.
.

25.12.12

Redescubra-se!

Não existem famílias de comercial de margarina, ceia diet e brinquedos que substituam afeto. Mas todo mundo pode aproveitar o Natal para plantar sementinhas de paixão, gargalhadas e frio na barriga.

20.12.12

Presente em forma de bytes

Eu já participei de amigo secreto de gateiros, da família dos outros, da firma sendo freelancer e até de uns inimigos secretos. Mas é a primeira vez que me convidam para uma troca natalina de posts entre blogueiros. Como nasci com a bunda virada para Plutão, consegui tirar uma pessoa que não gosta de bichos. E lembrei que já fui assim.

Não, eu não encontrei Jesus, só descobri que o jeito mais simples e barato de colorir a vida é adotar um animal de estimação. Se a Daniela Ferpe colecionasse bigodes, aprenderia a conversar em vozes bizarras, inventaria músicas sem sentido, valsaria cheia de pelos pela casa e criaria o Drops da Dani por mil outros motivos, não para disfarçar a solidão.

Minha amiga secreta, eu espero que em 2013 você se divirta escrevendo sobre artesanato, tecnologia e existência alheia. E que nenhum quadrúpede cheio de ginga cruze seu caminho, porque a síndrome do coração de pudim não tem cura. ;)

14.12.12

Fim de ano sem pânico

Daniela Ramos, veterinária especialista em comportamento animal, ensina como tornar as festas de Natal e Ano-Novo mais confortáveis para seu melhor amigo

:: Gatos

Se o festerê for na sua casa
Deixe os esconderijos favoritos do bigode disponíveis ― em situações adversas, eles tendem a optar pela reclusão. Não o obrigue a participar do agito. De tempos em tempos, ofereça água, comida ou um petisco apropriado.

Se o bichano ficará sozinho
O ideal é que ele esteja sob supervisão, pois o barulho intenso dos fogos de artifício estressa até o mais sossegado dos animais. Caso isso não seja possível, apele aos florais (veja receita no fim do post).

:: Cães

Se o festerê for na sua casa
- Ofereça a alimentação costumeira
Oriente os convidados a não darem comida humana ao bicho. Agrados natalinos devem ser feitos com petiscos caninos.
- Deixe as portas fechadas
Na hora dos fogos, o animal pode fugir para tentar se livrar da situação de medo extremo.
- Demonstre tranquilidade sem sufocar
Mantenha seu amigo por perto, mas continue a interagir com as pessoas.

Se o cachorro mora no quintal
- Permita que ele entre em casa
Pelo menos nessas datas. Mesmo quem nunca aparentou desconforto está sujeito a ter uma crise de pânico ― ainda mais influenciado por outros cães.
- Distraia-o com um brinquedinho
Quando começarem os fogos, recheie o brinquedo com petiscos.
- Peça ajuda a um veterinário
Se o animal costuma se desesperar, é fundamental recorrer a um especialista com antecedência, para dar tempo de colocar em prática o tratamento sugerido.

Se o peludo ficará sozinho
Combine um dog sitter com aquela vizinha que não liga muito para as comemorações de fim de ano. Ou instale-o em um hotelzinho, de preferência em um bairro onde o foguetório seja mais ameno.

:: Receita de floral de Bach

Manipule sem conservante (álcool, glicerina ou vinagre de maçã). Na geladeira, o floral dura 15 dias

Fórmula:
- Rescue
- Cherry Plum
- Rock Rose
- Mimulus
- Vervain
- Sweet Chestnut
Dosagem:
- Gatos e cães de pequeno e médio porte: 4 gotas, 4 vezes ao dia, na boca. - Cachorros de grande porte e gigantes: 6 gotas, 4 vezes ao dia, na boca.

FONTE: Martha Follain, terapeuta.


* Texto escrito para a revista AnaMaria, da Editora Abril.

11.12.12

Gatockenstein

Eis o mais novo integrante da trupe de bigodes.

6.12.12

O conhecimento está no mundo

Se você quer compartilhar os louros do Gatoca, leia muito, aprenda a escrever, fotografar, tratar imagem e programar, deixe de se divertir para manter o blog atualizado, responda dúvidas de gente que não tem acesso fácil ao veterinário enquanto dirige, atrase trabalhos para salvar vidas, passe a noite em claro toda vez que resgatar um animal, sabendo que famílias de comercial de margarina demoram a aparecer.

E faça tudo isso por amor, não porque precisa se sentir amado. ;)

3.12.12

Profissão perigo

Os leitores novos deste blog pensam que eu sou veterinária, a faxineira sonha que eu virei veterinária, o veterinário diz que eu daria uma ótima veterinária. O que ninguém entende é que eu desmaio fazendo exame de sangue.

