.
.

27.2.08

Igreja Universal do Reino de Bia

Acabei de surpreender Pimenta com uma lagartixa na boca e emagreci dois quilos perseguindo a peste pela casa, até fazê-la largar. A sortuda, provavelmente recém-caçada, saiu correndo incrédula, de rabo e tudo! Já posso imaginar os milhões de répteis espalhados pelo mundo, de terno puído e bíblia suada, lotando os templos da Igreja Universal do Reino de Bia para ouvir o testemunho da bispa sobre o milagre ocorrido no dia 27 de fevereiro de 2008 (e processos contra jornalistas serão terminantemente proibidos!).

15 comentários:

Anônimo disse...

Realmente, viva e ainda por cima com rabo é mesmo um milagre! Salve, irmã!
Beijo,
Juliana.

Bine® disse...

Que a lagartixa tenha terminado viva até vai, mas com o rabo intacto...isso é um sinal do senhor ! Aleluia imãos ! rsrs

Ana Paula disse...

Que eu tenha a mesma sorte para salvar a próxima lagartixa que a Minhau achar.
Ontem vi uma cena engraçacada e me lembrei do gatoca: a Minhau estava pulando na sala de um lado para outro. Depois de um tempo, percebi que ela estava perseguindo uma perereca e cada vez que tentava se aproximar dela, a perereca pulava e a Minhau pulava atrás.
Por sorte, após alguns minutos de diversão para uma e aflição para outra, o bichinho conseguiu escapar das garras:)

beijos, ana

Dani Flosi disse...

Beatriz, coloque mais fotos do Simba!
Ele é tão fofo com essa cara de alegre desconfiado rs
Bjos!

Anônimo disse...

oi bia,
comigo tb já aconteceu!! mas a lagartixa já tava morta,e era enorme, eca!! e os gatos brincando com ela como se fosse peteca!!e eu tenho HORROR a lagartixa. eu não fico em nenhum lugar que tenha uma, viva ou morta!! nesse dia, eu peguei a lagartixa com uma luva e coloquei no lixo do lado de fora do apartamento!!

Lina Gatolina disse...

Não mude as leis da natureza, irmã. Gatos são caçadores e lagartixas são presas.
Deixa a menina se divertir com a lagartixa... esta espécie não está em extinção hahaha...

Denise

yone disse...

Fora que as lagartixas são "venenosas" para os bigodes!! todo cuidado é pouco!

Beatriz Levischi disse...

Ana, onde você mora? Aqui em Gatoca, graças a Deus, nunca apareceu uma perereca.

Semana que vem eu escrevo algo sobre o Simba, Dani. Pode deixar.

Denise, nós interferimos nas leis da natureza quando decidimos domesticar os animais e nos apossar (de forma irresponsável) dos recursos que ela oferece. Com Royal Canin à vontade, nenhum Gatoqueiro precisa de lagartixas. Quem escreve é uma vegetariana convicta, a caminho do veganismo. rs

Que parte da criatura, exatamente, é venenosa, Yone? Pergunto porque os bigodes parecem já ter provado todas.

Ana Paula disse...

Em razão do meu trabalho, moro em uma pequena cidade na região noroeste do Rio Grande do Sul com 18.000 habitantes. Então, isso explica o aparecimento repentino de pererecas (bem pequenas) e raras lagartixas.

abraço, ana

yone disse...

Oi BIa, vai abaixo texto da Dra Luciana Deschamps, publicado na revista " Pulo do Gato:

"Existem muitos agentes infecciosos associados a distúrbios hepáticos em felinos, incluindo vírus, bactérias, fungos e parasitas. Entre os parasitas, o platynosomum concinnum é a fascíola hepática mais importante nos gatos - trata-se de vermes achatados, que são encontrados em regiões tropicais e subtropicais.

A infecção por esse agente se dá através da ingestão da lagartixa. As infecções em geral podem ser mais brandas, causando uma discreta anorexia, contudo, se a infecção for maciça, irão ocorrer sintomas como: icterícia, cirrose, diarréia, vômitos, podendo levar o animal à morte.De uma maneira geral, os gatos apresentam esses distúrbios biliares, além dos sintomas citados, podem, ainda, ter dor abdominal, febre e perda de peso.

Se o seu gato tiver acesso a locais que tenham a presença de lagartixas, observe se existe interesse da parte dele em brincar, tentar caçar, matar e, enfim, ingeri-las. Caso isso ocorra e seu animal apresentar algum dos sintomas descritos, procure orientação do seu veterinário Alguns testes laboratoriais podem contribuir para se chegar a um diagnóstico, como, por exemplo, um hemograma completo, no qual deverá indicar, na maioria das vezes, caso seu gato esteja infectado, uma eosinofilia (aumento do número de eosinófilos,que fazem parte da série branca ), uma perda sangüinea intestinal, etc.

Já os testes bioquímicos vão apontar um aumento das enzimas do fígado, como por exemplo, a fosfatase alcalina. Se tiver que optar por um raio-X ou um ultra-som, escolha a segunda opção, que é mais confiável para avaliar as estruturas biliares. Por outro lado,em relação ao tratamento do Platynosomum, existem muitas controvérsias, pois é um agente extremamente difícil de ser eliminado definitivamente.

Convém frisar que esse agente é muito perigoso e muitas vezes o diagnóstico torna-se difícil, se não houver a informação de possível contato do gato com lagartixas."

Beatriz Levischi disse...

Por acaso, Ana, nessa cidade as ruas são arborizadas, todo mundo se conhece e as crianças brincam de bola sem medo da violência? Se a resposta for positiva, juro que não me importarei com as pererecas. :)

Obrigada pelo texto, Yone! Agora, vou ficar ainda mais alerta com os hábitos alimentares duvidosos da Pimenta! rs

Ana Paula disse...

De maneira geral, é bem como descreveste. Volta e meia, cumprimento alguém que nunca havia visto antes e sou correspondida. Por enquanto, tem mais furto do que roubo, o que já é uma grande coisa se comparada aos grandes centros. Pelo menos não preciso me preocupar em ter uma arma apontada para mim no meio da rua.
E a Minhau cuida da presença de estranhos com sua audição super acurada. :)
abraço, ana

Beatriz Levischi disse...

Ai, que inveja, Ana... :)

Guiga disse...

Oi Beatriz! Caí aqui da pára-quedas e amei! Sou muito gatófila, protetora e vegetariana tb! :D
Já salvei muitas lagartixas aqui em casa, mas nunca consegui salvar seus rabos! Hehehe!
Teus gatos são simplesmente maravilhosos!!!!! Lindos!!!
Vou visitar sempre! Acostume-se! ;)
beijão!

Beatriz Levischi disse...

Bem-vinda ao Gatoca, Guiga! E obrigada pelo post. :)