.
.

7.2.11

Um lar para chamar de seu

Vira-e-mexe o Gatoca conta a história de um bigode ou focinho alvo de maus tratos. Mas essa é a primeira vez que eu vejo um peludo sofrer por "excesso de zelo". Britney ficou surda porque sua dona resolveu dobrar a quantidade de remédio prescrita pelo veterinário, para garantir que a otite não voltaria. E, como um brinquedo quebrado, ainda acabou abandonada.


Aos 8 meses, sua jornada (azarada) impressiona. A frajolinha do nariz pintado já morou em uma ONG de animais especiais, na casa de uma criança alérgica, no apartamento do Agostinho (onde está até agora). Acontece que Lily não gostou nada de ganhar uma amiga felina. E com essa cara a tigresa tem recusado os ratinhos de feltro, os sachês de salmão e os carinhos do Fábio.


Como Agostinho não integra o grupo de pessoas que empurram o problema para o próximo, do jeito que empurraram para ele, muito menos curte a prática de arremesso de bicho na lixeira, me pediu ajuda para encontrar uma família de comercial de margarina para a boneca. Se ela não aparecer, as geniosas serão obrigadas a conviver.


Vocês acham, porém, que faltará pretendente para uma filhotona peluda, carinhosa e apaixonada por bolinhas de meia? Olhem só a festa que ela fez enquanto eu tentava tirar as fotos deste post. :)


Para ampliar, cliquem na imagem

17 comentários:

Daniela Tórgo disse...

Lindíssima, e terá muita sorte com a próxima e ultima família!

Li disse...

A novata é linda, mas eu apostaria numa aproximação. Lá em casa qdo Bella chegou, depois qde uns 5 anos de reinado absoluto de Micefufe, ele caiu de amores ela o odiou com todas as suas listras. Toleram-se, mas recentemente, 2 anos após a adoção de Bella, recebo uma msg no celular contendo uma grande massa rajada: Bella e Micefufe dormindo juntos.
Obviamente relato isso apenas para incentivar Agostinho, se realmente ele quiser ficar com a frajola "sem vergonha".

Gloria disse...

Quem sabe um floral, para acalmar e quebrar a resistência da tigrinha? Boa Sorte! Gloria

Repositório disse...

Puxa! Será que floral adiantaria? Tô torcendo para elas se adaptarem!

thereza disse...

Que coisa mais fofa...eu penei porque tinha só o Maurício adotei o Menininho para fazer companhia foi um terror mas hoje são intimos , agora adotei o siames Caputino e a frajolinha Therezinha. O Maurício ignora os dois últimos faz fuzzzzzzzzz, bate mas vai vivendo rs rs rs.Quem sabe a Tigresinha acostuma.Bjos Maria Thereza

Nelson Reis disse...

Bem. Na minha iniciação a vida de convivência felina, começamos com uma prenhe que estávamos alimentando na nossa garagem. Dentro dela vieram cinco lindos filhotes. Isto nos fez apaixonar pelos peludos e hoje, são 10 morando juntos, todos resgatados da rua. A cada nova chegada, o estresse dos que eram donos absolutos da casa. Mas aos poucos, com paciência, eles vão se tolerando e vivendo em harmonia. Torço para que a frajolinha fique, porque mais uma mudança será mais um estresse pra ela, tadinha!!!

sabrina disse...

Ola,Beatriz! E meu primeiro comentario,apesar de vir acompanhando a Gatoca ha um tempo.Tenho uma gatinha de 5 meses que foi adotada ha 3,a Bella Donna. Baseada no comportamento meio tristonho e na culpa por deixa-la o dia inteiro sozinha em casa,me inspirei nos posts que aconselham a ter dois bigodes ao inves de um...
Adotei outra ontem,ela ainda nao tem nome. acontece que,desde então,Bel não come,bebe ou usa a caixinha de areia! Estou deveras preocupada... O que fazer agora? Isso e comum? Quanto tempo dura? Por favor,me de uma luz!!!!

leila disse...

um gatinho surdo precisa de cuidados extras?

Nin@ disse...

Ahhh... que história triste dessa frajolinha... surda e abandonada! Merece MUITO amor e uma família linda!!!! Se tivesse em SP eu pegava essa lindona pra mim!!! Boa sorte!!!