29.11.12

Santa Inguinorança 6

Mais seis meses passaram voando e eu quase esqueço de compartilhar as perguntas deduradas pelo Google Analytics que continuam trazendo "gente diferenciada" ao Gatoca. Divirtam-se com a última edição de 2012:

Como tornar sua vida complicada?
Tenha dez gatos.
O que fazer com uma pessoa que toma dipirona para se matar?
Ofereça algo realmente eficaz.
Por que sai catarro dos peitos?
Porque você é a segunda criatura neste blog que não sabe o significado de catarro.
Dá para cuidar de uma gata sem que minha mãe veja?
Basta furar os olhos dela.
Como tirar bigode de bebê?
Você pariu o anticristo?
O que significa sonhar com carrapatos grudados no coro cabeludo?
Significa falta de banho quando está acordado.
Um filhote que nasce com a pata invertida morre?
Se o cérebro do dono tiver nascido invertido também, a chance é grande.
Como socorrer gata manual?
Girando a manivela.
Com que roupa eu combino bolsa de palha?
Biquine e sombreiro.
Como coidar de gato? | Como cuda de gato? | Como cuidadar de gato? | Como quidar de gato?
Ouçam o programa do professor Pasquale, na Rádio Globo.

Leia também:
:: Aprendendo a fazer buscas
:: Santa Inguinorança
:: Santa Inguinorança 2
:: Santa Inguinorança 3
:: Santa Inguinorança 4
:: Santa Inguinorança 5

27.11.12

Convocação natalina!

Domingo é dia de acordar de madrugada, ser atropelada por um caminhão sem placa e ir dormir com o coração rasgando o peito ― se Pufosa não inventar outro piti, claro. A partir das 10h, acontece o 5º Bazar de Natal do AUG, que promete lotar o Clube Homs de donos de gatos de todas as cores e cachorreiros simpatizantes.

Vocês poderão comprar presentes lindos e baratinhos e, ao mesmo tempo, ajudar centenas de bigodes a ganharem uma segunda chance. Façam o favor de aparecer para me dar um abraço apertado e de levar uma agenda ou calendário para recompensar as refeições negligenciadas editando os textos emocionantes. :)

22.11.12

Perdeu seu melhor amigo?

Descubra como aproveitar o potencial da internet (e, principalmente, das redes sociais) para encontrar o bicho que não vive sem você

Maya passeava com sua dona pelo Campo Belo, em São Paulo, quando escapou da coleria e saiu em disparada. Desesperada, Sylvia Angélico correu atrás da cachorra, mas não conseguiu alcançá-la. Depois de caminhar uma hora pelo bairro em vão, ela decidiu fazer panfletos com a foto da peluda e, por desencargo de consciência, divulgou seu sumiço no Twitter.

Os amigos foram replicando o tweet até Luciene Meiga, que mora em Sorocaba, reconhecer Maya porque um boa alma havia resgatado a cachorra no Brooklin e publicado suas fotos no Facebook, post que também fora compartilhado pelo pessoal. Nenhuma dessas mulheres se conhecia, muito menos residia perto. Se não existisse a internet, Maya nunca mais voltaria para casa. Saiba como usar a rede para aumentar as chances de recuperar seu amigo.

:: Onde divulgar

Redes sociais:

- Facebook
Criado por Mark Zuckerberg, o Facebook tem mais de 900 milhões de usuários e é o segundo site mais acessado no Brasil, perdendo apenas para o buscador Google. Com essa vitrine privilegiada, você alcança muito mais gente do que batendo de porta em porta. Vale publicar um post com a foto do animal perdido no seu perfil e até criar uma fan page como a da Gilde, que ainda não voltou para casa.

- Twitter
Com textos de 140 caracteres, o Twitter é a rede de informações em tempo real queridinha de quem tem celular conectado à internet. A cada cinco dias, seus 100 milhões de usuários publicam cerca de 1 bilhão de tweets. Se você ainda não criou uma conta, preencha o cadastro-relâmpago, siga os amigos que gostam de bichos e peça para eles ajudarem em sua busca.

Sites especializados:

- Anjo da Guarda
Iniciativa da Bayer Pet, o Anjo da Guarda envia e-mails para a vizinhança com informações sobre o animal perdido, coloca a foto dele no site da empresa e disponibiliza o 0800 701 5546 para receber sinal de fumaça de quem encontrá-lo. Para cadastrar o peludo, porém, é preciso comprar o kit que custa de R$ 13.

- Cachorro Perdido
Site sem fins lucrativos, o Cachorro Perdido oferece a possibilidade de registrar animais encontrados e desaparecidos. Não deixe de consultar se ninguém resgatou seu amigo.

