.
.

5.2.09

Exército de um homem só – parte 2

Para quem nunca havia tido um animal de estimação na vida, era deveras estranho observar o Mercvrivs se mexendo sozinho pela casa, cheio de vontades próprias. E sem pilha! Quando a gente voltava estressado da rua, dava de cara com seus bigodes gigantes e o mau humor derretia feito manteiga. A bolinha de pêlo não miava, quase não comia, brincava menos ainda.

"Você nem vai perceber que ele existe", Eduardo chegou a argumentar para me convencer sobre a adoção. Perdi a conta de quantas vezes gritei com o gênio ao telefone, enquanto corria atrás do filhote, tentando limpar os rastros descontrolados de diarréia. Até que, desconfiada da prescrição de vitaminas da veterinária aqui do bairro, decidi levar o pequeno à clínica de Utinga, onde os felinos da família Perez se consultavam há mais de dez anos.

Anemia, infecção e virose compunham o diagnóstico do frajolinha, que eu mal conhecia e já roubara uma lágrima do meu estoque de lubrificação ocular em público. Frágil daquele jeito, só um milagre conseguiria reverter a situação. Comprei a gôndola inteira de Gatorades da padaria e, nos dias seguintes, aprendi o significado de ter o tal coração fora do corpo, que bate cada segundo em sintonia ao seu.


Mercv, por sua vez, descobriu o prazer de surfar em nossos chinelos, de fazer bagunça de madrugada, de lamber pasta de dente, de afiar as garras na CPU, de beber água com sabonete, de escalar nossas pernas nuas, de estraçalhar o ratinho de gatária, de urinar no pufe da sala, de dormir esparramado no meu colo, de picar papel higiênico, de se lambuzar de mamão, de dançar mambo.

*continua*


Capítulo anterior: Exército de um homem só

12 comentários:

Li disse...

Será que só eu tenho 2 anjinhos que dormem a noite toda e não fazem bagunça?

Gatinhos de toda parte disse...

"aprendi o significado de ter o tal coração fora do corpo, que bate cada segundo em sintonia ao seu"

Nunca definiram tão bem o amor que sinto pelos meus gatos :´)

Carol disse...

até eu chorei nessa. :-)
bjs!

Rose disse...

Apesar dos transtornos, das sujeiras, dos imprevistos, derepente a gente começa a perceber que a vida antes deles era mesmo muito sem graça.

Leila disse...

fofucho...

d e n i s e disse...

.
ah dançando mambo?!?!?!
essa merecia um vííídeooooo!
Mercv é o pai de Gatoca, é O cara né?
grande beijo!
.

Guiga disse...

"aprendi o significado de ter o tal coração fora do corpo"...matou a pau!!!
Só quem ama um animal sabe o que é isso!
E é gostoso demais se descobrir apaixonada por essas criaturinhas!

Gateira Capricorniana disse...

"aprendi o significado de ter o tal coração fora do corpo, que bate cada segundo em sintonia ao seu"
É mesmo a melhor definição para o nosso grande AMOR por eles.

Ana disse...

È mesmo....hehehe..
Agora, a foto do mambo é tudo de bom!
XD

Ana Paula disse...

Li, talvez eles aprontem e depois deixem tudo no lugar só para ti não ver :)

A carinha dele tá impagável, Bia. Não tem como não derreter um coração.

beijo, Ana

Michelle disse...

Owwwwwwww, Bia..Assim não vale..fico só na choradeira aqui.
Lembrei do meu Lininho agora.Pais de primeira viagem. Hoje penso o quanto ele sofreu com a nossa falta de experiência, mas graças a Deus tinhamos muito amor, e aprendemos rápido. Ele hoje tem 9 anos, está doentinho..mas em tratamento. As vezes me culpo por não ter levado em um especialista, acredito que ele teria um rim funcionando. Hunf Mas quem nunca teve bicho, não sabia dessas coisas.
Bia o Mercv está lindo na foto.
:)

Beca disse...

Posts em forma de poesia e arte.só o amor faz isso.