.
.

3.12.07

Gato preto no cemitério: mais clichê impossível!

Terça-feira fez quatro anos que minha mãe passou a tomar conta da gente do outro lado das nuvens. Deixei um punhado de flores baratas em seu túmulo (já que o vaso seria roubado antes mesmo deu atravessar a rua) e voltei para a casa com um bigodinho preto agitado. Dois meses no máximo, arremessado de um carrão! No pet shop do Sonda, a calorosa acolhida da Chocolate se repetiu: "Estamos lotados de filhotes para doação, infelizmente. Volta na semana que vem". Mas como eu conhecia de cor o final dessa história, sentei na porta da loja e choraminguei até que uma das vendedoras resolveu ficar com ele. A poeira no rosto é da ração de adulto, que o pequenino devorou em segundos, ronronando mais alto que o motor do Escort 98. Finalmente, um final feliz. :)

7 comentários:

Muleka disse...

To apaixonada pelo seu blog. Continue nessa sua missão linda.
Bjs
[www.muleka.serelepe.zip.net]

Denise disse...

Pô, mas até no cemitério vc encontra gatos abandonados... Isso já tá virando motivo de pesquisa científica.
Denise
PS: Será que a sua mãe tem alguma coisa a ver com isso?

Juliana Valentini disse...

Definitivamente você tem que parar de sair de casa por uns dias (muuuitos dias!). Vá até o super mais próximo, compre um kit sobrevivência e interne-se no lar por uns 15 dias, senão daqui a pouco sua cabeça não aguenta!!!
Beijo e boa sorte,
Juliana Valentini

Drica disse...

q amor! e q bom q o final foi feliz! :)

Bia disse...

Que bom!!! Realmente, FINALMENTE um final feliz!

Adoro seu blog!

Turma "Kd meu ratinho?" disse...

que sorte ele teve de te encontrar lá. tenho uma gata de cemiterio tbm hehehehehe

Beatriz Levischi disse...

Obrigada, meninas! :)

Denise, minha mãe deve ser a última pessoa envolvida nessa perseguição felina. Ela detestava gatos. rs