.
.

5.12.18

Balanço: vida com gatos

Há 13 anos, não tinha pelo rolando pela casa, favela de papelão esmigalhado, barulho de coisas quebrando. Nem comida roubada da mesa, cocô na hora da visita, xixi no botijão de gás. Muito menos perna arranhada, calcinha furada, rinite alérgica + asma.

E o colo também não se esquentava sozinho, ninguém lambia as lágrimas, acordar era solitário. Gatoca jamais existiria, levando com ele o veganismo, o voluntariado e o ativismo. E Sorocaba seguiria interiorana, mas sem nossa horta e nossa rede.

Antes de você, Mercv*, a vida não tinha balanço.


A indiferença de um gato que tem dois aniversários: de nascimento e adoção


*Novelinha: Conheça a história do Mercv

5 comentários:

Maria disse...

Que carinha de bicho feliz!
Parabéns!

Rosana Araujo M Costa disse...

Fiquei devastada com o meu tb! Procurei vcs, adotei outro e hj tenho um novo companheiro
Nunca vou esquecer meu Flock. Mas sempre a uma janela para outro.

A disse...

Lindo post, como sempre...

Anônimo disse...

Também aconteceu comigo; uma criaturinha que chega e muda nossa vida pra sempre

Beatriz Levischi disse...

<3

Faz tempo isso, Rosana? Espero que você tenha se sentido acolhida aqui.