Anônimo disse...

É uma questão de certa paciência, talvez uns florais e o panorama muda. Tenho 12 bigodes que vivem relativamente em harmonia, mas teve uma época em que 2 deles começaram a se estranhar e foi uma "pegapácapá" de se arranharem feio. Entrei com os florais e hoje o clima é melhor, embora não morram de amores um pelo outro. E vire e mexe umas gatas batem boca e se estapeiam. Mas quem não? Junte meia dúzia de guris e logo logo tão se batendo.
Abs.
Ana - Araça

Veri Gravina disse...

Que bonequinha. Estou apaixonadissima. Mandando energias do bem para uma super-familia chegar ate a casa do Agostinho!

CAT disse...

Realmente a adaptação de um novato na casa, exige paciência, muito AMOR e determinação, mas o resultado é muitas flores depois que a tempestade passa, eu vivi isso, com o meu gato que se sentia o Rei da casa,tudo...tudo era para ele, mas também ficava com dó dele, pois saio para trabalhar e ele ficava o dia inteiro solitário, resolvi adotar mais uma gatinha, para fazer-lhe companhia...Nossa esse gato ficou muito ciumento, e muito bravo, nem borrifadas de água resolvia ai é que ele ia pra cima da gatinha, resolvi adaptar o banheiro da casa, para ela ficar e todos os dias quando chegava do trabalho eu soltava um pouquinho para os dois ir se acostumando, realmente não foi fácil, o gato não queria nem ir mais no meu colo, e brigava feio,nos finais de semana eu deixava os dois soltos e eu ficava monitorando os movimentos, esse processo levou uns quinze dias, até que um sábado, algo me surpreendeu os dois estavam deitados juntinhos dormindo como dois bebês...fiquei muito feliz, e vi que valeu Muito apena o esforço,e hoje se eu for adotar mais um estou preparada para mais uma ''batalha'', até por que serão dois contra um novato, caso o Agostinho queira ficar com a gatinha, vai aqui minha experiência de ânimo. Vale apena Lutar.

Cat

Beatriz Levischi disse...

Obrigada pelos relatos, pessoal! Quando o computador do Agostinho ressuscitar, eu mando o link do post para ele. ;)

Adaptações costumam ser turbulentas, sim, Sabrina. Mas com filhotes a coisa se resolve mais rápido. Dá uma lida nesse post: http://blog.gatoca.com.br/2009/11/dicas-de-adaptacao.html.

Leila, animais surdos não precisam de nenhum cuidado extra. Eles só não vão ouvir quando você chamar para uma sessão de carinho, se estiverem de costas.

Lyra Libero disse...

Nossa, meu sonho de consumo essa frajolinha. Mas será que todo tigrado é assim encardido? a Pan tb odeia as outras felinas aqui de casa, faz exatamente essa cara de enfezadinha do oceano quando tem que dividir o petisco, a ração e a atenção. E eu tenho ensinar ela que tem que ser boazinha né. Mas parece que o gênio não permite! tanto que a trica Luninha parece que vê o bicho papao quando a futrica entra no recinto. hehehe devem ser os genes de jaguatirica se mostrando. Mas nada que amor e paciência não resolvam.

Lúu Novaski disse...

"Eles não vão ouvir qnd vc chama-los pra uma sessão de carinhos"
Se levar em consideração q eles só atendem qnd querem huahuhhauhu as vezes passo horas chamando o Vitinho e ele se quer olha na minha cara kkkkkkkkkk

Adrina disse...

acho que não faz a menor diferença ter um gato surdo, os meus sempre fingem que não ouviram mesmo... em especial quando estão fazendo o que não deve.
Mas que coisa esses tigrados! Eu tinha 3 gatos e adotei a Frida (tigrada). A adaptação foi bem, tudo muito lindo. Até o dia em que adotei a Tarsila. A Frida se revoltou, e até hoje não perde a oportunidade de dar umas patadas e mordidas. Na Tarsila e nos 3 que vieram depois. E olha que já se vão quase 3 anos...

Beatriz Levischi disse...

É por isso que eu brinco que os tigrados não foram 100% domesticados. rs