.
.

8.11.17

Maquininhas de matar

Pessoas normais observam o sol despontando no céu antes do café da manhã. Moradores de Gatoca dão de cara com restos de passarinho no gramado. A autora do crime ninguém acreditaria, se não tivesse vomitado um bolinho de penas pretas horas depois.


Pimenta assumiu o lugar do Simba, que também não resistia a seres menores do que ele (animados ou inanimados) em movimento.


Não se deixam enganar: nos miados mais fininhos se escondem os piores assassinos.

4 comentários:

Samantha Fraga disse...

Igualzinho nos filmes, a culpada é sempre aquela que parecia estar acima de qualquer suspeita, a mocinha não tão inocente assim...kkkkk

Rose disse...

Outro dia, flagro o Dexter (o schnauzer) correndo pela cozinha, seguido pela Pandora e pelo Bob. Vou ver a razão da comoção e quando finalmente consigo parar o pequeno, ele está com um passarinho (acho que era um beija-flor) na boca, tentando defender a presa da cobiça dos outros. Em compensação, em uma noite de agito geral por causa de filhotes de gambá que de alguma forma se perderam da mãe e despencaram no jardim, a Zoe, em vez de perseguir, guardou um cuidadosamente na boca e depois o entregou inteirinho, meio molhado, mas íntegro, na mão do Christian, que o colocou de novo na árvore. Bichos sendo bichos. :-)

Anônimo disse...

Lá em casa, a caçadora mais eficiente tem menos de 2kg, quase 11 anos e é a campeã do miado mais comprido e fino.
Alice gap

Anônimo disse...

Aiiii, uma foto do Simba....