.
.

14.1.10

Ensine seu bicho a amar o bebê*

Crianças e animais de estimação podem virar grandes amigos, desde que você saiba aproximá-los com carinho – e siga algumas dicas simples

Você já ouviu falar que alguns peludos descobrem a gravidez das donas antes delas mesmas? Isso ocorre porque a mudança dos hormônios provoca também uma alteração no cheiro da futura mamãe. Claro que esses seres sensíveis morrerão de ciúme de dividir as atenções com um recém-nascido. O estresse, porém, é perfeitamente contornável. "Basta tratar a situação com naturalidade", sugere o veterinário Nivaldo Albolea.

O desafio da aceitação, aliás, depende muito mais da família do que dos animais. "Eles precisam perceber que continuam tendo seu espaço e que a relação de amor entre vocês permanece intacta", explica a veterinária Luciana Dechamps. Veja como transformar sua casa em um ambiente mais harmônico para seres de duas ou quatro pernas.

:: Se você tem um cachorrinho...

...não o isole do quarto do nenê
Quem contava com o livre-acesso antes, não entenderá a restrição.

...ofereça petiscos quando eles estiverem juntos
A atitude tende a fazer com que o cãozinho associe o "intruso" a uma coisa boa

...leve-o pessoalmente para passear
Assim, a criatura carente se sentirá prestigiada.

...dê florais sem conservantes
Eles minimizam a insegurança e aumentam o bem-estar.

...jamais despache o animal para o apartamento da sogra, esperando a criança crescer
Você corre o risco de sobrar sem o amigo depois.

:: Se você tem um gatinho...

...deixe ele se acostumar com o cheiro do recém-nascido
Coloque um macacão do bebê na caminha dele.

...pegue-o no colo várias vezes por dia
Ele precisa ver que você está tentando. Mesmo que te dê um chega para lá. Gato é um ser silencioso na dor.

...passe spray de capim-limão nas costas do peludo
O cheiro provoca sensações boas. Jamais, porém, espirre o líquido direto no bicho – direcione o jato para a sua mão e acaricie a cervical do bigode.

...compre CDs new age ou de músicas para felinos
Elas trabalham os batimentos cardíacos e os movimentos respiratórios, ajudando a relaxar.

...pulverize feromônio no ambiente
O produto, comprado em pet shop, acalma os ânimos.

Alice, filha da Amandica, e Nino

* Texto escrito para a revista AnaMaria, da Editora Abril.

11 comentários:

Consuelo disse...

Oi Bia! Nossa tô pra te escrever há um tempão!! No fds eu te ligo, td bem? Não entendi, pq emprestar um buraco???? Gostei das dicas, alguém já usou o feromônio? Eu comprei a versão de ligar na tomada, mas por enquanto não senti nenhuma diferença no comportamento dos bichanos. Ainda não deu um mês. Acho q vou experimentar o spray. Mas tb acho q não é isso q vai fazer os dois se suportarem.... :(
Bjkss

Gatinhos de toda parte disse...

Amei a foto!!!

Paolla disse...

Aqui em casa não tivemos grandes mudanças, mas o Gato e o Calvin ficaram desconfiados quando saímos pra viajar no Natal (na última vez que os 2 humanos saíram com malas, à noite, trouxeram um filhote de humano, então acharam que viria outro). O Calvin lambe a cabeça da Denise e o Gato dorme do lado dela, ronronando. :) Olha: http://blogdogatocampinas.blogspot.com/2009/12/dividindo-cama.html

Amanda disse...

ai qui chiquiiiiiii

Sarah disse...

Olá Bia,
Sempre leio seu blog e adorei este post. Tenho um bebê de 8 meses e uma gata. Quando engravidei tinha mais outro gato e uma cachorra. Ouvi muitas vezes que teria que desfazer dos meus bichos quando o bebê nascesse, que iam transmitir doenças, que ficariam com ciúmes... Até fiz um post no meu blog sobre isso: http://maedobento.blogspot.com/2008/12/minha-famlia-j-muito-maior.html
Também posto no Bigodes e Ronrons (aliás, a Lílian, que adotou o Jacob, trabalha comigo e estou acompanhando a adaptação dele à nova casa) e fiz um post dos meus gatos com meu filho:
http://bigodeseronrons.blogspot.com/2009/06/amigos.html
É só uma questão de paciência e carinho, e todos se adaptam!
beijos!

Caroline disse...

Nossa amiga Amandica deve ter seguido seus conselhos direitinho! rs
Beijosss

Beatriz Levischi disse...

Eu pedi um buraco para me esconder de vergonha do papelão que o Jacob anda aprontando, Lilian (rs). Você pode ligar sempre! Já conversei com umas amigas e no fim de semana te explico direitinho sobre o feromônio. Também preciso entender o que está rolando exatamente entre os bigodes. Como a Sarah disse, uma hora eles se adaptam (mesmo que demore dois anos, como no caso da Clara e da Chocolate – rs). É só ter paciência e distribuir carinhos.

Paolla, seus filhotes (de duas e quatro pernas) são lindos! :)

Parabéns pela iniciativa de esclarecer as barrigudas, Sarah. Parece que toda futura mamãe que tem gatos passa por esse constrangimento, infelizmente. :\

malicursi disse...

Ai, essa Alice tem sorte de ter uma Mãe que já mostra pra ela, desde pequenina, como é gostoso a companhia de um ronronzinho!!

Parabéns pra linda família!

Guiga disse...

Acho a coisa mais querida bebês interagindo com animais! É só uma questão de paciência e esclarecimento (animais transmitem menos doenças pro bebê que humanos)!

lucia fontes disse...

Oi, Bia, ótima matéria! A foto é fofíssima, adorei! Beijos, Lu!

Journal Kittens disse...

Amei a matéria! :) bjs