.
.

6.3.14

Colite carnavalesca

Quarta-feira de cinzas, para os católicos, é dia de refletir sobre a fragilidade da vida, que veio do pó e ao pó retornará. Eu não sou católica, mas me peguei pedindo a uma força maior que Pipoca continuasse pelo por mais uns anos. A via-sacra de carnaval começou no sábado, quando a pequena recusou o café da manhã. No domingo, ela só comeu um tico de sachê, tarde da noite. E, na segunda, havia sangue no cocô.

Dr. Débora, irmã de uma amiga de adolescência, leu meu relato angustiado por WhatsApp, já que nenhuma clínica estava aberta no feriado, e receitou Trissulfin, um antibiótico para infecções intestinais. Junto com o remédio, eu comprei a caixa inteira de sachês renais do pet shop, mais palatáveis do que a ração seca, porque eles andam em falta no mercado ― a bichinha tem insuficiência.

Na terça, quando voltei de São Paulo, encontrei cinco poças de sangue na areia e um vômito rosa no chão do escritório. Pipoquinha pedia socorro com esta imagem de dar nó na garganta.


Nós rumamos ao hospital, onde ela tomou soro para baixar a ureia e a creatinina, foi medicada para conter o vômito e saiu com um pedido de ultrassom para confirmar a suspeita de colite.


Ontem, Dr. N. lhe preparou um coquetel de soro: vitaminas para compensar a greve de fome, ranitidina e plasil porque os vômitos pioraram em vez de cessar, dexametasona para ajudar o intestino a desinflamar (apesar de o corticoide prejudicar os rins), e enrofloxacina para evitar bactérias oportunistas. Também enfiou-lhe gaviz goela abaixo, para proteger o estômago judiado. O vírus só se combate fortalecendo o organismo.


À noite, a peluda comeu um quarto da latinha de A/D de colherinha, me fazendo rir e chorar ao mesmo tempo. Hoje, teve coquetel de soro de novo, mas nada de vômito simbólico nem de banheiro de filme de terror ― na verdade, não teve cocô ainda. Pipoquinha continua querendo ficar. E eu sou uma magrela boa de briga.

5 comentários:

Marilia Bavaresco disse...

Melhoras!!!!!

Karina disse...

Espero que a Pipoca fique boa logo!
Beijos

Mariane Mel disse...

melhoras pra tua gata...eu acabo de adotar um gato da rua e a minha gata esta criando os filhotes de um mes,o da rua tem 3 meses...ela odeia ele mas deixa ele mamar e depois bate...nem sei mais o que fazer,mais não vou desistir,apaixonada pelos bigodes!

Lea disse...

Na torcida pela melhora da Bigoduda!
Abro o blog com o coração na boca toda vez que rola dodói na galera...
a gente tem mesmo um coração de pudim desandado.
Ânimo Bia! Vai dar tudo certo! São Francisco tá na parada e sabe das coisas, ok?
Beijossssssssssssss

Beatriz Levischi disse...

Obrigada pela torcida, meninas! Pipoca já está comendo sozinha. :)

Se sua gata odiasse o novato, não o deixaria mamar, Mariane. Os petelecos devem ser por causa dos dentes e das garras do pequeno. Com essa idade, já dá para comer ração, viu? E, aos 5 meses, todo mundo pode ser castrado, para viver mais tempo com vocês, ó: http://blog.gatoca.com.br/2011/09/voce-castra-de-graca-e-ele-vive-mais.html?