- Classificado Animal
Com cadastro gratuito também, no Classificado Animal você pode publicar até cinco fotos por bicho. E a busca funciona por espécie, raça, estado ou palavra-chave.

- Olhar Animal
Criado em 2009, o Olhar Animal tem o objetivo de estimular a adoção de cães e gatos resgatados e cuidados por protetores independentes, organizações não governamentais e Centros Municipais de Controle de Zoonoses (CCZs). Para enviar informações de bichos que tomaram chá de sumiço aos ativistas da região, basta responder o formulário.

- Sampa Online
Na seção de "Achados e Perdidos", o portal Sampa Online divulga anúncios gratuitos de documentos extraviados, objetos roubados e, acredite, animais desaparecidos. Preencha o formulário e procure seu peludo.


* Texto escrito para a revista AnaMaria, da Editora Abril.

19.11.12

Semana da oferta de pança em Gatoca

Aproveitem os descontos do feriadão!




14.11.12

Tim-tim!

Como as pulgas andam se espremendo em Gatoca, o senhorzinho do estacionamento em que Fedora fora abandonada topou abrigá-la no galpão do terreno temporariamente. Eu comprei ração de filhote super premium, sachê de salmão, brinquedinhos para passar o tempo e tirei um monte de fotos da frajola para divulgar aqui no blog.

Quando ia pegá-la para castrar, descobri que ele já a havia levado ao veterinário do bairro, em uma caixinha improvisada de papelão. Fiz questão de pagar metade da cirurgia, bem mais cara do que no Dr. E., e emprestei uma caixa de transporte dos bigodes para que ele pudesse buscar a pequena em segurança.

Hoje, o senhorzinho me ligou para contar, orgulhoso de si mesmo, que a gatinha havia acabado de ser doada para a irmã de uma das meninas que estuda no Anchieta e sempre para o carro lá. O nome dele? Francisco.

9.11.12

Coma em 3, 2, 1...

Depois de editar em quatro dias 611 verbetes (194,8 mil caracteres, para os íntimos), almoçando alternado e jantando Sucrilhos com relaxante muscular, eu só tenho uma coisa para dizer a vocês: feliz Natal e um Ano-Novo iluminado!

5.11.12

Sadismo por esporte

Começou a temporada anual de capotada de joaninhas em Gatoca. Para onde você olha, vê uma coitada chacoalhando as perninhas no ar.

1.11.12

Semelhanças

Simba em Gatoca...


...e com 250 quilos a mais (depois da mudança de sexo), no Rancho dos Gnomos.

30.10.12

9 mitos sobre gatos

Todo mundo já ouviu dizer que eles são traiçoeiros e preferem a casa ao dono. Só acredita nisso, porém, quem nunca teve um bichano para chamar de seu

Mel chegou na clínica da veterinária Luciana Dechamps com o rosto estourado, porque um espírito de porco resolveu colocar uma bombinha dentro de sua boca. Aos 2 meses de vida, em vez de caçar ratinhos de feltro ou brincar de lutinha com os irmãos, a pequena enfrentou uma cirurgia reparadora séria e ainda passará por outra para não ficar com o beicinho pendurado.

"Toda semana, nós recebemos um caso de crueldade assim. Já tratamos gatos com vidro no olho, membros cortados e até usados em magia negra", lamenta Luciana. Para acabar com o preconceito, AnaMaria entrevistou Juliana Bussab, presidente da ONG Adote um Gatinho, que já doou 5 mil bigodes a famílias que estão muito felizes, obrigada!

:: É mentira que bichanos...

Dão azar
Pelo contrário: no Egito, eles eram tratados com honras reservadas aos faraós e mumificados depois de mortos. Bastet (ou Bast), deusa da fertilidade, tem a cabeça de um gato, inclusive. A sorte dos bigodes só mudou na Idade Média, quando os cultos pagãos que os envolviam se tornaram heresia.

E os peludos, acusados de demoníacos pela Igreja Católica, passaram a ser perseguidos com suas donas, as "bruxas" ― mulheres solitárias, que não seguiam as regras machistas da sociedade. Por que os pretolinos levaram a fama? Porque os bichanos cultivam hábitos noturnos e à noite, como diz o ditado, todos os gatos são pardos.


Gostam da casa, não do dono
Se essa afirmação fosse verdade, o número de gateiros nos Estados Unidos não teria ultrapassado o de cachorreiros. E o Brasil segue o mesmo caminho, com a população de bichanos crescendo duas vezes mais do que a de cães (8% contra 4% ao ano).

Bigodes podem se mostrar tão companheiros quanto a "concorrência". A gente é que ainda está aprendendo a decifrá-los, por causa da convivência mais recente. Os cães aproveitaram esse tempo extra para se moldar, enquanto os gatos preservam muito de seu instinto. Isso não significa falta de amor.

