.
.

14.5.08

Mercvrivs & Eu

Antes de me encantar pelo algodão com pernas mais comum de uma ninhada de cinco, eu criticaria ferrenhamente alguém que perdesse tempo enterrando um cachorro. Ontem, estava aos prantos com o final de "Marley & Eu". Que o desfecho é triste, todo mundo sabe, mas constatar que passarei por isso, no mínimo, dez vezes ao longo da existência roubou-me o sono.

A simples idéia de ver partir o bigode que forçou as janelas desse coração escaldado para o amor entrar, cheio de cores, cheiros e gostos, faz o corpo inteiro doer. Como decidir a hora de dizer adeus? Nem com todo o sofrimento de minha mãe eu consegui! Olha que ela sempre pregou preferir morrer a terminar numa cama de hospital. Mas e se tivesse reconsiderado?!

Queria poder obrigar Mercv a jamais cruzar a ponte do arco-íris sem mim. Agarro-me, no entanto, à esperança infantil de que nunca deixarei de ouvir seus passinhos pela casa. Às vezes, a vida parece intensa demais para a minha pequenez.

16 comentários:

Anônimo disse...

Verdade que já doi só de pensar em perder os nossos queridos anjos com bigodes e quatro patas. Mas como todos os seres maravilhosos que preenchem a terra, com certeza, estejam onde estiverem, estarão sempre perto! Em jeito de consolo...:) Inês, PT

Lina Gatolina disse...

Antes de termos o Willy, meu marido tinha "medo" de ter gatos por tb ter medo de perdê-los um dia. Mas eu o convenci que não podemos nos privar do amor só porque um dia poderemos sofrer com a morte. A morte é parte da vida.E o amor é, sem dúvida, a melhor parte da vida...

Amanda disse...

I hear you sister...

Guiga disse...

Eu nunca quis ler esse livro só pq já imaginava que teria tristeza no final! E se não posso evitar as tristezas da vida, pelo menos evito a tristeza nos livros!
Já passei por algumas perdas...minha duas cachorrinhas (uma se foi com 18 anos e a outra com 15), e dois gatinhos que peguei da rua, doentes, pra tentar salvá-los...e não consegui. O sofrimento é intenso mas a sensação de ter feito aqueles seres felizes (por muito ou por pouco tempo) é gratificante!
Pra variar, chorei lendo teu post!
Tenho 7 bigodes aqui em casa e não consigo (nem quero!) imaginar minha vida sem eles! O arco-íris vai ter que esperar bastante!!!
Vida longa pra ti e pros teus bigodes!

Silvana disse...

Pelo menos não corremos o risco de eles deixarem de nos amar ou nós a eles. É amor para toda a vida, até que a morte nos separe.

Anônimo disse...

Tava enrolando pra comprar e ler este livro. Vc me convenceu... Celina.

Cachorreira militante, louca por gatos disse...

Nem consegui ler até o final. Já comecei a chorar na primeira página. Tenho 8 cães, nem consigo imaginar um deles partindo. Entendo exatamente o que diz.

Lu Fuoco disse...

Querida Bia,
Entendo perfeitamente o que diz. Infelizmente já passei por estes dias tristes de formas diferenciadas com três bigodes meus. A última eu não tive coragem de optar pelo sacríficio, mesmo imaginando que ela estaria sofrendo. É muito difícil tomar uma decisão destas.
Lutei junto dela até o final e fiz dos últimos dias da minha pequena o melhor de todos.
Dói, dói muito, mas faz parte da vida, embora eu não entenda muito bem o porquê!

Um beijo, Lu Fuoco

Lucia disse...

que belo texto irmãzinha!

beijo

Michelle disse...

Vou ser bem honesta..não estou preparada para perder ninguém, já perdi meu avozinho nas vesperas do dia das mães e começo a olhar essa data de um modo diferente, meio estranho...Acredito em Deus, sim.mas ainda não consigo compreende-lo.. Perder meus bigodes..meio dificil de aceitar.

may shuravel disse...

Olá, Beatriz
Belíssimo blog. Fiquei sabendo dele lá nos Diários da Bicicleta, da minha boa amiga Silvana, e, como amiga dos bigodes que também sou,comecei a visitá-lo quase diariamente, já faz um tempo. Sem fazer comentários, só me deliciando.Só que o post de hoje me pegou de jeito, ou melhor, de mau jeito.Acabei de deixar meu pretinho internado em uma clínica, ele está muito doente, foi necessário.O prognóstico não é bom, mas ele tem uma pequena chance.E aí? Como é que a gente decide o quanto é justo insistir,quando é hora de desistir, de interromper as torturas,de dizer adeus? Só mais um dia, só mais uma semana, quem sabe? Esta noite ele vai ficar lá, sozinho, assustado, machucado, sofrendo.Eu fico aqui, pensando.É difícil pensar com o coração apertado.
abraços para você e todos os bigodes.
May Shuravel

Rita disse...

Eu tb tô lendo esse livro e minha tia que leu antes, disse que eu vou chorar mto no final, rss.
É mto triste pensar que um dia, talvez, nossos bigodes nos deixarão. Nas únicas vezes que os meus ficaram doentes, quase tive um treco, pedi pra todos os santos ajudarem. Implorei pra veterinária ter cuidado, rss. Mas, a vida é assim, quem vai saber o próximo passo. Só nos resta esperar e curtir todos os momentos bons que esse bichanos nos proporcionam. Cada dia é sempre uma coisa nova pr quem convive com animais.
Bjs pra todos. Bom final de semana tb. Bjs pra vc Bia e pra todos os bigodes da gatoca

yone disse...

Eu "perdi" 4 recentemente. 4 anjinhos que passaram pela minha casa e foram adotados por pessoas muito especias e que infelizmente se foram antes de completar 1 ano de idade!! Quando soube da morte deles , fiquei arrasada e não pude deixar de pensar em como vou ficar quando chegar a hora de um dos meus me deixar!

Beatriz Levischi disse...

May, o único conselho que eu posso te dar é para seguir o coração. Como está o pretinho?

Bianca disse...

Sabe concordo com vc quando o assunto é quem vai cuidar das minhas "pestes" se eu for primeiro para o céu. Já disse ao marido que se isso acontecer e ele não cuidar delas eu volto para conversar com ele...
Eu relamente sou apegada a elas justamente porque as duas não reconhecem defeitos e me amam como eu sou, não me vejo sem elas mesmo.
Parabéns pelo seu maravilhoso blog e pelos seus gatos mais que inteligentes. Bianca

Beatriz Levischi disse...

Os bigodes agradecem o elogio, Bianca! :)