.
.

17.8.07

Sugestão do chef: picolé de barata e escargot

No dia em que quase caí do muro ao perceber a cabeça de uma cascuda-asquerosa-gigante saindo da boca da Clara, jurei guardar os beijos para animais que não tivessem o costume de limpar o próprio traseiro com a língua. Meses depois, porém, os Gudinhos nasceram –lindos, macios e perfumados– e a promessa fora esquecida. Até essa manhã, quando assisti de camarote o Vaquinho mastigar uma minhoca inteira e engolir!

3 comentários:

Virso disse...

Oi Bia!!!
Vi o link do seu blog no msn da Tati... resolvi dar uma olhada e não aguentei: li inteiro.
A pouco tempo criei um blog também. Nada pretencioso, apenas mais uma parte da minha terapia - achei que ia me fazer bem desabafar mais um pouco, expor meus pensamentos em um outro canal. Posto quando dá vontade, sobre o que se passa na minha mente. Agora estou pensando na melhor forma de me matar, pois confesso, me sinto envergonhado vendo o seu blog - que sim, é um blog de verdade.
Não sou muito fã de gatos, acho que são independentes demais. Mas você passou uma imagem tão maravilhosa deles, que estou revendo meus conceitos de verdade. São fofos mesmo...
Parabéns pelos gatos, pelo blog, pelos textos... e saudades, viu Gatoca?
Beijão!!!
Virso

Cristina disse...

Ai seu gatinho e identico a minha Charlote,um dos filhotinhos da minha pitica.
Q lindo!
Obs: Ah vc n deve me conhecer, mas sou so uma apaixonada por gatos q acho o seu blog no orkut e acho lindo!

Beatriz disse...

Escrever para mim também é terapêutico, Vilson. E confesso que demorei anos para juntar coragem de publicar alguma coisa. Pode parar com essa vergonha boba, aliás! Cada um tem seu estilo. Ah! Fiquei feliz de saber que o Gatoca sensibiliza até os não-muito-fãs-de-gatos.

Cristina, apaixonados por bigodes (conhecidos ou não) são sempre bem-vindos por aqui. Aproveite e traga os amigos. :)