"Mingau me olha com adoração desde o primeiro dia. Foi doado cinco vezes, mas, quando chegava na casa nova, se plantava na porta e miava até ser devolvido. Aí, em 2003, eu decidi adotá-lo de vez", conta Juliana. Quanto ao carinho especial que eles sentem pelo cantinho em que moram, se você tivesse sido resgatado da rua, também sentiria, concorda?

Precisam viver em liberdade
No caos das grandes cidades, longe das casas de cerca branca com flores coloridas nas janelas, um macho não castrado com acesso à rua dificilmente vive mais do que três anos. Os riscos são vários: desde pegar uma doença séria brigando com outros animais até morrer envenenado por um vizinho descontente com os cocos frequentes no jardim. Quanto mais bonzinho, aliás, mais facilmente o coitado se tornará alvo da maldade humana. Não adianta domesticar o bicho e querer que ele tenha um lado selvagem.

Sempre caem em pé
O equilíbrio e a coordenação dos gatos são insuperáveis. Mas eles não conseguem se virar para aterrissar de pé, amortecendo o impacto, se a queda ocorrer de uma altura mediana ― entre o terceiro e o sexto andar de um prédio, por exemplo. Muito menos sairão ilesos de quedas maiores.

Nesses casos, costuma haver fratura nas patas da frente e no queixo, que também bate na superfí-cie, além de lesões na boca. Prova disso são os 30 paralíticos e paraplégicos que o AUG salvou da morte em dez anos. Sobre o mito das sete vidas a gente nem precisa falar, né?


Não sentem dor
Na selva, se um leão ou um tigre demonstra fraqueza, perde seu lugar no topo da cadeia alimentar e vira presa. Como os bichanos descendem diretamente dos grandes felinos, só costumam dar indícios de que alguma coisa está errada quando o estrago já for grande. O que não quer dizer que eles não sofram.

Transmitem toxoplasmose a gestantes
Para isso acontecer, o animal precisa integrar o grupo dos gatos que têm o parasita (menos de 1% no mundo!) e a barriguda colocar a mão suja de coco na boca, tendo "esquecido" de limpar a caixa de areia por três dias. Corre-se muito mais risco de pegar a doença ao ingerir água e alimentos contaminados, principalmente verduras e carnes cruas. A culpa só sobrou para os peludos porque é neles que o parasita se reproduz ― expelindo os ovinhos junto com suas fezes.

Provocam asma em crianças
Até agora, pelo menos, ninguém conseguiu provar. O que os cientistas sabem é que pessoas asmáticas podem ter crises alérgicas em ambientes compartilhados com os gatos. E que a substância que detona essas crises está na saliva do bicho, não no pelo, como muita gente pensa.

Se alimentam de leite
O ser humano é a única criatura do planeta que toma leite na idade adulta. Fora dos desenhos animados, nenhum bicho barbado mama. E ainda pode ter uma baita diarreia, por causa da intolerância à lactose. Bigodes são carnívoros e precisam de uma dieta rica em proteínas, fibras, gorduras, vitaminas e minerais.

Nunca aprendem nada
Com paciência, carinho e alguma técnica, ensina-se muita coisa a um gato. A independência dos bichanos incomoda porque eles não são seduzidos tão facilmente quanto os cães.

* Texto escrito para a revista AnaMaria, da Editora Abril.

26.10.12

Aniversariante do mês – outubro de 2012

Na quarta-feira, para comemorar os 7 anos de vida, Mercv* ganhou de presente uma cadeira de escritório macia, anatômica e cara. Mas ela também podia ser dura, quadrada e barata, porque o que importa mesmo é o colo que fica entre o objeto inanimado e o bigode mimado ― ele só não saiu na foto porque alguém precisava apertar o botão da máquina.


Outros aniversários: 2011 | 2010 | 2009 | 2008 | 2007

*Novelinha: Conheça a história do Mercv

23.10.12

Professor exemplar

Mercv dando aula sobre como não se desesperar na viagem ao veterinário. Notem que Simba é o aluno mais aplicado.

18.10.12

Uma garrafa de vodka, por favor?

A Rússia fica do outro lado do mundo. Mas isso não foi problema para o guarda, que surrou a campainha aqui de casa às oito da madrugada até eu levantar bêbada de sono para resgatar a Fedora, abandonada no vizinho da rua láááááááááá de baixo.

Ajudem a divulgar a pequena, por favor ― Kiwi ainda não ganhou sua família de comercial de margarina e Gatoca está superlotada. Ela não deve ter mais do que 4 meses, é supercarinhosa, fez amizade com os bigodes do homem instantaneamente e agradecerá com um: "Я люблю тебя".


