.
.

18.1.19

O que move nossas escolhas

Toda vez que eu penso que as coisas seriam mais fáceis se tivesse doado a ninhada da Guda (relato do golpe da barriga: parte 1 e parte 2), me deparo com uma cena destas e lembro que a vida é, na verdade, sobre afetos.

3 comentários:

Anônimo disse...

Quanto carinho nessa imagem!
O sonho de quem resgata é manter as familinhas, infelizmente quase nunca é possível

Marcia Aono disse...

Que coisa mais linda... Sabe que também temos uma família que não separamos... São três meninos e a mãe... Estão há onze anos conosco e até hoje eles tentam mamar na mãezinha... Como não amar?

Beatriz Levischi disse...

Depois das Gudinhas, separei quatro famílias. :\

Não sabia, Marcia! <3