.
.

11.11.14

Um é pouco, dois é bom, dez vira Gatoca

― Qual é o coletivo de gato?
― Gangue.

Eu amo os bigodes ― mesmo com suas arisquices, as roupas empesteadas de pelo, os remédios para alergia na cabeceira da cama, as viagens escassas. Mas não canso de repetir aos adotantes corações de pudim: bichanos não gostam de viver em grandes grupos. Em algum momento, que a gente nunca consegue dizer exatamente qual, surgirão as brigas e os xixis fora da caixa.

Se eu soubesse disso há sete anos, teria dado à Guda e suas filhotas a oportunidade de ganhar uma atenção mais exclusiva. E, talvez, elas não se tornassem bichos do mato. Chocolate, aliás, adoraria se esticar em um sofá só dela, para reclamar da novela com uma turma de velhinhas aposentadas. E o apertamento ainda continuaria animado com Mercv, Clara e Simba.

Acontece que agora nós já viramos aquelas famílias de comédia romântica, com uma coleção de lágrimas, suspiros e gargalhadas no roteiro. E eu não imagino minha vida com tanto espaço vazio entre os pés.

8 comentários:

Felina disse...

Tb sofro com o xixi fora do lugar, mas não me imagino sem meus 8 lindos e minha cachorra maravilhosa!

Elisa Reiko disse...

É bem assim, se bem que xixi fora do lugar nunca aconteceu, mas há brigas por todo lado e tufos de pelos voando pela casa. Também tenho 8 e às vezes vejo que eles queriam mais exclusividade.

Taciane disse...

Ai Bia,às vezes não temos opção né? Lá em casa cada um chegou precisando MUITO ficar (fora Aiko que foi a primeira e gostaria de continuar única). Fui a tanta feira para doar a Ushi, ninguém quis, não tinha jeito, ficou, acabou sendo o medicamento que faltava ao deslocado Órion. De vez em quando sai fuz e uns tapas, principalmente de Aiko, mas na maior parte do tempo eles ficam bem, acabaram se dividindo em 3 duplas por afinidades. Fiz bastante prateleiras para que eles possam se evitar quando quiserem. Xixi fora do lugar nunca acontece, dividi em dois banheiros para evitar bullyng nessa hora sagrada, vez ou outra Órion erra a mira, fica escorrido do lado da caixa.
Mas acho que tu tem razão, pra gente dá trabalho bastante gato, viajamos menos do que gostaríamos, todo dia ritual de limpeza, toda semana pentear galera, todo dia brincar com eles, mesmo cansados (eu adoro brincar, mas tem dias que só queria dormir). E tudo isso passa meio batido quando nós postamos nossas fotos lindas de um momento de paz e beleza né? Muito bom o post.

Kelly Resende disse...

Minha casa estava em relativa harmonia com 5 gatos, há algum tempo. No ano passado foi introduzido um sexto elemento, uma gata que eu já cuidava na colonia do meu trabalho, que eu já adorava e que foi atropelada. Uma só a mais e o equilibrio foi quebrado. Minha gang de 5 não aceita o novo elemento e virou o caos. Mas é o que vc falou, agora já era, eu amo a recem-chegada (cuido dela desde filhote, por mto tempo sem poder toca-la) e vamos ter que viver assim...
Abraço

Anônimo disse...

É isto mesmo! Tinha um, que viraram três, quatro e agora seis... A cada vez, juro para mim que não há mais vagas, lotação esgotada, etc... Depois, peço aos antigos que aceitem outro coleguinha necessitado, rs. No momento, estou com duas ainda em processo de adaptação. Tudo parece andar bem, até que, de repente, o pau quebra feio, mesmo entre os antigos, e até sobra para mim. Mas faz parte. Somos uma grande família, barraqueira e feliz, rs...
Regina Haagen

Em busca de corpo e alma disse...

Por mim ficava com os 3. Até o dia que MIlú chegou com a Catarina. Pensei e até falei. Imagina que vc espera um filho e nascem gêmeos. Foi assim qu foi com as duas.
Um lar só de meninas. Até a chegada de Escobar. Daí a coisa se perdeu....
Alguns aguardaram 12 anos, outros 7 e a mais nova o unico interesse veio de uma troca de sms.
Encalhadinhos que em função da super lotação vão para uma casa no interior. Final do ano, o décimo terceiro irá para custear a viagem de 400 km, acomodada em uma van. Rumo ao gatil que demorou 4 anos para ser feito.
Ao mesmo tempo fico com coração na mão de não ter as miações do Escobar. O ciume da Capitu, a Timidez de Catarina.... e até a recem chegada Lucy... já me dá saudades. NO entanto, terão banhos de sol, arvores para afiar as unhas e maritacas que irão ciscar para provocar os peludos. Pombas na janela darão lugar a Rolinhas simpáticas que vão beliscar os pés de hortelã pimenta que compõem a horta.

Bernadete Faria disse...

Eu tinha 6 gatos e uma cadelinha e a paz reinava. Um dia, gabriela Madonna invadiu meu quintal, me mordeu, eu fui tomar vacina e fiquei vigiando ela. Acabei colocando dentro de casa. Aí acabou nossa paz. Ela batia em todos, hoje só bate em duas, mas é muito mal humorada. Ela tirou a paz deles, atrapalhou sua qualidade de vida, mas...nos apaixonamos pela bandida, tentamos doar ninguém quis...o jeito é viver assim mesmo, porque não dá pra ficar sem a vilãzinha fofa.

Beatriz Levischi disse...

Adaptar a casa às necessidades dos bigodes, com arranhadores, prateleiras e brinquedinhos, ajuda muito, gente.