Cliquem na imagem para ver a galeria de fotos

16.10.12

Filho quadrúpede

O primeiro miado que Mercv aprendeu a falar foi "mãe". Primeiro e último, aliás, porque o mimado preferiu investir sete anos de energia para aperfeiçoar a estratégia de chamar minha atenção.



Eis a versão anterior, que não me deixa mentir.

11.10.12

Prevenir para não remediar

Este post tem o objetivo de economizar a grana com a terapia da Keka, que quase nunca aparece no blog.

9.10.12

No vamos a la playa

Como todo branquelo, seja ele bípede ou quadrúpede, Pipoca adora esturricar no sol. E odeia passar protetor. Acontece que, em vez de ficar bronzeada, ela vai é pegar um câncer de pele. Sim, animais de pelo claro, principalmente no nariz e nas orelhas, regiões menos protegidas, também estão sujeitos à doença.

Satie e Smeagol não me deixam mentir. Elas tomaram tanto sol na cachola quando moravam no cortiço da dona Lourdes que acabaram perdendo as orelhas. Nestes dias quentes, portanto, nada de jardim para os bigodes europeus. E, se eles reclamarem, ofereçam uma água de coco.

5.10.12

Hipocrisia deslavada

Políticos brasileiros antes...


...e depois das eleições.

2.10.12

Gracinha de cachorreira!

Três dias depois, um post sobre a Hebe só faria sentido se trouxesse informações inéditas. E não estamparia as páginas virtuais do Gatoca sem um link "peludo". Mas este texto cumpre os dois requisitos. É que, em setembro de 2011, a loira aceitou meu convite para incentivar as leitoras da AnaMaria a adotarem um bichinho. E posou sorridente com o Atrium para uma sessão de fotos exclusiva, acho que a última de seus 83 anos.


Eu resolvi, então, dividir com vocês a repercussão da matéria lendária e outros cliques daquela tarde inesquecível. Se a gente conseguiu sensibilizar 0,1% das mulheres que folheiam a revista semanalmente, mais de 1 mil animais tiveram sua segunda chance. E o mico de ilustrar um editorial fazendo careta valeu a pena. Obrigada, diva! De coração de pudim para coração de pudim.


Alguns e-mails:

Adorei a matéria que a Hebe. Hoje em dia, com tanta falta de compaixão, os últimos lembrados são os animais. Sempre vejo vocês da redação dando exemplos de carinho com os pets. Agradeço a atenção e agradeço também a propagação de respeito aos animais. Sou leitora assídua da revista que, além de ótimas matérias, receitas fáceis e gostosas, também pratica bons exemplos de amor aos animais. Beijo a todos.
Mayra

A matéria sobre deixar um bicho mudar sua vida é fantástica. Eu adoro animais. Tenho vários e recomendo que todas as pessoas adotem pelo menos um.
Rogéria

O que mais gostei na revista foi a matéria com a Hebe e seus cachorrinhos. Ela está linda demais na capa e é muito bom ler sobre o quanto nos faz bem o convívio com animais de estimação. Parabéns pela reportagem. Muito boa mesmo! "Quem não gosta de animais não pode gostar de pessoas", já li várias vezes essa frase e cada vez mais tenho certeza disso.
Dolores

Matéria com bicho é covardia! Lindíssima a capa com a veterana Hebe e a cadelinha tomba lata de coleira Louis Vuitton! Chique, amoroso e solidário!
Sarita

Adorei a reportagem. Um bichinho muda a vida de qualquer pessoa. Minha poodle Kira mudou a nossa. Ela é a alegria da casa.
Cristina

Adotar um bichinho, sem dúvida, é tudo de bom. Eu já tenho os meus, mas, quando era pequena, vi minha mãe fazer muito isso. Muitas vezes ela trazia um cão com sarna, doenças e magrinho, que depois de duas semanas estava irreconhecível de tão lindo e gordinho. Vejo essa atitude como algo de quem tem nobre caráter, porque amando um ser vivo podemos dizer: "Isso, sim, é gente de verdade!". E a Hebe é gente de verdade! Beijos.
Claudete

Quero parabenizar pela edição. Nós acreditamos que matérias como essa ajudam a divulgar o trabalho das ONGs e estimulam a adoção de cães SRD (sem raça definida). Ficamos felizes que a Sra. Hebe Camargo tenha compaixão pelos cães abandonados. Agradecemos também por ter o nome de nossa instituição divulgado como organização no Rio Grande do Sul para adoção de animais. Nos sentimos honrados com a lembrança. Parabéns, Sras. Bia Levischi e Lidice.
Leandro Mello, vice-presidente da ONDAA

27.9.12

Feitiço do Tempo

Cinco anos se passaram, a gatinha do post anterior virou um mastodonte, mas continua tentando mamar na mãe (santa Guda!), como se tivesse ficado presa no Dia da Marmota.

