.
.

2.4.14

Brincando de Deus

Quando um filhote deita no seu colo e ronrona, despreocupado com os perigos da rua, a falta de lixos para revirar e a disputa por um cantinho protegido da chuva, você se sente onipotente.


Aproveitando a deixa, dois empurrõezinhos: para adotar seu próximo amigo em vez de comprar e para abrir mão da carne um dia por semana (pelo menos!).

4 comentários:

Em busca de corpo e alma disse...

Bia, qdo houver a doação de gatinhos, se por um acaso a procura for maior que a demanda. Há um pequeno achado na rua. Ficou em um apto em SBC temporario. è um frajolinha igual a eles. Será castradinho qdo der 1 quilo de charme.
Em casa alem do 8, irá chegar outro adulto. Vão arrombar a casa do morador do predio que se mudou e deixou o gato. Mesmo lotada e nao tendo por não tem como recusar. Espero que São Francisco tb ajude no plano de negócios. Negocie trazendo bons adotantes :/

Marilia Bavaresco disse...

Pura e singela verdade!

Triaturas disse...

Deliciaaaa!

Beatriz Levischi disse...

Se vocês ajudarem na divulgação, vai ter briga pelos frajolas. ;)