.
.

3.3.17

O desafio da alimentação natural para gatos

Eu convenci a veterinária nutróloga a fazer um pacotão para as nove criaturas, duas vezes por semana. Li atentamente a dieta prescrita e todo o material enviado por e-mail. No feriado de carnaval, tarde da noite, Leo e eu enfrentamos o supermercado e o abominável açougue.

Passamos quatro horas cozinhando carne, ovos, dois tipos de carboidrato (o arroz era integral!) e três de legumes, rascunhando cálculos desafiadores para uma jornalista, pesando as porções ― comprei uma balancinha só para isso.


Ainda cobrimos cada pote com caldinho de acém, pobre em fósforo, por causa da insuficiência renal quase coletiva.


A maioria dos bigodes sequer lambeu. E quem arriscou (Mercv e Guda) vomitou na sequência. Eu olhava para eles, para a pia cheia de louça e para os morrinhos de passaroca intocada segurando o riso histérico. Agora, tenho uma geladeira cheia de comida que não como. :\


Dicas de adaptação, preparo dos alimentos e legumes mais palatáveis são bem-vindas. Compartilhamento de experiências e incentivo moral também. rs

6 comentários:

beatriz terenzi disse...

aqui em casa os gatos comem alimentação natural seguindo prey model, tentando imitar o que comeriam na natureza, ou seja: só carne e tudo cru, nas devidas proporções. sem legumes e sem carboidratos, que o sistema digestivo deles é de carnívoros. e passam muito bem :)

Souvenirs disse...

Hoje mesmo fazem 2 semanas que iniciei alimentação natural na minha felina renal e está funcionando. Eu faço caldo de carne com músculo cozido,e não bato a carne com os legumes/carboidratos. Depois destes batidos, adiciono a carne desfiada.
Esquento a porção a ser oferecida na panela com caldo adicional pois libera o aroma da carne.

Anônimo disse...

O maximo que os meus aceitam é mamão amassadinho...

Maria disse...

Já tentei tudo isso e mais alguma coisa. Não funcionou.
Alguns até tomam caldinho de peito de frango ou de peixe, porém só o caldinho mesmo.

Gisela disse...

Meus dois gatos comem alimentação natural feita por veterinária nutróloga há uns 5 meses. No início foi difícil. Eles já comiam sachês batidos com água filtrada no mixer, então já estavam acostumados a tetyras diferentes. O meu mais novo tem nefropatia leve, bronquite crônica alérgica, lambedura psicogênica, sopro sistólico e uma leve coxartrose. Sim, um combo rs. O meu mais velho tem cistite crônica e sofria com infecções urinárias e obstruções constantes. Por conta disso tudo, os dois comem dietas terapêuticas pras doenças deles.
No início, eu apresentava cada item da dieta de cada vez. Com muita calma mesmo. Fui testando (e anotando) cada coisa de que gostavam (eles só comem proteina, vísceras e legumes. Não comem carboidratos) e de que forma gostavam. Isso tudo levou em torno de 2 meses e meio, até que migraram 100% pra AN. Resultado: comem as proteínas cruas, vísceras (só meu mais velho que pode comer) e legumes cozidos. E tudo passado no processador. E comem felizes!!
Com gatos têm que ir com calma mesmo. Ir testando o que cada um gosta e como gosta.
Tem um grupo no Facebook sobre AN pra pets que ajuda muito!
Sucesso!!

Beatriz Levischi disse...

A dieta dos bigodes tinha carboidrato por causa da doença renal, Gisela ― era preciso suprir a necessidade calórica sem exagerar nas proteínas. Tentei processar tudo, dar em pedaços, comprei patinho, acém, peito de frango, filé de pescada, arrisquei até carne crua (depois de congelada, claro).

E nem pura os infelizes comiam, acredita? Só Clara e Guda, que foram resgatadas adultas da rua e, provavelmente, reviravam lixo. Mas Guda não conta, porque continuou vomitando na sequência. rs