24.9.12

Curta djá!

Como o Facebook está deixando todo mundo preguiçoso, Gatoca agora também tem botão de curtir. Vocês não precisam mais sofrer pensando em comentários geniais (embora eu adore lê-los) nem morrer de vergonha de apertar o "send". Bora gastar o dedinho nos posts do arquivo? rs

Pufosa arriscando seus primeiros passinhos aqui em casa, em 2007

21.9.12

Vida boêmia

Bigodinho não quer saber de humanos carentes controlando sua agenda. Aparece no telhado aqui de casa quando sente vontade, fedendo à sujeira barata, mia como se gritasse: "Cheguei, mulher! Traga meu jantar!", come olhando outros rabos de pelo, estica a cabeça para uma coçada apressada e vai embora sem dar satisfação. Essa carinha de bom moço é pura enganação.

18.9.12

Aniversariante do mês - setembro de 2012

No dia 17 de setembro de 2006, Simba* ainda era um gatão de rua e se pôs a correr desesperado atrás do Escortinho, que rumava para o apartamento do seu Humberto, comemorar as 62 primaveras. Seis anos depois, a rua ficou do outro lado do portão e o leãozinho veio me receber com festa quando o Focus entrou na garagem, recém-saído do apartamento do seu Humberto, que parou de comemorar aniversários aos 67 outonos.

O tempo tem passado tão rápido, e com tantas reviravoltas, que logo os 9 anos do vovô de Gatoca (e ele inteiro) virarão lembrança. Eu decidi, então, apertá-lo em dobro, abrir um sachê extra de salmão e me policiar mais para que a correria cotidiana não se transforme em uma coleção de beijos distantes e cafunés não feitos. Aguenta firme, meu amor!



*Novelinha: Conheça a história do Simba

Outros aniversários: 2007 | 2008 | 2009 | 2010 | 2011

14.9.12

Alienação parental

Só os seres humanos são capazes de fazer mal a quem amam.

11.9.12

Sobreviventes!

Com o feriado labutado e zero oportunidade de ficar sem pão e água na praia, a Dita baixou neste corpinho e resolveu fazer um faxinão nos links aqui do blog. Das 72 iniciativas listadas em 2007, início das crônicas de bigodes, 35 foram engolidas pelas correrias, tropeços ou desilusões do dia a dia. E o Gatoca continua firme e forte, salvando vidas e contando histórias. :)

6.9.12

6 motivos para adotar um bichinho

Saiba por que você não precisa comprar seu melhor amigo e confira a lista de organizações espalhadas pelo Brasil que doam animais

Todo mundo já ouviu dizer que ter um bicho de estimação faz bem para a saúde. Estudos comprovam que interagir com cães e gatos aumenta a sensação de bem-estar, afasta o estresse e a depressão, reforça as defesas do corpo e, de quebra, ainda ajuda a manter a forma. O objetivo desta matéria, porém, é outro: nós queremos convencer você a abrir seu coração para uma vida sem pedigree. E nem vamos tocar na questão da economia!

1) Vira-latas são mais inteligentes
Os cachorros sem raça definida apresentaram melhor noção de espaço e resolveram problemas com mais facilidade nos testes feitos pela Universidade de Aberdeen e de Napier, na Escócia.

2) Cães e gatos SRDs costumam viver mais
Nas ruas, eles ficam mais resistentes a doenças, enquanto as fêmeas com pedigree estão sujeitas a cruzar com parentes próximos, gerando crias com problemas de saúde variados.

3) Adultos dão menos trabalho
A maturidade tende a deixá-los mais tranquilos, obedientes e independentes do que os filhotes, favorecendo a adaptação no ambiente novo. Eles raramente destroem as coisas e vêm com o perfil e o tamanho definidos.

4) ONGs sérias já doam os peludos castrados
A cirurgia não serve apenas para controle populacional. Ela também ajuda nos distúrbios comportamentais, evita o estresse causado pelo cio e as demarcações de território, diminui o risco de infecções uterinas e o aparecimento de tumores, aumenta a expectativa de vida.

5) Quem sofreu na rua esbanja gratidão
Qualquer criatura que passou fome, frio e medo sabe reconhecer o valor de uma casa quentinha, um pote de ração que nunca esvazia, um cafuné demorado nas orelhas. E a família que a abrigar será retribuída com olhares eternamente apaixonados.

