.
.

29.6.17

Décimo quase-aniversário do Gatoca

Sim, faz uma década que eu criei este blog para escrever sobre gatos, descompromissadamente ― e só tive coragem de publicar o primeiro post 42 dias depois, por isso o quase-aniversário. Será o primeiro ano sem Simba (snif). E, talvez, sem festinha (vida em ebulição por aqui).

Mas quero comemorar em grande estilo e não há estratégia melhor do que dar o texto a vocês, que transformaram uma iniciativa de ego em um projeto de mundo mais bacana. ♥

Compartilhem boas ações inspiradas pelo Gatoca, episódios que ficaram marcados na memória, causos engraçados (porque ninguém é de ferro, né?), aprendizados que fizeram diferença. No dia dez de agosto, eu publico a coletânea-amor ― e saio correndo para chorar no banheiro.


Festinhas anteriores: 2016 | 2015 | 2014 | 2013 | 2012 | 2011 | 2010 | 2009 | 2008

8 comentários:

Adriana Fabre Dias, arq. disse...

Que ideia legal!

Maria disse...

Muita, mas muita admiração por esse trabalho viu?

Aninha disse...

Parabéns Bia!!!
Foram tantos salvamentos, tantos exemplos lindos, tantas informaçãoes úteis.
Obrigada, obrigada, obrigada

Mara disse...

Já ri, chorei, me emocionei e aproveitei muitas idéias de Gatoca.

Vânia disse...

Oi Bia...sou uma gateira assumida, voluntária na causa animal em minha cidade (Cubatão - SP), auxiliar em mutirões de castração, mãe de vários bigodes em casa e tantos outros na rua. Parte disso tudo devo a vc e seu blog, que plantaram no meu coração há alguns anos o desejo de levantar do sofá e olhar além dos meus 2 gatos gordos, saudáveis e confortáveis como eu, e fazer alguma coisa pelos outros. Não foi e não está sendo fácil, mas desistir não é uma opção. Enquanto puder castrar alguns, alimentar, resgatar e doar outros, nosso sonho não terá fim. Não podemos fazer tudo, somos pequenos elos de uma grande corrente. Por várias vezes a realidade me feriu como a vc tb. Mas sigamos firmes, fortes e esperançosos, por eles e somente por eles. Parabéns à Gatoca, parabéns a vc, obrigada por tudo.

Lyra Libero disse...

Oi Bia! Me lembrei desse post esses dias e vim deixar minha história com seu blog. Bom, eu adotei a Pan em 2008 e logo depois descobri Gatoca. Eu era a gateira de primeira viagem, não sabia nada sobre gatos, e me identifiquei muito com você. Mas de tudo que você publicou até hoje, o que mais doeu meu coração foi a história de D. Lourdes. Acompanhei post a post, sofrendo, imaginando e chorando. Até hoje penso nos esqueletinhos que não tiveram sorte, aqueles que não suportaram os maus tratos submetidos. Lembro de duas gatinhas com câncer de pele por serem brancas e terem sido expostas ao sol, que tiveram que amputar as orelhinhas. Lembro de histórias pavorosas. E eu acompanhando aquilo pensava: essa Bia é maravilhosa mesmo. Eu já teria surtado, metido o louco nessa velha, chamado uma gangue de protetores pra tirar os gatos de lá e chamado a Polícia. Mas seu coração enorme deu conta e você tirou todos eles de lá. Me emocionei muito, muito mesmo. Com cada episódio. Parabéns por sua trajetória, pelo blog, pelas tantas crônicas de bigodes que alimentaram amor e carinho pelos animais. Obrigada e parabéns <3

Denise Pinheiro disse...

Eu avisei que ia ter textão!

Infelizmente, não tenho muitos amigos. Talvez pela vida cigana que já vivi, talvez porque não esteja no meu DNA conviver com grupos. Sou reclusa, gosto de ficar sozinha e não faço mais nada por conveniência social.
A internet foi ótima pra mim, porque comecei ler blogs e "conhecer" pessoas sem precisar tirar as pantufas.
Conosco foi assim: você escrevia, eu lia e comentava, contava alguma coisa do meu gato. Conheci os dez bigodes e me apaixonei por eles. Ri muito dos nomes das Gudinhas, que pareciam meninos, mas não eram.
Aprendi sobre comportamento felino, canino, "pombino". No Gatoca eu finalmente diagnostiquei qual era a "doença" que tinha, sem nem precisar ir ao psicólogo! É Coração de Pudim!
E depois de ter recusado alguns convites para ir comemorar o aniversário, eu decidi que iria e fui. Precisava apertar você num abraço e conhecer as pessoas que fazem parte desta toca onde sempre cabia mais um. Pena que nestas festas os gatos não estão presentes para serem cumprimentados e amassados, nossos personagens de tantas histórias divertidas.
O Gatoca é um Serviço de Utilidade Pública não só pelas informações e dicas, mas por juntar gente que nunca tinha se encontrado e amarrar em fitas de amizade que vão durando pelos anos...
Trabalhos de resgate e adoção de gatos já existem vários - ainda bem! - mas o Gatoca tem uma diferença que é o especial da casa: você nos faz cúmplices de cada vitória, de cada vida salva e de cada humano conquistado pelos purrrss de um peludo carente.
Vida longa ao Gatoca!

Glaucia Bonafe disse...

Oi bia! Eu conheci o gatoca, através do Adote um Gatinho, agora não me lembro com detalhes como foi... Acompanho o blog desde que vc morava numa casa. Adoro os seus gatos!