.
.

5.10.18

Nós continuaremos lutando

Ontem, eu publiquei um post com argumentos bem-fundamentados e uma dezena de matérias (dos veículos mais variados) para quem respeita os animais não votar no Bolsonaro. Fatos, não opiniões. Os comentários raivosos chegaram antes dos leitores (compassivos) que acompanham o projeto (pacífico) e sem qualquer contra-argumento.

Palavrões, gifs, ameaças, disco quebrado no PT e na Venezuela. Não se deram ao trabalho de ler nada, assistir nenhum vídeo, abrir nenhum link. Um ataque orquestrado de robôs, não pessoas de verdade, ainda que feitas de carne e osso. Entrei em uma espiral descendente de desânimo, sensação de impotência, medo do futuro.

De madrugada, tive um insight: é esse massacre psicológico que os bandidos usam nas ligações falsas de sequestro, feitas de dentro do presídio. A gente sabe que é mentira, já ouviu falar em outros 200 casos e se pega tremendo inteiro com a gritaria ― tem gente, inclusive, que transfere a grana.

Proponho aqui, então, um esforço-estratégico conjunto: paremos de ler esses comentários. Ignorem, deletem, vão fazer outra coisa. A nhaca passa e a gente consegue enxergar com mais clareza: o ser humano sempre teve esse lado trevas. Nós, protetores de animais, estamos em contato com ele diariamente.

E lutamos.

E vamos continuar lutando.

Porque ninguém derruba quem tem um ideal. #EleNão

*

Apesar do chorume, o post alcançou 6,6 mil pessoas no Facebook em menos de 24h, um record para o blog. E 1,1 mil clicaram para ler o texto. Somando quem veio de outras redes sociais, já são 4 mil visualizações. Continuem compartilhando! Nós temos até domingo. :)

A gente preferiu adiar o lançamento da websérie, aliás, para ela não ser ofuscada pelas eleições ― e esse lamaçal de ódio. Na semana que vem, voltamos à programação normal. E mais fortes.

2 comentários:

Unknown disse...

Devagarinho, liderados por Bia e o Exército de Gatoca, vamos salvar o mundo e enviar toda essa nhaca embora. Um pouquinho por vez, cada um fazendo a sua parte, a começar pelo voto de amanhã

Maria disse...

Perfeito.
Aguardando então