6) Os abrigos estão superlotados
Por mais que os protetores se esforcem, as adoções não vencem o abandono. Falta ajuda financeira, em grandes grupos os bichos acabam brigando, quando um adoece os outros pegam e fica impossível dar atenção para todo mundo.

:: Te convencemos? Então...

Cheque sua "infra"
Você tem tempo, dinheiro e espaço para aumentar a família? Lembre-se que um animal de estimação pode durar até 20 anos. Quem tomará conta dele quando você quiser viajar, por exemplo?

Escolha uma duplinha
Com um amigo para brincar, seu pet fica mais seguro e feliz, dificilmente entra depressão e se diverte sem depender dos humanos. Termina a agitação, a falta de vontade de comer, os miados e latidos excessivos, a destruição dos móveis.

Impeça o acesso à rua
Gatos são seres curiosos por natureza e correm o risco de morrer envenenados por um vizinho descontente, de parar sob a roda de um carro desenfreado, de pegar doenças graves brigando com outros animais.

:: Onde encontrar seu amigo

Centros de Controle de Zoonoses:

Procure o mais próximo de você e não se esqueça de levar cópias do RG, do CPF e do comprovante de residência, além de uma caixa de transporte para gatos ou coleira e guia para cães – os CCZs também cobram uma taxa simbólica.

Organizações não governamentais:

Distrito Federal
ProAnima
www.proanima.org.br

Paraná
Amigo Animal
www.amigoanimal.org.br

Rio de Janeiro
SOS Felinos
sosfelinos.atspace.com
Oito Vidas
www.oitovidas.org.br

Rio Grande do Sul
Associação Amigos dos Animais
www.soama.org.br
Organização pela Dignidade dos Animais Abandonados
www.ondaa.org

São Paulo
Abeac
www.abeac.org.br
Abrigo Piccolina
www.abrigopiccolina.org.br
Adote um Gatinho
www.adoteumgatinho.org.br
Projeto Esperança Animal
www.pea.org.br
Quero um Bicho
www.queroumbicho.com.br
União Internacional Protetora dos Animais
www.uipa.org.br


* Texto escrito para a revista AnaMaria, da Editora Abril.

3.9.12

Refeição inusitada vencedora

Feijão não precisará mais almoçar lixo com cotonete ― pelo menos em setembro. Quem ganhou o pacote de ração Equilíbrio para gatos gorduchos foi a Arielly, mãe do nosso hipopótamo peludo. E Leônidas tende a dar uma folga para a correspondência (e o bolso) da Mariana Sassi, que levou a versão renal.

Os bigodes de Gatoca já comeram muitas coisas de gosto duvidoso, como papelão, sacola de supermercado e espuma de edredom. Mas eu não me conformo é com a paixão deles por insetos nojentos. Nem as lesmas ficam de fora do cardápio!

Para ampliar, cliquem na imagem
(As respostas completas do concurso estão neste post.)


P.S.: Meninas, mandem seus endereços (com CEP) por e-mail: bialevischi@yahoo.com.br?

30.8.12

Teste de paciência: failed

Computador desligado três vezes, em quatro horas, e uma vontade louca de fazer picadinho de gato ― que só falta assobiar.

27.8.12

Quinta festinha do Gatoca

Quem não foi perdeu a chance de ver a famosa saia de guarda-chuva, de ouvir 21 pessoas falando ao mesmo tempo sobre gatos e de comer provolone à milanesa com trilha sonora dos anos 80. Quem foi fez este coração de pudim batucar no peito mais um ano (obrigada! :*). Da próxima vez, eu contrato um fotógrafo profissional para ninguém ficar de fora do registro ― ou abro mão do cosmopolitan.

Mari...


...e Jubs: não basta ser irmão, tem que participar


Roberta e Amandica: cachorreiras garantindo a diversidade


Isis (com Bruno e Daniel): bate-papo em calçada virtual


Carol: minha versão loira (e menos rabugenta)


Dê (com Daniel): risada refinada garantida


Cléber e Michele: o casal mais apertável do mundo


Casé, Rosa e Carolzinha: família expandida


Lelly e Nat: adotantes disputadas para adoção


Panorâmica de cadeira

Veja também:
:: Festinha de 2008
:: Festinha de 2009
:: Festinha de 2010
:: Festinha de 2011

24.8.12

Ponto de vista

Há três anos eu tento resgatar o Bigodinho ― desde que ele vinha trazer cigarros para o Jacob aqui na prisão. Mas o frajola conseguia ser mais assustado do que a Pipoca e não deixava a gente andar nem na mesma calçada. No começo de julho, eu o vi em cima do muro, ofereci a ração de sempre e, diferente das dezenas de vezes anteriores, ele aceitou. Comeu pertinho de mim e ainda permitiu um cafuné na cabeça.

