a vila é patrimônio histórico e precisa de autorização até para retocar a pintura desbotada dos bancos de madeira. O último mutirão de castração realizado pela prefeitura completou três anos e o abaixo-assinado da comunidade por melhores condições a bípedes e quadrúpedes foi solenemente ignorado.


No Festival de Inverno de 2015, em vez de resolver o problema, dizem que o Centro de Controle de Zoonoses de Santo André ameaçou retirar os bichos errantes com a "carrocinha", prática proibida pela lei nº 12.916, desde 2008. Vanessa Vertematti, Leo Eichinger e eu distribuímos toda a ração do porta-malas e voltamos para São Bernardo com gosto de impotência na boca.


No dia seguinte, acionei o CCZ para perguntar se eles planejavam alguma ação no local e sugerir que somássemos esforços. Dr. Ricardo me passou o contato do Robson Lopes, na vigilância sanitária, que saiu de férias sem retornar minhas ligações. E lá me instruíram a procurar a assessoria de imprensa, que devolveu a batata quente ao CCZ, acrescentando na mensagem a Secretaria de Gestão de Recursos Naturais de Paranapiacaba e Parque Andreense.

Quase um mês depois, porém, sigo falando sozinha. Quem topa engrossar o coro? É só mandar o link deste post para: santoandre.rtgcz@gmail.com e rolopes@santoandre.sp.gov.br, escrevendo no assunto: "Informação sobre Paranapiacaba e proposta de parceria". Espalhem também para os amigos! A imagem abaixo precisa mudar.

15 comentários:

Anônimo disse...

Acabo de enviar mensagem nos dois emails. Espero que os leitores do Gatoca se sensibilizem e façam isso. São dois ou três minutos que podem fazer a diferença.

Anônimo disse...

Gente, não adianta ficar com pena.
É preciso atitude!
Uma mensagem nos emails disponibilizados pode fazer a diferença

Anônimo disse...

Gente boa leitora do Gatoca, vamos colaborar.
Basta uma mensagem nos e-mails acima.

Anônimo disse...

Vamos cobrar uma atitude. Vc só precisa de dois minutos...

Renata Gödke disse...

Pronto! Emails enviados. Agora é torcer pra que o melhor aconteça!

Anônimo disse...

Sugiro o Ministério Publico, uma vez que os animais são tutelados pelo estado.
O que me diz?

Celina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Mandei email espero que leiam e tomem alguma atitude. Se não receber resposta mando de novo. Vamos aguardar.

Anônimo disse...

Que cenas deprimentes.
Vamos lá pessoal, se cada leitor enviar uma mensagem, acredito que alguma coisa será feita.

Anônimo disse...

Enviados!;)

ValLindinha disse...

Bora "spanificar" a caixa de email deles! \o/

Juliana Ripoli disse...

E-mails enviados.

Anônimo disse...

Abandonar animais é crime federal e dá cadeia. Mas, primeiro precisa ser feito um Boletim de Ocorrência na Delegacia do bairro.

Anônimo disse...

fui na Vila esse domingo 31 de julho 16 e fiquei chocada. se soubesse que eram tantos tinha levado mais raçao. canalhas dos infernos que desovam seus animais como se eles nao sentissem frio e fome.
enviei email para o Ricardo Tripoli- deputado Federal, a sorte está
lançada. Por aki vou dar meu jeito de chegar mais ração. opção petlove

cris do simplão disse...

queridos, eu sou a Cris do Simplão, e tenho um camping/pousada há 8 km da vila, o "Simplão de Tudo". Toda semana os mochileiros que vem pela estrada, da vila até o Simplão, são seguidos por 1, 2, 5, 6 animais, que chegam no Simplão morrendo de fome, cheio de doenças horríveis, alguns em carne viva... situação terrível ... nós damos alimento, curamos suas chagas,mas não podemos ficar com eles, então os devolvemos à vila...já tentei ajuda em tudo quanto foi órgão público, mas infelizmente ninguém faz nada, é um absurdo que só faz aumentar. Recentemente recebi do google uma péssima avaliação por ter no sitio animais mal tratados, desnutridos e doentes, duro é fazer essas pessoas entenderem que eles só vão até lá porque sabem que lá serão alimentados e suas doenças tratadas... estamos juntos na indignação, pena que não enxzergo nenhuma solução das 'autoridades INcompetentes...