.
.

15.6.08

Pane no sistema! – parte 5

Nanogatas encrenqueiras...

Para se ter uma idéia do tamanho das Gudinhas naquela época, eu costumava dizer que precisávamos usar um dedo de cada vez ao acariciá-las. E na terceira semana, as pragas já estavam brigando entre si: empurravam umas às outras, distribuíam mordidas banguelas, trocavam tapas descoordenados. Os motivos variavam desde disputas banais pelo peito da mãe, até trombadas catastróficas no caminho rumo à liberdade.

...e únicas!

Quem diria que cada bolinha de pêlo desenvolveria uma personalidade completamente diferente, em tão curto espaço de tempo? Peludona, a mais tagarela, era super manhosa. Quando a gente esticava a mão, punha-se a rolar no edredom, fazendo mil gracinhas. Ovelha teimava em brincar de Steve Wonder, apalpando tudo o que via. Pimenta caminhava sempre para o lado contrário da favelinha. Vaquinha se divertia observando a bagunça das irmãs. E Queixinho passava a maior parte do dia escondida no fundo da caixa de papelão.

*continua*


Capítulo anterior: Pane no sistema! – parte 4

16 comentários:

lu aith disse...

Viciei nesse blog!
Fico entrando toda hora para ver se tem novidade :o)
Ontem quando meu marido chegou em casa, contei pra ele que tinha finalmente conseguido ler o Gatoca inteiro...
E ele: hã?????
E eu explicando: Gatoca é um blog de uma jornalista super inteligente, mais doida por bichos que eu (rsrsrs), que eu descobri faz uns dias mas ainda não tinha conseguido ler... etc etc
Mostrei algumas histórias pra ele e rimos e nos emocionamos juntos.
Aproveitei e toquei no assunto "lar temporário" novamente.
Mas esse é mais difícil de amolecer o coração dele :o(
Beijos e bom domingo!

lu aith disse...

Marido acabou de ler meu comentário e disse:
Vc colocou toda a culpa em mim???
hahahahahahaha
E eu: mas é vc mesmo que não quer abrigar gatinhos para lar temporário!
Meu apto não é mto grande, mas tenho um banheirinho azul perfeito, sabe?
Os motivos dele: nossos gatos vão ficar sofrendo do lado de fora da porta do banheiro azul e podem pegar doenças...
E isso é verdade, não tem como bloquear o acesso dos meus gatos a porta desse banheiro... o que vc acha?

.mercvrivs. disse...

as gudinhas eram muito legais pequenas.

cresceram e só dão tsuris agora.

quanto ao lar temporário, posso dizer que é só para quem consegue dar tchau depois, porque a gente acaba se apegando ao gato.

Nessita! disse...

Que fofuras!!! Elas são simplesmente L-I-N-D-A-S!!!!

Beatriz Levischi disse...

Acho que não darei conta de atualizar o blog tantas vezes assim, Luciana. rs

Quanto ao lar temporário, pode ficar tranqüila que nenhuma doença passa por baixo da porta. O que o pessoal costuma fazer é deixar o bichinho isolado nas primeiras semanas, para garantir que está saudável, e depois acaba misturando com os da casa, já que ninguém merece viver num banheiro. Mas o risco de apego existe mesmo e foi assim que Gatoca nasceu. rs

Inês disse...

Ah, que bom que a novela das gudinhas voltou! Estava ansiosa por saber como foram os seus primeiros tempos! O teu blog continua excelente Bia, como sempre! Bj
Inês, Lisboa

Rafa Visconti disse...

De todos s gatinhos que passaram pela minha casa como lar temporário só consegui doar um até agora...
Foi pra uma amiga =)
Estou tentando doar mais uma mas tá tão difííícil...ela já tem nome,apelido e coleirinha i.i

lu aith disse...

Oba!
Dona Gatoca e Namorado me responderam, rsrsrs
Obrigada :o)
Liguem não, eu sou assim mesmo, super empolgada :o)
Vou acompanhar os novos posts sempre que possível.
E vou amadurecer a idéia de lar temporário... no meu coração... e no coração do meu marido.
Obrigada pela atenção... mesmo.
No fim do ano, a gatinha do meu cunhado ficou lá em casa enquanto ele viajava durante 2 semanas, e na hora de devolver eu chorava que nem criança, rsrsrs
É difícil mesmo.
Beijos para todos!
Lu

Anônimo disse...

Pimentinha pestinha lindinha!
Foi a primeira tb q vc se apaixonou, não foi?

Beco dos Felinos disse...

Bia... quem não vicia lendo seu blog!!!!... tb consegui ler todos os posts (demorei uns dias, viu!)acho ótima a maneira como vc contas as estórinhas dos peludos...
A propósito o gatinho novo está bem e os outros bigodes já estão acostumados com ele... (tem fotos deles lá no blog)

bjs e parabéns!
Cláudia e "Ticos"

Japa Girl disse...

Lindo! Nunca tive vários filhotes em casa de uma só vez. Acho que se eu visse esse monte de bolinhas peludas também não conseguiria doá-los...
Bjos

disse...

Eu tenho absoluta certeza de que não sirvo para ser dona temporária. Em 5 minutos eu me apego a qualquer bicho, mesmo que me morda, me arranhe...
:)
As crianças estão lindas! Parabéns!

Maria Amália Camargo disse...

Ai, esses bigodes são lindos, lindos!!! E eles eram muito fedidinhos? Os seis micro-bigodes que chegaram na minha sogra tinham um fundinho de guardado...
E aqui lar temporário nunca deu certo... Só o permanente!
Beijos,
P.S: Hoje tem foto das minhas lá no blog.

yone disse...

É difícil ser lar temporário na hora de entregar o gato!! Principalmente aquele bigode que vc tem certeza que lá no fundo já te chama de mãe.Ontem eu entreguei dois, e confesso que nunca foi tão difícil!!

mutante disse...

ai mas como elas são lindaas!!!
eu estou cuidando de dois bigodes da minha rua, resolvi finalmente de batizá-los de Alfredo e Fernando! =D
bjs

Beatriz Levischi disse...

Obrigada, meninas! :)

"Fundinho de guardado" foi ótimo, Maria Amália! Eu vi as pequenas. E amei as descrições!