.
.

8.2.10

Escolhas

Quando a Lilian me escreveu interessada em adotar o Jacob, eu sabia que ela morava num "apertamento" e tinha uma gatinha geniosa. Mas achei que a estabilidade financeira e o carinho que a família demonstrava pelos peludos eram fatores mais importantes. Pensei com a cabeça de gente, não de bicho. Pelo menos não de Jake.

No fim de janeiro, veio o e-mail arrasador: o tigrinho ronronante se transformara num monstro e passou a distribuir arranhões gratuitos. Precisei buscá-lo no sábado, sem imaginar onde enfiaria o bigode extra. No quarto da Bolota, mesmo que a gorducha voltasse a dormir comigo, ele dificultaria o acesso ao banheirinho da Flea.

Havia ainda o receio da criatura fugir pelo corredor do fundo de novo, já que não poderia mais tomar sol no jardim de inverno. Sorte que a Suzeli mora numa casa com quintal e aceitou trocar o Snow (que não faz tanta questão de espaço) pelo gato selvagem – nós só teríamos de instalar uma porta de alumínio para impedir que o McGyver escapasse pela garagem da tia dela.

Assim que saiu da caixa de transporte, Jake cheirou a cama do Lucas, comeu meia lata de ração em pasta e se esticou no pé do Gabriel, que nerdeava no computador. De madrugada, Suze contou que ele deus umas arranhadas na porta, para se livrar da sauna, mas acabou deitando resignado com os meninos. E de manhã rolou até brincadeira de cordinha. Nenhum ataque fora registrado nas últimas 48 horas.

É tão complicado decidir por outra vida... E os erros pesam um mundo. :\


P.S.: Quem quiser participar da vaquinha da porta (R$ 240), basta escrever para bialevischi@yahoo.com.br. Ou comprar um número da rifa lendária. As despesas com o Jake continuarão a cargo do Gatoca, aliás.

9 comentários:

Bruna disse...

Ainda não me conformo como as pessoas tem a coragem de DEVOLVER os bichanos pra você, que terrível isso,já passei por experiência bem parecida e não precisei devolver nenhum dos dois bichanos, mesmo porque teria que devolvê-los para a rua, que foi onde peguei, sabe quanto tempo demorou para os meus dois gatos se acostumarem juntos? 6 meses!!! E olha que eu já tinha perdido as esperanças de eu dia vê-los juntos, e a fêmea virou uma onça esses 6 meses, não podiamos nem encostar nela. Mass com muuita paciência e noites em claro, tudo se resolve... fico muuito triste com essas coisas.

MOK-C disse...

eu sei que deve ser difícil quando dois seres não se bicam. mas tenho muita curiosidade de saber o que essas pessoas fariam se tivessem dois filhos que brigam todo o tempo [como é muito comum]... devolveriam o primeiro pra maternidade? ou o segundo? ou colocariam logo os dois num orfanato e teriam sossego pro resto da vida?

aguenta aí, Bia. aqui ta tudo meio apertado ($), mas mês que vem eu te ajudo. prometo prometido!
beijoca.

Bella disse...

por 6 anos, tivemos duas cadelas que se odiavam (ainda não escrevi sobre elas no Dias de Cão). E a novela só teve fim quando uma delas morreu de velhice. Devolver ou passar para frente nunca foi uma opção, elas eram nossa responsabilidade! Vamos recomeçar a divulgação do tigrinho, para ele encontrar um lar amoroso e paciente.

Veronica Gregório disse...

A Patricia me contou que o Jacob tinha sido devolvido e fiquei arrasada. Quando achamos que está tudo bem, acontece algo inesperado. a Pati também me disse que inclusive ela já dotou outro gato!!! Espero que ela não faça a mesma coisa com o novo morador...

Anônimo disse...

Eu também fico pasma com isso ! Não sei se tive muita sorte até hoje, mas nunca tive nenhum caso de gatos que ficaram inimigos para sempre. Claro que em alguns casos a adaptação demorou mais, rolou algum stress, algumas noites maldormidas, mas todos, sem exceção, acabaram tranquilos juntos. E olha que tenho 32 anos e sempre tivemos gatos e cachorros na casa da minha mãe (e agora que casei, na minha também, claro!) desde que me conheço por gente. Não entendo isso de devolver o bichinho. Não gostaria de fazer um julgamento precipitado, mas para mim parece que faltou um pouco mais de paciência e comprometimento da parte da ex-adotante. Mas fique firme, menina, logo alguém realmente responsável aparece pra adotar o fofo do Jacob. Um beijo !

Carina

rose de cássia disse...

Desejo do fundo do meu coração que o Jacob arrume uma família de verdade, que tenha paciência com seu jeito, que o acolha e esteja disposta a amá-lo como ele é.
Sorte Jacob, vc ainda será muito feliz!

Gata Lili disse...

Você faz o melhor por eles! eles sabem disso!

Vivian Fiorio disse...

Como uma espécie de conforto, costumo pensar que se devolveram é pq não mereciam a presença dele... Vamos torcer para ele encontrar uma família digna de sua companhia!

Felina disse...

já passei por isso tb 2x, com uma cadelinha e a última uma gatinha, a pessoa tem um gato de raça, que não se move e ficou em choque com um filhote de frajola, me devolveu em menos de uma semana, mas felizmente apareceu alguém mto bom e hj ela é feliz, Jacob vai ter sua família linda tb, tenho certeza.
Lya levou um ano pra se deixar tocar e não brigar com os outros gatos e a cachorra da casa, td cheia de problemas de pele, mas nunca nem cogitei em devolvê-la, até pq seria pra rua, amor nunca é fácil, exige doação.
boa sorte para vocês.