.
.

21.9.18

Hospitais veterinários gratuitos de São Paulo

Eu tenho guardadas as notícias do lançamento de cada hospital veterinário público em São Paulo, o primeiro deles há seis anos. Mas, quando a gente precisou socorrer o Guerreiro, nenhuma pesquisa de internet esclareceu nossas dúvidas ― nem as ligações telefônicas nem as mensagens para a amiga da Alemanha, com contato estratégico em uma das equipes.

O peludo seria atendido tarde da noite e sem senha? Valia a pena atravessar a cidade com um animal recém-atropelado? E se a gente não chegasse a tempo? Guerreiro acabou em um hospital fortunoso do Ipiranga, foi para a ONG Canto da Terra na noite seguinte e não resistiu ao terceiro dia de batalha contra a lipidose hepática.


Eu segui atormentando a Anclivepa, responsável pelas três unidades da cidade, para responder as questões levantadas, na esperança de ajudar outros bichos (compartilhem o post!). E eles acabaram me encaminhando para a assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Saúde.

As informações abaixo valem para os hospitais do Tatuapé, na zona leste, e da Parada Inglesa, na zona norte, porque o da Vila Sônia, na zona oeste, embora igualmente gratuito, não tem parceria com a prefeitura ― e, 46 dias depois, a Anclivepa não se dignou a retornar meu e-mail.

*

Os hospitais veterinários públicos funcionam 24h?
Não. O atendimento ocorre de segunda a sexta-feira, exceto feriados. E as senhas são entregues entre 6h e 10h, com início do atendimento às 7h.

Emergências precisam de senha?
Os hospitais permanecem abertos para emergências até as 17h e, nesses casos, o atendimento é feito de forma imediata.

O que pode ser considerado emergência?
Casos em que o animal está em risco iminente de morte, como atropelamentos e outros acidentes graves.

Se precisar de cirurgia, ele já fica internado?
A internação ocorre de acordo com a avaliação do veterinário. Se não for um caso urgente, o animal fica apenas na internação do pós-cirúrgico.

Há previsão de uma unidade na zona sul?
Não.

Para usar o serviço, o tutor deve morar na cidade de São Paulo, certo?
Sim. E apresentar RG, CPF e comprovante de residência.

Estes endereços e telefones estão atualizados? (Não tive sucesso com os telefones.)
Os endereços e telefones, assim como outras informações, estão disponíveis neste link.

[Para facilitar, colei tudo abaixo. Se eles ficarem desatualizados de novo, consultem direto no site da Anclivepa.]

Hospital da zona leste
Av. Salim Farah Maluf, esquina com a Rua Ulisses Cruz, lado par, Tatuapé
(11) 2291-5159
Funciona até o último animal com senha ser atendido.

Hospital da zona norte
Av. Gen. Ataliba Leonel, 3194, Parada Inglesa
(11) 2478-5305
Também funciona até o último animal com senha ser atendido.

Hospital da zona oeste
Rua Manuel Jacinto, 249, bairro de Vila Sônia
Só atendem 30 bichos por dia, segundo o site. As senhas são distribuídas das 6h às 8h e o animal precisa estar junto.

*

Para encerrar o textão, uma notícia triste e outra feliz:

A triste é que eu conversei com uma senhora que esperou seis horas para passar o gatinho em consulta no hospital da zona norte ― e parece que a fila quilométrica domina todas as unidades. A feliz é que a Anclivepa vai inaugurar também um hospital em São Bernardo do Campo, onde o Gatoca nasceu, totalmente free. :)

6 comentários:

Anônimo disse...

Informações da maior importância Bia.
Muito obrigada por divulgar

Claudia disse...

Gente, vamos compartilhar.
Mesmo com filas e tal, é a alternativa pra quem não pode pagar atendimento

Ágata disse...

As filas são bem longas mesmo, é pegar a senha de manhãzinha e se preparar pra esperar. Em compensação, um dia meu gato foi pra lá com uma obstrução urinária - que entra em "risco iminente de morte" - e foi direto pra cirurgia. Não precisou ficar internado lá depois, e no dia do retorno eu só fui ser atendida lá pelas quatro horas da tarde, mas eles salvaram a vida dele <3
Já levei um cachorro por lá também, que já era bem velhinho e tinha câncer, e ele foi super bem tratado. Essas informações valem a pena e esses hospitais são bons, tirando a espera pra ser atendido :)

Maria disse...

Quem me dera tivesse algo assim onde moro...

Unknown disse...

Adorei o post! cheio de dicas super úteis! parabéns!

Beatriz Levischi disse...

:)

Obrigada por compartilhar sua experiência, Ágata! Como eu estou em Sorocaba agora, preciso de vocês para ter esse olhar extraoficial da cidade. Outros relatos são bem-vindos, viu, gente?

Onde você mora, Maria?