Suas patas estavam machucadas e a cara colecionava unhas espetadas. São Francisco devia tê-lo amaciado para ganhar uma segunda chance. Mas a superpopulação de Gatoca e o receio de pegar o gato briguento à força me fizeram esperar mais um tempo para conquistar sua confiança. Eis que na madrugada do dia 18 eu trombei com a criatura no meio da sala, entre o pote de água mijado e um tufo de pelos pretos.

Prendi todo mundo no jardim, devolvi a Pipoca para o meu quarto para poder liberar o banheiro do Kiwi, abri uma lata de patê e chamei os irmãos para ajudarem na caçada. Se o peludo havia entrado em casa, devia querer uma família. Isso era o que eu pensava antes de ouvi-lo rosnar como nenhum cachorro resgatado nestes cinco anos ousou rosnar para mim.

E, três horas de tentativas frustradas de aproximação depois, nós acabamos decidindo soltá-lo. O bichinho saiu correndo sem olhar para trás, como um fugitivo de Alcatraz (apesar de nosso bairro só ter mar no nome). Vai morrer acreditando ser mais feliz do que o amigo tigrado, que não bate os dentes de madrugada, não precisa lutar contra os roncos do estômago, não dorme em buracos com medo de um ataque selvagem ― ou animal mesmo.

Quem é livre nessa história?

Ilustração de Leonardo Eichinger, ladrão de corações de pudim

22.8.12

Refeição inusitada

Chegou a hora de premiar os donos dos paladares mais exóticos de Gatoca. Sim, este post está atrasado, eu reconheço, mas vocês perdoam uma jornalista-freelancer-coração-de-pudim que precisava de um dia com 48 horas, né? Escolham o relato mais insólito na enquete abaixo do "quem somos" ― lembrando que eles precisaram ser mutilados, por causa do espaço miserável.

Também vale ressaltar que o objetivo do concurso é divertir, não incentivar maus-tratos ou posse irresponsável. Bigodes e focinhos devem comer ração de boa qualidade ou um cardápio preparado especialmente para eles, sem cebola, pimenta e outros condimentos tóxicos. Tem matéria sobre o assunto no forno, aliás. ;)

14.8.12

Paladar não se discute

Imperdoavelmente, este blog ficou mais de um ano e meio sem concurso. Para me redimir, então, o prêmio dessa vez será duplo: o vencedor leva um pacote de ração Equilíbrio para gatos gorduchos e o segundo colocado economizará na dieta do peludo renal. Para participar, contem na caixa de comentários qual foi a coisa mais inusitada que o bigode de vocês comeu. Na próxima terça-feira, eu divulgo as melhores respostas e vocês me ajudam a escolher, ok? ;)


P.S.: A Unisa, em parceria com a Total Alimentos, está com 28 vagas abertas para tratar animais que sofrem de obesidade e diabetes. Pagando R$ 30, bigodes e focinhos têm direito a acompanhamento veterinário por até três meses, exames laboratoriais e ração especial. Os interessados devem escrever para projetoobesidade@hotmail.com ou projeto.diabetes@hotmail.com.

10.8.12

Quinto aniversário do Gatoca

Mais 365 dias se passaram (quer dizer, desta vez foram 366) e hoje o Gatoca completa cinco anos de letrinhas azuis e fotografias coloridas. Para escrever e ilustrar os 695 posts que recheiam o arquivo, muitas refeições, horas de sono, beijos na boca e trabalhos remunerados acabaram sacrificados. Mas os 7.079 comentários de vocês constrangem qualquer tentativa de abortar a missão.

E como a gente tem 78 motivos peludos (e penosos!) para comemorar, a festinha rolará no Barão da Itararé, dia 25, a partir das 18h ― almejando agradar madrugadores e boêmios. Gateiros envergonhados, levem um amigo, a esposa, o namorado. O Barão é um bar para sentar e conversar, como nós fazemos aqui no blog, com comida decente, o melhor cosmopolitan de São Paulo e ainda fica pertinho da Paulista. :)

7.8.12

Desperdício

Com este dia de sol maravilhoso, Pipoca não colocou o nariz para fora do cobertor. Eu tentei convencê-la a trabalhar no meu lugar, enquanto eu esticaria a toalha xadrez em algum parque da cidade ou dirigiria até a praia para caminhar à beira-mar, mas ela me olhou com cara de quem não batalhou cinco anos para ter de revisar texto mal-escrito.

2.8.12

Trem-bala

O ano começou ontem, nós já estamos em agosto e, se eu demorasse mais um pouquinho para apertar o "publicar", este seria um post de Natal. Como curtir a viagem assim?

Chuvisco e sua paixão politicamente incorreta pelos gravetinhos do jardim