.
.

2.2.08

Esqueletinhos: tudinho-num-montão-no-fim-do-ano

Deixei as notícias sobre esqueletinhos* da dona Lourdes acumularem por causa de uma contratura muscular, uma pomba com a cloaca prolapsada e um sanhaço filhote suicida. Ainda bem que o feriado de Carnaval existe (e que no meu bairro só moram velhinhos!).

Tricolores ao cubo

No dia 25, como dona Lourdes havia me prometido, Susan resgatou a família tricolor nascida no armário das baratas. Eles estão hospedados com a Mariana Bellegarde, por causa da superlotação (e das viroses) dos nossos lares.



Las cucarachas

Cansei de escrever que o cortiço é infestado de baratas, né? Nessa mesma sexta-feira, Susan teve o prazer de visitá-lo à noite e contou que não dava nem para ver o fundo dos potes de arroz, de tanta cascuda! Elas haviam tomado as paredes, o teto, despencavam em cachos para todos os lados. Eis que a velha resolve matar uma branca e ainda explica que não gostava delas porque devoravam as pretas: "Eu morro de dó, sabe? Elas levam uma vida miserável em busca de abrigo e comida". ?!?!

Castração em massa

Dia 30, rolou uma verdadeira "operação castração" no cortiço. Dona Lourdes separou cinco machos, já que um havia fugido. As três fêmeas ela jurou serem operadas.

Dirigi até a clínica veterinária com o nariz tampado, porque dentro das caixinhas de transporte havia uma mistura de cocô, ração e pedaços de salsicha. Isso mesmo: a maluca encheu o povo de comida antes da cirurgia. Para evitar que tivessem um treco, Drª. Angélica deixou-os por último e Susan acabou abrigando-os em casa. Não dava para devolver todo mundo bêbado da anestesia num sobrado sem porta para a rua, né?

Na manhã seguinte, a velha fez questão de comentar com as meninas que eu estava um amor. Chamei seu nome quando cheguei, peguei os esqueletinhos e me despedi sem dizer mais que três palavras. rs


Coração de melão

Dos cinco castrados, Susan acabou ficando (mesmo sem poder!) com o tigrado e o frajola. Um outro frajola, de quem ainda não temos foto, sequer saiu da clínica. E o amarelo e o da manchinha no nariz, infelizmente, voltaram para a dona Lourdes. Restam, portanto, seis gatos no cortiço: três machos e três fêmeas!

Rumo a Pasárgada

Lembram que eu falei que o imóvel estava à venda? Pois essa semana Meg constatou que não há mais móveis na sala. Nem geladeira na cozinha. Parece que o sobrinho interesseiro passou tudo para frente, porque andam recebendo propostas de compra. Temos medo de que eles levem dona Lourdes embora sem avisar e larguem os gatos para serem demolidos com a construção. Alguém tem um banheirinho temporário dando sopa?

*História completa dos montinhos de ossos da dona Lourdes, constantemente atualizada.

4 comentários:

suzelisg disse...

Gente estou desesperada com essa história, e se realmente ela vai embora com esses gatinhos indefesos com ela, vivendo dessa forma todos esqueletinhos, faz tempo que estou tentando entrar em contato com vcs para tentar ajudar de alguma forma, se não se importarem meu banheiro está a disposição pelo menos par 1 resgatinho, não posso deixar dentro de casa, pq minhas 3 ferinhas que foram adotadas de abondono não aceitam, mas meu banheiro eu posso emprestar, qualquer coisa me avisem, meu email é suzi_gig@hotmail.com ou suzelisg@ig.com.br, beijos eespero que um dia possamos deitar em nossa cama e sentir que fizemos a diferença para um abandonado.

cris disse...

Oi, Beatriz!
As três gatinhas são castradas? Pouco provável, não acha? Você acredita em castração espiritual?

Gabi disse...

Bia, aqui em casa não cabe nada nem ninguém. Apto de 45m² com namorado e mais 4 gatos já tá apertado demais. Mas vou falar com minha mamãe, que tem um espaço maior no apê, tem como separar os gatos dela dos demais e está com poucos bichos em casa... Mas preciso saber como funciona direitinho esse esquema de casa temporária. Me e-meia no anaga@uol.com.br? brigada!

Beatriz Levischi disse...

Suzi e Gabi, seus banheiros serão muito bem-vindos! Já mando um e-mail explicando o esquema do lar temporário.

Resolvemos confiar na dona Lourdes por dois motivos, Cris: 1) Ela não nos deixou levar as gatas nem para consultar. 2) Até agora, nenhuma delas apareceu com ninhada (e todas as outras demonstravam sinais de gravidez quando foram castradas).