.
.

13.12.18

Os bastidores de AssassiGato e uma notícia triste

Em novembro, o Gatoca lançou a primeira websérie dos bigodes, que a gente classificou, na brincadeira, como suspense-drama-comédia ― quem foi sugado pelas eleições e feriados pode assistir aqui. Há anos, eu pensava em escrever roteiros ficcionais transformando os gatos em personagens. Mas essa estreia veio para deixar mais leve uma realidade nada divertida.

Clara tem sarcoma, a verdadeira origem do sangue que aparece no vídeo. O tratamento começou em 2015, na alopatia, como uma hiperqueratose inofensiva. E a gente passou semanas arrancando a crosta e limpando a região com Povidine, por instrução do veterinário. Só que ela nunca deixou de se formar.


Pelo contrário: foi tomando um pedaço cada vez maior da cabeça até alcançar o outro lado ― e a peste cutuca porque coça, piorando tudo. Maru, homeopata deles, oficializou o diagnóstico em outubro agora, quando veio a Sorocaba para o checape da gangue e percebeu os linfonodos da retalhinha inchados, indicativo de metástase.

Pois é: a gata que nunca pegou um resfriado, como escrevi neste post de 2013, relato justamente do dia em que ela precisou ser operada às pressas para a retirada de um tumor, vem resistindo bravamente à doença que derrubou meu pai e minha mãe. Mas não sei mais por quanto tempo.

11.12.18

Gatoca na home do UOL, pelos animais!

Eu contei no post de quinta-feira que dei poucos furos jornalísticos em duas décadas, porque prefiro apurar os fatos com cuidado, caprichar no texto e oferecer um conteúdo/serviço que o leitor não encontra em outro lugar, lembram? Pois aquele vídeo atrasado sobre a cachorrinha morta no Carrefour de Osasco virou matéria no Universa ― obrigada Lu Bugni!


E foi para o topo da home do UOL esta manhã, rendendo 300 acessos por minuto! Sim, um texto que critica o comércio de animais, que cobra políticas públicas para a causa, que revela os bastidores das indústrias bilionárias de ovos e leite, que cutuca as pessoas a se mexerem.


Para ampliar, cliquem na imagem

O mais incrível? Cheio de elogios. O Gatoca conseguiu sensibilizar comentaristas de portal! Por isso eu insisto: é preciso fazer a informação chegar às massas. E acolher ― amor transforma, ódio só disfarça. Aperto especial, aliás, nos apoiadores deste projeto, que permitem que ele seja cada vez mais relevante! 💛

6.12.18

Carrefour, a cachorrinha e 9 ações efetivas

Em 19 anos de jornalismo, eu sempre fugi da notícia instantânea ― o que não rendia elogios a quem trabalhava num portal de internet. Fazia questão de apurar os fatos com cuidado, escolher cada uma das palavras do texto e oferecer uma informação mais consolidada ou um serviço que o leitor não encontraria em outro lugar.

É por isso que o Gatoca está sempre atrasado ― e não dá muito as caras no Twitter ou no Stories do Instagram. Mas também é por isso que os posts e vídeos espalham tantas sementes de transformação. Espero que não seja diferente desta vez. :)

Se vocês também ficaram revoltados com o assassinato brutal da cadelinha do Carrefour de Osasco (e com os policiais, que acompanharam a captura desastrada sem fazer B.O., o despreparo do CCZ, que ignorou a situação descarada de maus-tratos, e o posicionamento da rede francesa), compartilhem o vídeo ― gravado ontem, editado até de madrugada e reeditado hoje. rs

Assinar petição, participar da manifestação do sábado e comprar banana em outro supermercado são atitudes superválidas, mas têm pouco impacto no contexto. Estas nove ações podem libertar milhares de vidas do sofrimento.

Depende de vocês.

5.12.18

Balanço: vida com gatos

Há 13 anos, não tinha pelo rolando pela casa, favela de papelão esmigalhado, barulho de coisas quebrando. Nem comida roubada da mesa, cocô na hora da visita, xixi no botijão de gás. Muito menos perna arranhada, calcinha furada, rinite alérgica + asma.

E o colo também não se esquentava sozinho, ninguém lambia as lágrimas, acordar era solitário. Gatoca jamais existiria, levando com ele o veganismo, o voluntariado e o ativismo. E Sorocaba seguiria interiorana, mas sem nossa horta e nossa rede.

Antes de você, Mercv*, a vida não tinha balanço.


A indiferença de um gato que tem dois aniversários: de nascimento e adoção


*Novelinha: Conheça a história do Mercv